<
>

Curry, Klay e Draymond: Como o Golden State Warriors construiu a base de uma dinastia usando apenas o draft

O Golden State Warriors perdeu o título de 2018-19 da NBA para o Toronto Raptors. Mas não há dúvidas de que, sob a liderança de Stephen Curry, a equipe se tornou uma verdadeira dinastia na liga.

Mas como os Warriors deixaram de ser o time que passou 19 anos seguidos sem vencer 50 partidas na mesma temporada e formaram um dos grupos mais fortes da história? Não é difícil de encontrar a resposta: o draft.


A reformulação de Golden State começou em 2009.

Naquela época, os Warriors eram um time que dificilmente chegava aos playoffs. O último grande momento havia sido em 2007, quando o grupo comandado por Baron Davis bateu o Dallas Mavericks, dono da melhor campanha do Oeste, na 1ª rodada da pós-temporada.

Mas, dois anos depois, lá estava Golden State: mais uma vez torcendo pela sorte na loteria do draft. O time ficou com a sétima escolha do recrutamento, e o franzino Stephen Curry, que havia brilhado no universitário com Davidson, caiu no colo dos Warriors - nomes como Tyreke Evans, Ricky Rubio e Jonny Flynn foram selecionados antes de Curry.

Steph brilhou em sua primeira temporada e, com médias de 17.5 pontos e 5.9 assistências, ficou atrás apenas de Evans na votação para o prêmio de Calouro do Ano.

As temporadas seguintes foram conturbadas para o armador, que encarou problemas físicos - principalmente nos tornozelos. Por isso, os Warriors conseguiram renovar com Curry por apenas quatro anos e US$ 44 milhões, deixando o time com espaço na folha salarial para outras contratações.

Em 2011, a segunda peça da dinastia chegou. Mais uma vez fora dos playoffs, os Warriors tiveram a 11ª escolha do draft daquela temporada. O escolhido foi Klay Thompson, o ala-armador já famoso por seus arremessos e sua defesa em Washington State.

Os "Splash Brothers" estavam finalmente juntos, mas ainda faltava algo. A alma do time estava chegando, e ela foi encontrada na 2ª rodada do draft de 2012.

Na primeira vez de Bob Myers como o general manager da franquia, Harrison Barnes foi a 7ª escolha do recrutamento, e o ala acabou como titular na campanha do título em 2014-15 e nas 73 vitórias da temporada regular do ano seguinte. Mas o 'achado' de Myers saiu da 35ª escolha: Draymond Green.

Green impressionava em Michigan State, mas era considerado pequeno para jogar como ala-pivô. Ele precisou de duas temporadas na NBA para "explodir" como um dos melhores defensores dos últimos tempos da NBA e assumir sua função no "Quinteto Mortal" de Golden State.

Não é coincidência que em 2014-15, a primeira grande temporada de Draymond, os Warriors - que já haviam assinado com Andre Iguodala, Leandrinho e Shaun Livingston -, bateram o Cleveland Cavaliers em seis partidas e venceram o primeiro título da franquia em 40 anos.

Era o começo do período de glórias de Golden State. Mas o trabalho começou anos antes, no draft.