<
>

Mais novo milionário da NFL, running back dos Ravens fugiu de guerra na África graças a loteria

play
'Ataque mais dinâmico!'; Paulo Antunes analisa chegada de Julio Jones aos Titans e projeta temporada (0:52)

Comentarista dos Canais ESPN falou sobre a força ofensiva da equipe de Tennessee (0:52)

Running back do Baltimore Ravens na NFL, Gus Edwards estava prestes a assinar sua renovação de dois anos por US$ 10 milhões (R$ 50 milhões) na última segunda-feira (07) quando decidiu pegar seu telefone e compartilhar o momento com seu pai. "O que é loucura é que meu pai realmente está na Libéria neste momento", disse Edwards. "Ele falou: 'Estou em casa agora mesmo'".

Edwards viveu na Libéria até os cinco anos de idade, quando imigrou para os Estados Unidos com sua mãe. A tia de Edwards teve a sorte de ir para os EUA depois de ganhar um sorteio de loteria que fazia parte do programa Diversity Visa (Diversidade de Vistos, em tradução livre), e a família decidiu que o pai e a irmã de Edwards seriam os dois membros que a acompanhariam. Alguns anos depois, Edwards se juntou a eles, fugindo do país durante a Segunda Guerra Civil Liberiana.

*Conteúdo patrocinado por Ipiranga, Mitsubishi Motors, Samsung Galaxy, C6BANK e Magalu

Aos 26 anos, Edwards não se lembra muito de seu tempo na Libéria, exceto de ter tirado suas fotos de despedida em seu último dia lá. Na última segunda-feira (07), ele postou uma foto no Instagram de seu pai em frente à sua casa de infância, que mostrava os degraus de concreto quebrados e a deterioração das paredes de blocos de concreto. Edwards assinou então seu novo acordo com Baltimore, que lhe deu um bônus de assinatura de US$ 3,75 milhões (R$ 18 milhões), bem como a sensação de que sua “jornada” estava chegando ao fim.

"Foi simplesmente fantástico - só de ver as ‘peças’ se juntando", disse Edwards. "Tem sido uma bênção".

Edwards é um velocista que sabe punir o adversário quando tem oportunidade, fazendo parte do único ataque da NFL que já totalizou mais de 3.000 jardas corridas em temporadas consecutivas. Ele tem sido frequentemente subestimado, mantendo uma personalidade discreta enquanto joga por trás de jogadores como Mark Ingram II e J.K. Dobbins.

Mas poucos jogadores têm sido tão eficientes quanto Edwards. Dos 31 jogadores que correram com a bola pelo menos 400 vezes nas últimas três temporadas, apenas dois tiveram uma média de mais jardas por jogada do que Edwards (5,20): o ex-MVP da NFL Lamar Jackson (6,0) e o running back Nick Chubb (5,23), duas vezes Pro Bowl.

"Ele merece muito mais crédito do que recebe", disse o tight end Mark Andrews, no final da última temporada. "Ele é o coração e a alma de nossa equipe com tudo o que faz, a maneira como ele corre com a bola. Ele foge da marcação para a esquerda e para a direita. Ele é um monstro".

Da mesma forma que ele luta por cada jarda, Edwards teve que lutar por seu lugar em Baltimore depois de ter sido a 5ª opção de running back do time três anos atrás. Não draftado da Universidade de Rutgers em 2018, Edwards foi cortado antes da temporada regular, pois os Ravens mantiveram Alex Collins, Buck Allen e Kenneth Dixon como running backs.

play
0:27

Recém-aposentado da NFL, Greg Olsen posta vídeo do filho de 8 anos contando aos amigos que conseguiu doação de coração

Via Instagram @gregolsen88 | TJ Olsen realizou um transplante de coração na última semana

Edwards foi contratado pela equipe de treino dos Ravens, mas ele teve que esperar com paciência por uma oportunidade. Quando Dixon foi para a reserva com uma lesão no joelho após a abertura da temporada, Baltimore promoveu De'Lance Turner ao invés de Edwards para substituir Dixon.

Só no início de outubro, quando Turner machucou a parte posterior da coxa, é que Edwards foi colocado no grupo dos 53 jogadores. E não jogou até que Jackson assumiu como quarterback principal no meio da temporada, foi aí que Edwards conseguiu uma chance para ser titular.

Adaptado instantaneamente ao ataque ‘option’ de Baltimore, Edwards registrou 654 jardas corridas nos sete jogos finais de 2018, ficando atrás apenas de Saquon Barkley e Derrick Henry naquele período.

"Ele é um cara que tem nossa torcida", disse o técnico dos Ravens, John Harbaugh. "Acho que ele se encaixa muito bem em nosso ataque e ele entende isso. Ele se encaixa muito bem, também, em nossa personalidade como equipe de futebol americano. Gostamos dele, da maneira como ele joga, e da maneira como ele se comporta. Ele é realmente o cara mais merecedor".

Nos últimos dois anos, os Ravens somaram ao backfield, contratando Ingram na free agency em 2019 e draftando Dobbins na segunda rodada em 2020. Mas Edwards continuou jogando recebendo oportunidades, conseguindo um first down em 30,9% de suas jogadas desde 2018.

"Ele é uma pessoa que, com certeza, quando você estiver precisando [dele], você tem que se segurar e se preparar, porque Gus é conhecido como 'Gus the bus' (Gus, o ônibus) por uma razão", disse Patrick Queen, linebacker dos Ravens. "Ele conquistou isso".

Como free agent restrito, Edwards poderia ter testado o mercado após a temporada. Em vez disso, ele fez um acordo com o Baltimore que o coloca entre os 20 running backs mais bem pagos da liga em média por ano.

Ficar em um lugar onde se sente em casa, especialmente com o caminho que Edwards percorreu, significa muito para ele.

"Sinto que tenho negócios inacabados aqui", disse Edwards. "Estou confortável, estou feliz aqui e isso tem funcionado para mim. De uma forma ou de outra, eu desejava ficar. Simplesmente sou abençoado".