<
>

Rexpeito máximo ao brTT: o maior atleta de todos os tempos do CBLoL

play
Com presencial e personalidades internacionais, Baiano fala sobre planos para expandir o CBolão (6:08)

O streamer fala também sobre a ida para outros jogos (6:08)

Na noite desta terça-feira (23), durante o Prêmio CBLoL, o atleta anunciou uma pausa em sua carreira e que não jogará o 1º split do CBLoL 2022


Outubro de 2012. Esse foi o mês em que tive meu primeiro contato com o competitivo de League of Legends, quando assisti a Taipei Assassins virar a série contra a Azubu Frost para ser a grande campeã do Worlds daquele ano. Imediatamente após ficar extasiado e ouvir o Silver Scrapes tocando pela primeira vez, meu amor pelo jogo estava declarado e foi quando decidi procurar saber como era o cenário competitivo brasileiro naquele ponto. Nesse momento, de tentar me aproximar mais do título, que conheci aquele que se tornaria uma das figuras mais importantes do cenário: Felipe “brTT” Gonçalves.

Uma câmera de lado em um quarto do Rio de Janeiro, um rock tocando de fundo, um Draven imparável e um cara marrento de personalidade forte vindo do CS e do Dota, que desde cedo já exclamava aos adversários seu famoso bordão, o “rexpeita”. Foi naquele ano que, pela primeira vez, tive contato com o atirador, lembro até hoje... não teria como não lembrar.

Juntei meu interesse por aprender mais do jogo e de ver algum “profissional” jogando no alto nível, com o período complicado em que me encontrava dentro de casa e, em meio a surtos no “I Wanna Be The Boshy” e jogadas estonteantes nos campeonatos que competiu, cada vez mais a presença do atirador no meu dia a dia se tornou comum.

Na verdade, essa aproximação aconteceu com diversos outros brasileiros, independente do ano ou em que situação estavam. Jogadores casuais ou aspirantes a profissionais. Acompanhar e torcer para o brTT independente da camisa que estivesse vestindo, foi algo corriqueiro para muitos brasileiros ao longo dos anos.

Avançamos alguns anos e aquele cara que streamava de dentro do quarto da cidade maravilhosa estava levantando títulos a torto e direito, colecionando elogios (e também críticas, claro), se tornando o rosto principal do cenário brasileiro e vestindo mantos de grandes organizações, como paiN Gaming, Flamengo, RED Canids e Keyd Stars, que brigavam para ter o jogador em seu elenco.

Não só se firmou como o principal rosto do Campeonato Brasileiro de League of Legends, mas também se tornou maior que qualquer organização presente na esfera competitiva do League of Legends verde e amarela. Se tornou um jogador com um valor imensurável dentro dos times, com tudo aquilo que tinha a oferecer tanto dentro quanto fora de jogo.

Sem dúvidas brTT ajudou muitos de seus “filhos” a passarem por momentos difíceis, seja divertindo-os durante suas streams, seja mostrando sua presença assustadora nos palcos e levantando da cadeira para gritar com seus adversários ou erguendo mais uma das muitas taças do CBLoL que teve a oportunidade de conquistar em sua carreira. Como um verdadeiro pai, nos últimos dez anos o jogador deixou para seus filhos mais ensinamentos do que podemos contar nos dedos.

Com brTT aprendemos a não desistir de nossos sonhos, não abaixar a cabeça e a confiar em si mesmo, independente do tamanho do buraco em que está ou da montanha que se põe em sua frente. Mostrou-se como um dos maiores exemplos de resiliência do cenário, passou por altos e baixos, caiu muitas vezes, mas também sempre se levantou. Enfrentou as adversidades, calou haters e colocou o sorriso no rosto de muitos fãs.

Conquistou corações internacionalmente, alcançou o reconhecimento de jogadores que antes eram apenas inspirações, deixou sua marca dentro do jogo ao receber homenagens e orgulhou seu avô Joel mais vezes do que (talvez) planejava ao levantar o troféu de campeão brasileiro seis vezes. representar o Brasil no Worlds duas (com mais duas participações internacionais no All Stars) e se tornar a figura que é hoje.

Ontem, colocou uma lágrima no rosto de cada brasileiro que o acompanhou direta ou indiretamente nos últimos anos - seja ela de tristeza de ver uma figura tão importante “se despedindo” ou de felicidade por ver o tanto que você fez por nós - e abriu o caminho para que novas lendas possam aparecer.

Nos últimos anos tornou-se empresário e CEO de uma das maiores lojas de streetwear brasileira, a Rexpeita, encontrou-se no boxe e também na música. Fez sua presença ser notada em cenários que antes eram considerados quase que uma utopia para os atletas de esports e conheceu e se aproximou de outros grandes nomes que hoje se destacam em diversos outros cenários.

Maior do que qualquer um ousou ser, brTT abraçou a comunidade, levou o lolzinho brasileiro para um outro nível e ajudou o principal campeonato da modalidade, o CBLoL, chegar ao nível que chegou, isso é inegável. Se tornou digno de receber um pesado título que acredito que apenas ele merece, de fato, carregar: o de pai do cenário.

No último ano, quase matou todo mundo do coração e fez o cenário parar em uma possível despedida e na noite desta terça-feira (23) o fez parar novamente ao vê-lo dar a notícia que muitos não queriam ouvir, mas que era necessária. Durante o Prêmio CBLoL 2021, fez milhares de espectadores olharem atentamente para a tela, ouvindo com atenção cada palavra dita naquele momento, assim como um filho ouve com atenção as palavras de um pai.

Por muito tempo brTT mostrou-se durão, exatamente como uma figura paterna que busca proteger seus filhos da verdade e procura mostrar-se forte nos momentos mais difíceis, mas ontem deixou transparecer a fragilidade de um homem que a muito tempo vem segurando emoções para si mesmo e a maturidade de um jogador que aprendeu muito com tudo aquilo que passou durante seus últimos 10 anos competindo.

Isto não o torna mais fraco, na verdade o torna ainda mais forte, reforçando ainda mais o vínculo criado ao longo dos anos com sua legião de fãs.

Dar adeus é difícil, mas agora é hora do pai descansar. Se esse será o fim de um ciclo ou apenas uma pausa para um recomeço brilhante, apenas o tempo dirá, mas é um descanso merecido para alguém que alcançou patamares que, sinceramente, são difíceis de ver alguém além dele chegando. Obrigado pelos ensinamentos e por ajudar o cenário a chegar onde chegou.

A pergunta que fica para o cenário de League of Legends com a pausa indefinida do lendário atirador é “Quem será o próximo brTT?”, e para mim, a resposta é simples: ninguém. Arrisco dizer que não teremos alguém com o brilhantismo e a influência que o carioca chegou a ter nesse cenário. É algo extremamente difícil.

Chegou a hora dos filhos passarem a caminhar com suas próprias pernas, assim como alguns já começaram a fazer, para mostrarem tudo o que aprenderam e darem orgulho ao pai. A saída é indefinida e a promessa de uma volta já foi feita, é questão de manter a casa arrumada até lá. A porta sempre estará aberta.

Você pode ser o maior fã do brTT ou até não gostar dele, mas uma coisa é certa: a história tem que ser rexpeitada!