<
>

Olimpíadas: Bia Ferreira é derrotada por irlandesa na final e encerra melhor campanha do boxe feminino brasileiro com a prata

play
Olimpíadas: Bia Ferreira perde para irlandesa na decisão e fica com a prata no boxe; VEJA como foi (1:09)

Brasileira foi derrotada por Kellie Harrington, da Irlanda, por decisão unânime dos juízes na categoria até 60kg (1:09)

Bia Ferreira entrou para a história dos Jogos Olímpicos! Apesar da derrota para a irlandesa Kellie Anne Harrington, a brasileira conquistou a medalha de prata e coroou a melhor campanha da história do boxe feminino brasileiro em Jogos Olímpicos.

A medalha no boxe também é a 20ª medalha do Brasil no quadro em Tóquio. O país agora tem sete ouros (Ítalo Ferreira no surfe, Rebeca Andrade na ginástica, Martine e Kahena na vela, Ana Marcela na maratona aquática, Isaquias Queiroz na canoagem, Hebert Sousa no boxe, futebol masculino), cinco pratas (Kelvin Hoefler, Rayssa Leal e Pedro Barros no skate, Rebeca Andrade na ginástica e agora Bia Ferreira) e oito bronzes (Bruno Fratus e Fernando Sheffer na natação, Daniel Cargnin e Mayra Aguiar no judô, a dupla Pigossi-Stefani no tênis, Abner Teixeira no boxe, Alison dos Santos e Thiago Braz no atletismo).

E há algo que o quadro não mostra: temos mais um pódio garantido no vôlei feminino. O número de 21 medalhas já é um recorde para o Brasil em Olimpíadas, superando as 19 do Rio de Janeiro.

Clique aqui para ver o Quadro de Medalhas das Olimpíadas atualizado e siga os Jogos de Tóquio em TEMPO REAL!

Campeã mundial em 2019, Bia agora adiciona a seu currículo uma medalha de prata olímpica.

Contra a irlandesa, Bia Ferreira manteve seu estilo desde o início, indo com tudo para cima e conectando bons golpes, principalmente com a canhota. Harrington também respondeu com bons golpes e o 1º round foi bastante equilibrado, com 3 juízes dando 10 a 9 para a brasileira e 2 para a irlandesa.

No 2º round, o equilíbrio permaneceu, mas a irlandesa começou a conectar mais golpes durante a maior parte do round. Bia Ferreira melhorou na reta final do assalto, mas não foi o suficiente para vencer o round: os 5 árbitros deram para a irlandesa, que foi ao último round com a vitória garantida para 2 dos 5 juízes.

No 3º, a irlandesa manteve o controle da luta e, novamente, venceu para todos os juízes, conquistando a medalha de ouro por decisão unânime (5 a 0).