<
>

Patrick Mahomes, Tom Brady, Derrick Henry... Qual dos oito principais recordes da NFL será quebrado em 2021?

play
Paulo Antunes analisa volta de Tim Tebow à NFL: 'Já está na hora de pendurar as chuteiras' (0:59)

Assista à análise completa sobre o tight end dos Jaguars no YouTube da ESPN Brasil! (0:59)

Não sabemos exatamente qual será o impacto da nova temporada de 17 jogos da NFL nos atletas, mas é fácil fazer algumas suposições.

Quero me concentrar no estabelecimento de recordes. 17 é mais que 16, e esse jogo extra vai facilitar aos jogadores a obtenção dos números necessários para baterem recordes. Praticamente todos os recordes significativos da temporada de 14 jogos foram apagados dos livros de recordes por um desempenho mais impressionante da campanha dos 16 jogos - com duas exceções, uma das quais discutiremos neste artigo.

Vamos analisar oito recordes em toda a NFL e analisá-los novamente tendo em vista a mudança para 17 jogos. Para alguns, não seria uma surpresa se uma nova marca fosse estabelecida em 2021.

Conteúdo patrocinado por Ipiranga, Mitsubishi Motors, Samsung Galaxy, C6 Bank e Magalu

Jardas Passadas

Recorde atual: 5477 (Peyton Manning, 2013)

Enquanto Manning mantém este recorde por uma jarda sobre a campanha de 2011 de Drew Brees, nenhuma outra temporada de qualquer outro quarterback está a menos de 200 jardas dos dois primeiros colocados.

Já vimos três quarterbacks com três estilos diferentes ultrapassar as 5000 jardas nas últimas três temporadas com Patrick Mahomes, Ben Roethlisberger e Jameis Winston, e existem vários quarterbacks que poderiam ameaçar o recorde de Manning com um jogo extra nesta temporada.

O favorito: Patrick Mahomes, Chiefs

Tem que começar com Mahomes, certo? Quando a liga anunciou a mudança para uma campanha de 17 jogos, eu construí uma simulação de e descobri que suas chances de superar 5477 jardas em um determinado ano saltaram de 2,3% em uma campanha de 16 jogos para 10,4% com 17 jogos. Ele chegou a 5097 jardas em sua primeira temporada completa como titular e depois somou 278 na vitória seguinte sobre os Colts, o que o teria levado a 5375 jardas em 17 jogos em 2018. É difícil imaginar que Mahomes conseguisse mais 103 jardas em uma temporada completa, especialmente com uma linha ofensiva melhorada?

Logo atrás: Dak Prescott, Cowboys

Prescott começou e terminou quatro jogos na última temporada antes de quebrar seu tornozelo no quinto. Nesses quatro jogos, ele acumulou 1690 jardas de passe. Nenhum quarterback na história da liga tinha sequer superado 1600 jardas nas primeiras quatro semanas da temporada antes do ano passado. Se Prescott tivesse mantido isso durante uma temporada inteira de 16 jogos, ele teria terminado com 6790 jardas, superando o recorde de passes com semanas de sobra sem sequer considerar a possibilidade de acrescentar um 17º jogo.

É claro que tirar conclusões a partir dessa amostra de quatro jogos não é tão fácil. Seu desempenho provavelmente teria diminuído no restante do campeonato durante com uma longa temporada. Os Cowboys jogaram atrás do placar durante a maior parte daquele primeiro mês, deixando Prescott em situações em que ele não teve outra escolha a não ser lançar várias vezes, e eles não devem ser tão ruins na defesa em 2021 como foram na última temporada. Ao mesmo tempo, ele fez isso atrás de uma linha ofensiva lesionada, e ele retorna com essa linha e com seus três recebedores principais para 2021. Uma maneira do proprietário da equipe, Jerry Jones, justificar esse contrato enorme? Fazer com que Prescott estabeleça um recorde de passes.

Tiro no escuro: Tom Brady, Buccaneers

Se você se lembra, a campanha de quebra de recorde de Manning veio em sua segunda temporada com os Broncos. No Ano 1, ele arremessou para 4659 jardas. Em seu primeiro ano com os Bucs, Brady arremessou para ... 4683 jardas. Obviamente não é tão fácil prever Brady dando um salto desse tipo, mas isso será depois que ele conseguir uma pré-temporada completa para trabalhar com Bruce Arians e com um ano inteiro de Antonio Brown jogando ao lado de Mike Evans e Chris Godwin. Não creio que Brady, de 44 anos, estabeleça o recorde de passes, mas quem sabe?


Touchdowns

Recorde atual: 31 (LaDainian Tomlinson, 2006)

A virada do século viu quatro running backs quebrarem esse recorde sucessivamente; Marshall Faulk (Rams) chegou a 26 em 2000, Priest Holmes (Chiefs) subiu para 27 em 2003, Shaun Alexander (Seahawks) chegou a 28 dois anos depois, e Tomlinson (Chargers) chegou a 31 na temporada seguinte. Parecia que íamos ver backs continuarem a terem temporadas fantásticas, mas desde então, nenhum back ultrapassou 21 touchdowns no total. Randy Moss conseguiu 22 touchdowns no ano seguinte para empatar o recorde de Jerry Rice, mas é mais provável que um back consiga chegar a 32.

Para chegar aos 32 touchdowns, o jogador vai precisar de muitas oportunidades. Tomlinson carregou a bola 348 vezes e foi alvo de passes 80 vezes. Vinte e oito de seus 31 touchdowns foram corridas. Quinze deles vieram de dentro da linha de 5 jardas, onde ele recebeu a bola 23 vezes. Precisaríamos de um back que fosse algo próximo a uma certeza para receber a grande maioria dos passes de sua equipe dentro das 5 jardas, ao mesmo tempo em que também seja um dos alvos como um recebedor. Existe um jogador que se destaque?

O favorito: Christian McCaffrey, Panthers

Apesar de ter perdido praticamente toda a temporada 2020 com uma lesão no tornozelo, McCaffrey ainda é o consenso nº 1 em geral nas escolhas dos fãs. A temporada 2019 de Christian é o tipo de perfil que você poderia esperar que se estivesse tentando construir uma campanha de 32 touchdowns; ele pegou a bola 403 vezes, incluindo 116 recepções e 21 toques na bola dentro da linha de 5 jardas. Ele marcou 19 touchdowns, o que deve lembrar o quão difícil é chegar a 31, quanto mais 32.

Logo atrás: Dalvin Cook, Vikings

Apesar de ter perdido quatro jogos e partes de vários outros ao longo dos últimos anos, Cook tem sido alimentado à força com toques valiosos perto da linha de gol. Nenhum jogador tem mais toques na bola dentro linha de 5 jardas nas últimas duas temporadas do que os 47 de Cook, e o único jogador dentro de 12 toques na bola dele durante esse período de tempo é Ezekiel Elliott. Sem surpresas, Cook também lidera todos os jogadores com 19 touchdowns dentro das 5 jardas desde então. Ele precisaria jogar todos os 17 jogos para ter uma chance, mas seu teto é astronomicamente alto, dado seu papel quando saudável.

Tiro no escuro: Joe Mixon, Bengals

Percebo que Mixon não está exatamente no radar nacional depois de ter perdido a maior parte de 2020 com uma lesão no pé, mas ele estava no ritmo de 373 toques antes de cair. Ele nunca fez grandes touchdown totais, mas ele tocou a bola 21 vezes dentro da linha de 5 jardas em 2019, o que o empatou na liderança da liga ao lado de Cook e McCaffrey. Com a saída de Gio Bernard, também parece que Mixon está com a bola no papel de corredor de três descidas, no que deveria ser um ataque melhorado.



Jardas corridas

Recorde atual: 2105 (Eric Dickerson, 1984)

Como você já sabe, o jogo mudou ao ponto de ser difícil para um running back conseguir o tipo de volume necessário para contestar Dickerson. A estrela dos Rams e Colts teve pelo menos 350 corridas quatro vezes em suas primeiras seis temporadas como profissional. Apenas três backs tiveram até uma temporada de 350 corridas na última década, e os dois primeiros - Arian Foster e DeMarco Murray - ambos sofreram lesões na temporada seguinte.

O terceiro é Derrick Henry, e eu não culparia você por achar que o RB contundido dos Titans fosse uma exceção a todos os tipos de regras. Ele correu com a bola 386 vezes entre a temporada regular e a pós-temporada em 2019. Ele correu com a bola 378 vezes na temporada regular há um ano, fazendo sua primeira campanha de 2000 jardas no processo, antes de somar mais 18 corridas na derrota nos playoffs para os Ravens.

Se eu voltasse do futuro e lhe dissesse que um back superou Dickerson em 2021 sem dizer quem foi, quem seria seu primeiro palpite? Claro que seria Henry.

O favorito: Derrick Henry, Titans

Henry pode elevar seu jogo ainda mais e atingir 2106? Vai ser difícil. Não temos evidências que sugiram que backs possam realizar esse tipo de trabalho na NFL moderna, além do próprio Henry. Os Titans podem ter protegido um pouco suas apostas trocando por Julio Jones, um movimento que aparentemente forçaria o Tennessee a um ataque de mais passes. Corey Davis teve 95 alvos em 14 jogos na última temporada, mas um Jones saudável poderia esperar ver a bola com mais frequência.

É mais provável que Henry termine abaixo de 300 corridas em 2021 do que superar as 350 novamente, mas mesmo com essa opinião, ele ainda está muito à frente do grupo aqui.

Logo atrás: Dalvin Cook, Vikings

O técnico do Minnesota, Mike Zimmer, talvez nada o agrade mais do que dar ao seu running back 400 corridas em uma temporada de 17 jogos. É difícil contar que Cook permaneça saudável durante toda a temporada, dado seu histórico de lesões, mas se você pegar os 17 jogos que ele jogou nos quais ele teve mais de 20 corridas, ele termina com 422 carregadas e 2120 jardas. Vai ser necessário esse tipo de trabalho para colocar qualquer um à frente de Dickerson, portanto, embora esses jogos não tenham sido consecutivos, não é impossível imaginar.

Tiro no escuro: Clyde Edwards-Helaire, Chiefs

Você se lembra dos jogos que os Chiefs jogaram contra os Bills e Texans durante a temporada regular de 2020? Vimos Mahomes e companhia enfrentar duas defesas que estavam perfeitamente felizes em deixar Mahomes passar a bola para seu running back de escolha. Edwards-Helaire correu com a bola 51 vezes para 299 jardas nesses dois jogos.

Os Chiefs reconstruíram radicalmente sua linha ofensiva nesta temporada, e se as equipes ficarem assustadas com Mahomes, talvez prefiram arriscar com a corrida. Não há nenhuma ameaça real ao tempo de jogo do Edwards-Helaire no time, então, embora eu não ache que o treinador Andy Reid queira dar a um running back 400 corridas, Edwards-Helaire tem mais chances de uma temporada espetacular do que você possa imaginar.

play
0:52

'Ataque mais dinâmico!'; Paulo Antunes analisa chegada de Julio Jones aos Titans e projeta temporada

Comentarista dos Canais ESPN falou sobre a força ofensiva da equipe de Tennessee

Jardas recebidas

Recorde atual: 1964 (Calvin Johnson, 2012)

No final, nenhum recebedor foi capaz de ultrapassar a barreira das 2000 jardas em um intervalo de 16 jogos. Johnson chegou mais perto, enquanto teve 204 alvos para ficar a 37 jardas de 2000 A estrela aposentada dos Lions foi a única a ultrapassar 1900 jardas, com Julio Jones, Jerry Rice e Antonio Brown cada um com no máximo 1800 jardas. As estatísticas de passes subiram nas últimas décadas, mas Johnson ainda tem uma folga confortável entre ele e os que vêm atrás.

É claro, acrescente um 17º jogo e isso muda as coisas. No primeiro jogo após sua temporada de 1964 jardas, Johnson acumulou 37 jardas contra os Packers, o que lhe daria um total de 2000. Mude para o último jogo antes de sua temporada de 2012 e você adiciona uma performance de 244 jardas contra os Packers, no jogo Matt Flynn da Semana 17 da temporada de 2011. Johnson teria produzido 2.208 jardas em uma temporada de 17 jogos. Alguém vai chegar a 2000 jardas, mas pode não ser em 2021.

O favorito: Stefon Diggs, Bills

Formando uma conexão instantânea com o quarterback Josh Allen, Diggs liderou a liga em alvos (166), recepções (127) e jardas recebidas (1535) há um ano. Os Bills têm mostrado uma propensão ao passe quando necessário, e com uma diferença de 2,4 vitórias entre sua campanha esperada e campanha real há um ano, Allen e companhia podem ter um motivo para lançar ainda mais frequentemente se os Bills estiverem em jogos mais competitivos este ano.

Diggs era alvo em 30,2% das jogadas sem John Brown em campo na última temporada, e Brown está agora no Raiders. Existe a chance de uma temporada ainda maior em 2021.

Logo atrás: Michael Thomas, Saints

Com Drew Brees saudável, Thomas seria claramente favorito aqui, dado que ele obteve um recorde da NFL de 149 passes de Brees com 185 alvos em 2019. Na última temporada, Thomas foi afastado por uma contusão no tornozelo antes de Brees se aposentar, deixando a situação do quarterback incerta em Nova Orleans.

Thomas ainda deve ser o maior dos alvos, com Emmanuel Sanders e Jared Cook deixando a cidade, mas esses alvos podem não ser tão fáceis de serem pegos com Jameis Winston e Taysom Hill os lançando. Se Thomas está de volta ao seu normal de 2019 e Winston começa todos os 17 jogos, cuidado.

Tiro no escuro: Calvin Ridley, Falcons

O rival de Thomas na NFC Sul também pode estar preparado para uma temporada extensa após os Falcons terem se livrado de Jones. Ridley foi alvo em 19,9% dos lançamentos quando Jones estava no campo há um ano, mas sem o futuro Hall of Famer entre as linhas, sua taxa de alvo saltou para 30,8%. Kyle Pitts vai suportar parte do trabalho deixado pela saída de Jones, mas o novato tight end acaba quase sempre decepcionando.

Ridley pode ter o caminho mais claro para 200 alvos de qualquer um na liga além de Thomas, embora ele tenha feito uma cirurgia no pé nesta primavera.


Touchdowns não ofensivos

Recorde atual: 6 (Devin Hester, 2006 e 2007)

Hester pertence ao Hall da Fama. O único outro jogador na história da liga a produzir mais de quatro touchdowns não ofensivos em uma única temporada é Ken Houston, que teve cinco em 1971. Hester teve que ser criativo para atingir sua marca; através daquele notável início de dois anos de carreira, o destaque dos Bears marcou em sete punts, quatro kickoffs e um field goal errado. (Ele acrescentou mais dois touchdowns como recebedor e anotou um TD no pontapé inicial do Super Bowl XLI para ao time da casa).

Hester foi um incrível retornador, e os Bears lhe deram muitas chances. O cornerback em tempo parcial e o wide receiver retornou 47 punts e 20 chutes em 2006, depois acrescentou 42 punts e 43 kickoffs em 2007.

Sendo parcialmente responsável pelas mudanças nas regras de pontapé inicial da liga, apenas dois jogadores retornaram mais de 20 kickoffs e punts durante a campanha de 2020: Andre Roberts do Buffalo e Ray-Ray McCloud do Pittsburgh. A grande maioria das equipes também usa os receivers como seus principais retornadores, limitando suas chances de ter um jogador somado a este total com um ou dois pontos defensivos.

O favorito: Jamal Agnew, Jaguars

Os Jags deram a Agnew um acordo de três anos e US$14,2 milhões (R$ 71 milhões) para deixar os Lions na free agency, sugerindo que o novo treinador, Urban Meyer, não tem dúvidas sobre a necessidade de contratar o jogador de 26 anos como o retornador de sua equipe, tanto nos punts quanto nos chutes. Agnew tem cinco touchdowns na carreira em retornos e é um dos 11 jogadores ativos com um TD de retorno de punt e de chute.

Logo atrás: Andre Roberts, Texans

O veterano retornador pode não ter a velocidade impressionante de alguns jogadores mais jovens, mas espera-se que Roberts consiga todas as tarefas de retorno para uma equipe que deverá estar em campo em 2021. Os Texans são uma bagunça em muitos aspectos, mas eles investiram na contratação de jogadores com competência de special teams nesta offseason, de modo que eles podem ser melhores lá do que alguns esperam.

Tiro no escuro: Jabrill Peppers, Giants

Parece improvável escolher um jogador com zero touchdowns na carreira para este recorde, mas Peppers é um dos poucos defensores no campeonato que podem ser o principal retornador de sua equipe. Um dos jogadores adquiridos por Odell Beckham Jr., Peppers retornou 15 dos 20 punts para os Giants há um ano. Ele também serviu como um retornador de chutes para os Browns antes da troca do OBJ. Peppers anotou cinco TD’s na faculdade em Michigan, mas todas essas pontuações vieram em jogadas de corrida. Ele precisaria de alguma combinação de retornos e jogadas defensivas para se sair bem.


Pontos extras

Recorde atual: 75 (Matt Prater, 2013)

Para chutar muitos pontos extras, é claro, sua equipe tem que marcar muitos touchdowns. Os Broncos de 2013 marcaram 76 deles, mais que qualquer equipe na história da liga, em parte porque eles eram tão dominantes na red zone; marcaram touchdowns em 76,3% das vezes em que chegaram às 20 jardas finais do campo. E eles tentaram a conversão de 2 pontos apenas uma vez naquela temporada, dando ao Prater 75 tentativas da linha de 2 jardas no ar rarefeito de Denver. O veterano fez 75 de 75.

O 17º jogo dará às equipes uma oportunidade extra de fazer touchdowns, mas algo mudou desde os 75 de 75 de Prater. A liga recuou os extra points para a linha de 15 jardas, e o aproveitamento diminuiu, apesar de ainda serem oportunidades mais favoráveis para os jogadores. Os kickers passaram de 99,6% de suas tentativas de pontos extras em 2013 para 93% há um ano.

Seis ou sete pontos percentuais podem não parecer muito, mas com uma taxa de conversão de 99,6%, as chances de um kicker atingir 75 por 75 são de 74%. Com uma taxa de 93%, as chances de um chute de 75 por 75 caem para 0,4%, o que significa que provavelmente precisaremos ver um chutador ter 77 ou 78 oportunidades para acertar 75 chutes.

O favorito: Harrison Butker, Chiefs

Os Chiefs tiveram oscilações na red zone durante a era Patrick Mahomes. O time de 2018 converteu 71,8% de suas oportunidades em touchdowns, a segunda melhor taxa, mas o aproveitamento caiu para o 20º melhor em 2019 e o 14º em 2020. Eles atingiram pouco mais de 69% de suas tentativas na pós-temporada, incluindo partidas incríveis tanto em 2019 quanto em 2020, antes da derrota para os Bucs.

Dadas as melhorias feitas em sua linha ofensiva e seu domínio nas outras 80 jardas, os Chiefs têm a melhor chance de marcar mais de 75 touchdowns nesta temporada.

Logo atrás: Justin Tucker, Ravens

Tucker seria a escolha popular como o melhor kicker da liga, e mesmo depois de quebrar sua marca de pontos extra em 2018, o quatro vezes All-Pro atingiu uma taxa de conversão melhor do que Butker. O problema é que os Ravens, com Lamar Jackson no comando, tentam mais conversões de dois pontos do que Kansas City.

Tiro no escuro: Matt Gay, Rams

A revelação de Utah foi 16 por 16 em extra points depois de se juntar aos Rams, que estão entusiasmados com seu ataque depois da chegada de Matthew Stafford. Gay também terá o benefício de jogar seus jogos em casa nas condições confortáveis de Los Angeles, enquanto quatro de seus nove jogos fora de casa serão disputados em estádios fechados.

play
3:00

Paulo Antunes elege os 7 jogadores que mais devem evoluir na temporada da NFL; veja

Comentarista dos canais ESPN fez uma lista com 7 jogadores que devem ter a "temporada de evolução" em 2021

Fumbles

Recorde atual: 23 (Kerry Collins, 2001, e Daunte Culpepper, 2002)

Este recorde é tipicamente dominado por quarterbacks, e embora esteja nos livros há quase 20 anos, estamos vendo alguns concorrentes para o título aparecerem ao longo das últimas duas temporadas. Um dos detentores do recorde foi um quarterback do Giants, por isso pode ser apropriado que um de seus sucessores seja o favorito para assumir o cargo.

O favorito: Daniel Jones, Giants

Para dizer isto educadamente, Jones tem sido uma fábrica de fumbles para os Giants durante suas duas primeiras temporadas na NFL. O ex-quarterback da Duke liderou a liga em ambas as temporadas, 2019 (18) e 2020 (11), apesar de jogar apenas 12 jogos completos em 2019 e 13 na última temporada. Ele tem 29 fumbles em 25 jogos de carreira; durante uma temporada completa de 17 jogos, isso iria aumentar para 19,7, levando Jones ao recorde. E embora os fãs dos Giants possam estar inclinados a esquecer 2019, considere o que aconteceu com nosso vice-campeão...

Logo atrás: Carson Wentz, Colts

Wentz liderou com 14 fumbles como novato, e depois de parecer ter melhorado com nove fumbles tanto em 2017 como em 2018, o ex-titular dos Eagles teve mais 16 fumbles em 2019 e 10 em 11 jogos em 2020.

Nunca há garantia de que Wentz conseguirá jogar uma temporada completa - e uma linha ofensiva melhorada em Indianapolis ajudaria - mas o ex-candidato ao MVP tem constantemente colocado a bola em perigo ao longo de sua carreira.

Tiro no escuro: Justin Fields, Bears

O antigo astro de Ohio State não fez um péssimo trabalho protegendo a bola na faculdade, sofrendo só 12 fumbles em mais de duas temporadas como titular, mas as circunstâncias podem fazer dele o favorito dos cinco quarterbacks da primeira rodada para liderar o grupo em fumbles. É provável que Fields tente mais corridas do que qualquer outro novato. Ele também está jogando atrás da pior linha ofensiva no papel.


Intercepções

Recorde atual: 14 (Dick Lane, 1952)

O recorde de interceptações do "Night Train" Lane está se aproximando de seu 70º aniversário, e a menos que haja uma mudança drástica na forma como o jogo é jogado, ele deverá ser capaz de manter esse recorde por mais 70 anos. Em 2020, a NFL como um todo registrou uma taxa de interceptação de 2,2%, a mais baixa da história do campeonato. Quando Lane estabeleceu sua marca, a taxa de interceptação em todo o campeonato foi de 7,4%. As equipes lançam com mais frequência agora do que na época, mas as taxas de passes completos aumentaram drasticamente.

Tudo isso torna as 10 interceptações de Xavien Howard em 2020 ainda mais impressionantes. Para contextualizar, suas 10 intercepções representaram 2,5% de todas as intercepções geradas na NFL na última temporada. Ninguém pegou uma proporção maior delas nos últimos 60 anos. Seria uma surpresa se alguém conseguisse superar as 10 de Howard nesta temporada, e muito menos chegar a 15.

O favorito: Xavien Howard, Dolphins

A estrela do Miami liderou a liga em intercepções duas vezes nos últimos três anos, empatado na liderança com sete em 2018 antes de atingir 10 há um ano. Os Dolphins também são fortes na posição de cornerback, portanto, as equipes não podem simplesmente evitar lançar para Howard, que foi alvo 101 vezes no ano passado. O único problema tem sido sua saúde, já que ele perdeu 24 jogos durante suas primeiras cinco temporadas.

Logo atrás: Marcus Peters, Ravens

As taxas de interceptação não são iguais de ano para ano, mas já temos algumas evidências de que Peters tem mais probabilidade de interceptar passes do que a média dos outros cornerbacks. Ele liderou a NFL com oito interceptações como novato e tem um total de 31 durante suas primeiras seis temporadas. Os Ravens também prometem ser uma das melhores equipes da liga, o que geralmente gera mais oportunidades contra times que tentam se recuperar no placar lançando passes nos segundos tempos.

Tiro no escuro: Antoine Winfield Jr., Buccaneers

Geralmente é mais difícil para um safety conseguir grandes números totais de interceptações do que cornerbacks, mas o papel de Winfield com os Bucs fica entre as duas posições. Tampa enfrentou mais tentativas de passes do que qualquer outra equipe nos últimos dois anos, devido a um ritmo louco nos jogos de Jameis Winston em 2019 e seu sucesso com Tom Brady em 2020. Espera-se que o time seja novamente um candidato em 2021, e mesmo que Winfield tenha tido apenas uma interceptação como novato, a estrela em ascensão somou sete interceptações em sua última temporada universitária com Minnesota, em 2019.