<
>

Hugzord exalta 'sangue novo' do elenco da Black Dragons pra disputa do BR6

play
"O Brasil ter vencido um campeonato mundial, mostra que o cenário é consolidado", diz diretor de Rainbow 6 (4:45)

Ao ESPN Esports, o responsável pela marca do jogo, Alexandre Remy, revelou que a Ubisoft tem planos de voltar a promover torneios no País e como a empresa enxerga o cenário nacional (4:45)

A organização brasileira com mais tradição no Rainbow Six Siege, a Black Dragons entra para a disputa do Brasileirão da categoria tendo que mais uma vez se provar.

Na última edição, os Dragões até se classificaram para os playoffs, mas caíram logo no primeiro confronto decisivo. Ao passo que no cenário internacional, tendo em vista as disputas recentes da Pro League, a equipe sempre deixou a desejar - na última edição, o time ocupou apenas a sexta posição da tabela.

Para o BR6 2020, a BD aposta no “sangue novo” do trio Hornetao, Patoxy e Lagonis para ter uma boa campanha na elite nacional. É como avalia Hugzord, um dos jogadores mais veteranos da atual formação.

“Acho que a maior vantagem que eles nos trazem é o fator ‘sangue novo’. Eles chegam com bastante vontade de vencer e são extremamente dedicados”, avaliou em entrevista exclusiva ao ESPN Esports Brasil. “Sei que farão o possível para estarem em alto nível sempre.”

Até mesmo por ser a primeira vez dos três jogadores citados no Brasileirão, Hugzord entende a importância que ele e pzdd, outro jogador com vasta bagagem na carreira, têm para o elenco.

“Eu e o pzdd estamos dispostos a oferecer toda a nossa experiência para que os outros atletas se encontrem e evoluam da forma mais rápida e eficiente possível”, explicou.

SEM TEMPO, IRMÃO

Até mesmo pela importância da organização no R6, o elenco da Black Dragons não perdeu tempo para se adaptar ao novo calendário competitivo firmado pela Ubisoft.

“A preparação começou dias depois do término da Pro League e tentamos entrar o mais cedo possível no ritmo”, comentou o técnico sSeiiya.

Se o cenário como um todo ainda não tinha uma ideia de como seria o novo calendário, pelo menos a BD já tinha em mente quais erros precisavam ser arrumados internamente para, quando o BR6 fosse devidamente anunciado, eles já estivessem em outro nível.

“Nosso treinamento é focado agora para que consigamos performar bem em qualquer cenário in-game, tanto em treino quanto no jogo, para identificarmos e reduzirmos os erros cometidos o mais rápido possível”, analisou. “A lição que a Pro League nos deixou é que cada jogo é um jogo e que, para cada partida, nosso mindset precisará ser diferente, nos blindando, desta forma, de surpresas que possam ocorrer ao longo dos jogos.”

Os ajustes da Black Dragons serão testados já na estreia do BR6, que começa na quinta-feira (2). No encerramento do dia, previsto para às 17h (de Brasília), a BD terá pela frente a equipe do Santos.

QUANTO MAIS R6 MELHOR

O cenário competitivo de Rainbow Six foi totalmente reformulado. A parceria com a ESL foi encerrada e agora a Ubisoft assumirá a operação global, com cada região se adequando às suas necessidades e com a possibilidade ainda de trabalhar com parceiros.

Só em 2021 que a Ubisoft conseguirá implementar todos os estágios planejados para o circuito profissional de R6. Por isso, o ano de 2020 terá um calendário de transição.

Além disso, a empresa precisou realizar algumas alterações dentro do planejamento. A mais recente e significativa foi o cancelamento do Six Major de agosto, que foi regionalizado. Dessa forma, haverá um “Major brasileiro” no mesmo período.

O ESPN Esports Brasil vem trazendo reportagens especiais sobre a nova fase competitiva de R6 promovida pela Ubisoft ao longo das últimas semanas. Confira: