<
>

NBA: De Bill Russell e Larry Bird a Paul Pierce, Celtics formaram maior dinastia da liga e viraram sinônimo de sucesso

Se tem uma franquia que é sinônimo de sucesso na NBA, é o Boston Celtics. Nada menos do que 17 títulos em 21 aparições em Finais e a maior dinastia dos esportes norte-americanos em toda a história, além de nomes icônicos do basquete, como Larry Bird e Bill Russell.

No quinto e último artigo da série especial sobre campeões da NBA, você relembra tudo isso e mergulha na história do time com mais títulos na história da liga - ao lado dos Lakers, seu maior rival. Quer ver mais? Confira os artigos de, Los Angeles Lakers, Chicago Bulls, San Antonio Spurs e Golden State Warriors.

*Conteúdo patrocinado por Claro, Ford, Bradesco, Samsung e Sadia

A era Bill Russell

Ninguém na história da NBA ganhou mais do que Bill Russell. O pivô, draftado em 1956, foi campeão da liga em 11 dos 13 anos em que jogou profissionalmente. Em seus últimos quatro anos, ele foi jogador e técnico dos Celtics ao mesmo tempo, ganhando três campeonatos no período.

Russell se tornou o pilar mais importante dessa dinastia ao lado de Bob Cousy, John Havlicek, Sam Jones, KC Jones e do técnico Red Auerbach.

E mais do que ser campeão, os Celtics fizeram isso ainda ganhando 7 títulos nas Finais contra os Lakers, franquia que acabara se tornando sua maior rival nos anos seguintes.

Isso tudo mudaria em 1969, com a aposentadoria de Bill Russel, deixando os Celtics sem opção a não ser se reconstruir dentro de quadra.

Uma nova - e vencedora - geração

Russell se aposentou, Red Auerbach havia virado general manager, e os Celtics precisaram de dois anos fora dos playoffs para se reerguer. E conseguiram isso com a aquisição de Paul Silas e draftando duas jovens futuras estrelas: Jo Jo White e Dave Cowens.

Além disso, Havlicek ainda permaneceu na franquia e venceu ainda mais dois títulos com Boston, em 1974 e 1976.

Vem Larry Bird

Novamente, os Celtics precisavam se reformular. E Auerbach optou por draftar um garoto que se destacava na Universidade de Indiana, mesmo sabendo que ele só viria para a NBA um ano depois. Por isso, em 1978 Boston escolheu Larry Bird no recrutamento.

Em 1980, logo após o primeiro ano de Bird, Auerbach fez a troca que mudaria de vez o destino da franquia e dava ao jovem ala os companheiros a sua altura.

Auerbach fez uma troca com os Warriors e adquiriu o pivô Robert Parish e uma escolha de primeira rodada de Draft que usou para selecionar Kevin McHale.

Bird, Parish e McHale se tornaram os pilares da franquia pelos próximos 12 anos, ganhando três títulos com a franquia.

Nos anos 80, Boston voltou a encarar os Lakers em três finais sangrentas, em uma das maiores rivalidades da história do esporte. Larry Bird de um lado e Magic Johnson do outro.

Contra os Lakers, os Celtics venceram o título de 1984 e foram vice em 85 e 87.

Com Larry Bird e a sua geração envelhecendo, os Celtics viram os Bad Boys do Detroit Pistons e o Chicago Bulls de Jordan começarem a dominar o Leste no fim dos anos 80 e começo de 90. Era hora de outra reformulação.

"Vacas magras" antes de um novo "Big 3"

Os anos 90 e meados dos anos 2000 foram terríveis para Boston. A exceção foi pelo Draft de 1998, quando selecionaram Paul Pierce.

Mas o ala sozinho não conseguia levar o time de volta às glórias, e Boston precisava povoar sua jovem estrela com as peças certas.

Começou em 2004, com a contratação do técnico Doc Rivers. Em 2007, o então general manager Danny Ainge fez duas trocas bombásticas, que trouxeram Ray Allen e Kevin Garnett para os Celtics. Boston tinha sua mais nova versão do Big 3.

E deu certo logo de cara. Quis o destino que as finais de 2008 fossem novamente entre Celtics e Lakers. E Boston, diante de Kobe Bryant e Pau Gasol, fez valer a freguesia, vencendo os rivais por 4 a 2 na decisão.

O jogo 1 foi o mais marcante de todos. Nele, Paul Pierce chegou a ser carregado em uma cadeira de rodas para os vestiários, mas voltou e anotou 22 pontos no confronto para dar a vitória aos Celtics.

Nada iria impedir o 17º título da franquia mais vencedora da história da NBA.