<
>

'Libertadores', Majors e Invitational: Entenda o circuito internacional do novo competitivo de R6

Novo formato competitivo de Rainbow Six traz novos torneios e possibilidades Ubisoft

A Ubisoft anunciou nesta quarta-feira (20) as novidades sobre o novo competitivo de Rainbow Six Siege.

Se o Brasileirão virou o principal torneio do país na categoria, ele é apenas o primeiro passo na jornada rumo ao título mundial. Ser um dos destaques nacionais é necessário para que o time esteja apto a jogar competições internacionais.

Como afirmou Marcio Canosa, diretor de esports da Ubisoft para a América Latina, em entrevista exclusiva ao ESPN Esports Brasil, o novo competitivo tem como missão deixar “tudo interligado e com caminho bem claro para todos os time sobre onde você pode chegar”.

Basta olhar para o cenário brasileiro. O BR6, que contará com Liga Six e Série B como divisões de acesso, dará vaga para a Copa Elite Six, que retorna em caráter continental. Ou seja, os times nacionais terão que enfrentar os melhores classificados dos campeonatos Mexicano e Sul-Americano para disputarem os Majors.

O novo sistema adotado pela Ubisoft segue modelo semelhante do aplicado pela FIFA no futebol global. Com o fim da Pro League, o competitivo de R6 direciona para um único fluxo possível: ter destaque de âmbito regional (Liga Six e Série B), chegar à elite nacional (BR6), ser um dos melhores para representar o país de forma continental (Elite Six) e, assim, ter a chance de ser campeão mundial (Major).

Em paralelo, a Ubisoft aplicará um sistema de ranking global que definirá os participantes do Six Invitational tendo em vista o desempenho das equipes por região durante as etapas continentais e mundiais. Cada etapa terá peso diferente na distribuição dos pontos.

LIBERTADORES DE R6

A Copa Elite Six retorna ao cenário competitivo do FPS da Ubisoft agora em caráter continental. O torneio veio para, definitivamente, desenvolver o cenário latino-americano de R6.

Até então, quando as operações também estavam divididas com a ESL, a região contava com a Pro League LATAM, mas que só tinha a presença de equipes brasileiras. A situação, inclusive, gerava conflito de interesses, como admitiu Marcio em conversa durante o Central Esports, já que as mesmas equipes da Pro League disputavam paralelamente o BR6.

Com a Copa Elite Six, dois problemas de antes são resolvidos: o Brasileirão ganha a determinada importância como o principal torneio do país; e o cenário latino-americano, enfim, tem chances de se desenvolver.

Dessa forma, a “Libertadores de R6” contará com oito equipes, que chegarão por meio dos campeonatos Brasileiro, Mexicano e Sul-Americano. O BR6 já contou com três edições, enquanto o torneio do México teve uma temporada até o momento.

A novidade fica para o Campeonato Sul-Americano, que reunirá organizações de Argentina, Chile, Colômbia Peru e Uruguai.

A distribuição de vagas destinadas para cada campeonato nacional em 2020 segue com: cinco vagas para o BR6; duas para o Campeonato Mexicano; e uma para o campeão sul-americano.

“Os times brasileiros vêm competindo internacionalmente já há três anos. A gente conhece a capacidade deles de disputar esses torneios internacionais. Os outros times da América Latina ainda não tiveram essa oportunidade”, justificou Marcio Canosa sobre o número de vagas direcionadas para cada uma das regiões.

De acordo com próprio diretor, porém, a determinação é válida apenas para este ano. A Ubisoft irá sempre reavaliar antes do início da próxima temporada o desempenho das equipes na season passada.

Caso alguma outra região se destaque, ela ganhará mais vagas. “Se isso acontecer, se os times dessas outras regiões demonstrarem que estão no mesmo nível que o Brasil, que estão tirando vagas dos brasileiros, a gente vai fazer uma redistribuição de vagas para os próximos anos. Todo ano a gente vai reavaliar esse número de vagas.”

A primeira temporada está prevista para começar em 23 de julho, mas sempre tendo em vista as recomendações dos órgãos oficiais de saúde sobre a pandemia do novo coronavírus (COVID-19).

O FORMATO

Definidas as oito equipes participantes da Copa Elite Six, o torneio continental terá duas fases. Caso a realização seja possível, a fase de grupos está prevista entre 23 e 25 de julho. Serão três dias de confrontos com partidas no formato melhor de três mapas (MD3).

A etapa final está marcada para o dia 26, quando ocorrerão as semifinais e a grande decisão. As séries também seguirão como MD3.

Importante: as equipes que estiverem nos playoffs já estarão automaticamente classificadas para o Major.

A transmissão da Elite Six será em português e espanhol, e a ideia da Ubisoft é que a “Libertadores” ocorra em uma arena com capacidade para pelo menos 2 mil pessoas.

R6 REFÉM DA PANDEMIA

A Ubisoft tem em vista a situação da pandemia do novo coronavírus (COVID-19) para a realização dos eventos internacionais. Diferente do Brasileirão, que poderá ser feito de forma online, a Elite Six e os Majors deverão sofrer ainda mais com a crise de saúde.

“Muito provavelmente se a situação do coronavírus não melhorar, os eventos internacionais, como Elite Six e Major, esses serão revistos sendo adiados ou cancelados dependendo da situação”, lamentou Marcio.

“Prioritário sempre é a vida das pessoas”, reforçou o diretor da Ubisoft. “Temos um planejamento e estamos vendo alternativas para concretizar tudo o que planejamos dentro das circunstâncias. Claro, tudo que venha a colocar em risco a saúde da pessoas, a gente não vai realizar. Obviamente iremos cancelar ou postergar. Mudar os planos.”

Ainda assim, Marcio afirmou que a Ubisoft adota cautela para determinar os próximos passos. “Ainda há tempo de planejar, organizar e realizar. Ainda há tempo, se a situação melhorar. “

MAJORS E SIX INVITATIONAL

Passada a Copa Elite Six, os representantes latino-americano terão as atenções direcionadas para a disputa dos Majors. Ao término de cada “Libertadores”, o calendário prevê um mundial.

O primeiro Major de 2020 está previsto para agosto. O torneio contará sempre com quatro equipes representantes de cada região, o que dá 20 times no páreo. Não há mais qualificatórios paralelos para a disputa de um Major.

SISTEMA GLOBAL DE PONTOS

Para essa etapa do competitivo, a Ubisoft determinou um novo sistema de pontos, que terá ordem global. Ou seja, cada região contará com um ranking que será levado em conta o desempenho dos times por meio da Elite Six e dos Majors.

Dessa forma, as quatro melhores equipes da Libertadores recebem pontos no ranking geral global dependendo da performance no Six Major. Pontos com peso maior. Os últimos quatro times, por sua vez, recebem pontos de acordo com a colocação na Elite Six.

Ciente da possibilidade de não se ter as disputas desses eventos internacionais, Marcio Canosa antecipou que a Ubisoft está com os planos traçados caso haja cancelamento das competições.

“A gente já criou uma forma de distribuir a pontuação sem a realização do Elite Six e sem a realização do próprio Major nessa primeira season”, garantiu. “Se for realizado o Major de novembro, estamos discutindo então de talvez dar um peso maior para a pontuação. Isso ainda não foi definido. Até mesmo porque não sabemos se o Major de novembro será realizado dependendo da situação.”

CALENDÁRIO DEFINITIVO

A partir de 2021, sempre tendo em vista a situação da pandemia, o calendário passará a ser completo.

Serão três Copas Elite Six, em abril, julho e outubro, e três edições do Six Major, em maio, agosto e novembro, passando por diversas cidades ao redor do mundo. O Six Invitational, que seguirá acontecendo tradicionalmente em fevereiro, será o grande encerramento do circuito remodelado.

RESUMINDO

O que você precisa saber, portanto, sobre o Cenário internacional de R6:

  • BR6 é apenas o começo rumo ao título mundial

  • Copa Elite Six retorna, mas agora em caráter continental; além do Brasil, México e países da América do Sul (Argentina, Chile, Colômbia Peru e Uruguai) estão no páreo da nova “Libertadores”

  • Com o novo competitivo, o fluxo adotado pela Ubisoft se torna: regional (Liga Six e Série B), nacional (BR6), continental (Elite Six) e mundial (Major); o Six Invitational contará com um ranking global em separado que levará em conta o desempenho pelas etapas continental e mundial

  • Temporada 2020 será de transição, com apenas duas edições da Elite Six e, por consequência, dois Majors; ao término de cada turno, o calendário prevê a disputa de um Major

  • Em 2021, o calendário será completo e normalizado, com a Libertadores em três edições e, por consequência, ocorrendo três Majors

  • É possível que os primeiros eventos internacionais sejam adiados ou cancelados por conta da pandemia de COVID-19; Elite Six começaria em julho e o Six Major em agosto

  • Elite Six terá duas fases; das 8 equipes participantes, 4 avançam para os playoffs (sendo que já essas já estarão confirmadas no Major); todos os jogos serão MD3

  • A classificação ao Six Invitational será possível por dois caminhos: sistema de ranking global, com pontos dependendo do desempenho do time nas etapas continental e mundial; um qualificatório em paralelo