<
>

NFL: Os bastidores da briga no vestiário do New York Jets entre Geno Smith e IK Enemkpali em 2015

play
Fim dos Redskins: time de Washington na NFL revela números em vez de logo nos capacetes (0:16)

Franquia segue sendo chamada de Washington Football Team enquanto novo nome não é definido (0:16)

Em 11 de agosto de 2015, o técnico Todd Bowles entrou na sala de imprensa do New York Jets - sem aviso prévio - e foi direto para o pódio. Os repórteres foram convocados para uma entrevista coletiva improvisada. Era para ser um dia tranquilo no mundo dos Jets: um treino leve antes do primeiro jogo da pré-temporada da NFL, seguido por perguntas de rotina.

O silêncio se foi na hora do almoço.

Enquanto os repórteres se reuniam, um deles perguntou a Bowles se isso seria algo que valeria a pena registrar. Ele disse que sim.

"Você vai querer um gravador para isso", disse ele, conseguindo sorrir.

Com isso, Bowles ficou sério e anunciou que o quarterback Geno Smith perderia pelo menos seis semanas com uma mandíbula fraturada, resultado do que Bowles chamou de um soco de IK Enemkpali, também jogador dos Jets, no vestiário.

Em uma hora, vários caminhões de notícias se amontoavam sobre as instalações suburbanas dos Jets em Florham Park, Nova Jersey. Os repórteres de TV ocupavam o pequeno gramado do lado de fora da sala de imprensa, fazendo participações ao vivo para o noticiário das 18h00. Na manhã seguinte, apareceu na primeira e última página dos jornais.

"QUEIXO SORTUDO! Torcedores dos Jets se alegram com afastamento de QB por 6 a 10 semanas”, polarizou o New York Daily News.

"QUEIXO E DESORDEM", disse o New York Post em sua última página.

O lugar mais seguro para um quarterback, além de sua própria casa, é considerado o vestiário, onde ele fica em um pedestal figurativo como o líder do time. Cinco anos atrás, a santidade do vestiário dos Jets foi destruída de uma forma chocante que transcendeu os esportes e devolveu a franquia ao status de piada. Como o apresentador Conan O'Brien brincou em seu monólogo: "Os Jets finalmente conseguem um jogador que bate bem e o mandam embora”. Enemkpali, um linebacker de 117kg selecionado na sexta rodada do draft de 2014, foi cortado imediatamente por Bowles. Smith foi submetido a uma cirurgia para reparar sua mandíbula, que foi fraturada em dois lugares. Ele passou o resto da temporada de 2015 no banco, enquanto a equipe prosperava sem ele. O veterano Ryan Fitzpatrick, adquirido em uma troca, substituiu Smith e levou o Jets a uma campanha de 10-6, a última temporada do time com mais vitórias do que derrotas.

Na ocasião, a equipe nunca falou em detalhes sobre o que aconteceu naquele dia, a não ser para explicar a causa da briga - uma briga por conta de 600 dólares. Não contar o que acontece no vestiário é como uma regra ao redor da liga. Continua sendo um assunto delicado para muitos, alguns dos quais se recusaram a ser entrevistados para esta matéria.

"Não posso ajudá-lo", disse um ex-jogador dos Jets em mensagem de texto.

Smith e Enemkpali recusaram os pedidos de entrevista, com Enemkpali perguntando à ESPN em uma mensagem no Facebook: "Qual é o sentido de falar sobre isso de novo? Qual é o motivo?"

Contatado mais tarde por telefone, Enemkpali disse: "Na verdade, não há muito para dizer. Aconteceu e pronto”.

Profissionalmente, Smith e Enemkpali - para sempre ligados - nunca se recuperaram daquele dia. Enemkpali, de 29 anos, está fora da liga. Smith, que também tem 29 anos, está como reserva do Seattle Seahawks. Enquanto eles preferem não falar sobre isso, outros vão - finalmente. Aqui está uma retrospectiva de cinco anos sobre a briga que abalou os esportes americanos:

Dois dias antes da estreia da pré-temporada dos Jets em Detroit, Smith - o provável titular – se arrumou para o treino em frente ao seu armário quando Enemkpali se aproximou do outro lado da sala. Sem o conhecimento da maioria de seus companheiros de equipe, os dois tinham um problema.

Meses antes, Smith havia aceitado o convite para participar do acampamento de futebol americano juvenil do Enemkpali em Pflugerville, Texas. Enemkpali desembolsou US $ 1.200 pela passagem de avião e hotel. Smith não apareceu. Eventualmente, eles concordaram em dividir o custo, disseram colegas de equipe. Em 11 de agosto, Smith ainda não o havia reembolsado.

Trevor Reilly, linebacker dos Jets: Já vinha crescendo há algum tempo. Não creio que Geno estivesse necessariamente tentando irritá-lo, só acho que estava no fim da lista de coisas com que se preocupar na época. Quando você está nesse nível, 600 dólares não são muita coisa.

Brandon Marshall, wide receiver dos Jets: Esse era o problema. [Smith] continuou adiando. Para Geno, o que era desrespeitoso era a pressão inteira. "Vou pegar você, vou pegar você, vou pegar você”. Acho que esse era o problema.

Reilly: Chegamos ao training camp e IK o perguntou sobre o dinheiro. Eu estava sentado bem ali; meu armário ficava ao lado de Geno. Geno meio que disse: "Relaxe, cara, esqueça isso. O que você vai fazer se eu não te pagar?"

Marshall: Eu me lembro de olhar para a minha esquerda e ver Geno meio que olhar como, "Ha, ha, ha". De repente ... bum! Geno está apoiado no armário.

play
0:16

Fim dos Redskins: time de Washington na NFL revela números em vez de logo nos capacetes

Franquia segue sendo chamada de Washington Football Team enquanto novo nome não é definido

Reilly: IK estende a mão para trás e o atinge - a todo vapor. Ele o atingiu basicamente com um cruzado no queixo. Geno caiu no meu armário e eu saí do caminho. Geno provavelmente estava ferido, mas eu dou crédito a ele. Ele foi para cima do IK, segurou ele e os caras tentaram separá-los.

Marshall: Eu olhei e o IK estava em cima do Geno [no] armário. E todos esses caras de linha ofensiva e defensiva estavam tentando separá-los. Eles simplesmente não conseguiam. Eu estava tipo, "M***". Lembro que Geno apareceu depois de um tempo, meio que segurando o queixo, com sangue nos lábios.

Bruce Speight, diretor de relações públicas dos Jets: Aconteceu muito rápido. Todos ficaram um pouco surpresos. Lembro que faltava uma hora para o treino começar e sabíamos que Geno não estaria lá com o time. Nosso objetivo era garantir que a notícia seria dada por nós antes que a imprensa soubesse.

Fitzpatrick: Os quarterbacks fizeram testes de doping naquele dia. Fui primeiro porque era mais velho e, quando entrei na sala, não tinha minha identidade comigo, então não me deixaram testar. Então, Geno entrou e fez o teste enquanto eu saía para pegar minha carteira. Esperei fora da sala até que ele terminasse e entrei. Quando saí do teste, alguém disse imediatamente: "Seu filho acabou de levar uma porrada no rosto". Então ele mencionou Geno pelo nome.

Reilly: Todos estavam no vestiário. Aconteceu tão rápido, cara. Nenhum de nós sabia o que estava acontecendo, a situação. De repente, o quarterback levou um soco no rosto. ... Meu pai e meu avô sempre me ensinaram: "Nunca fique entre dois homens adultos que estão brigando". Você não quer ser um dano colateral, então meu primeiro instinto foi sair do caminho.

Marshall: A temporada passou diante dos meus olhos. Eu realmente me senti mal pelo garoto. [Marshall estava tão envolvido na carreira profissional de Smith que se tornou um mentor e morou com ele naquela temporada.]

Speight: Me lembro de ficar mal pelo Geno porque ele estava prestes a entrar em um novo training camp, com um novo treinador, como titular. Ele tinha várias armas e havia muito otimismo sobre o que ele faria com aqueles caras.

play
0:37

Ex-astro da NFL, Chad Ochocinco, aos 42 anos, bate 40 km/h em arrancada na esteira

Ex-wide receiver impressionou durante treinamento

Marshall: [Geno] estava em choque. Eu também estava bravo a ponto de querer brigar com o IK. Eu estava tipo, "Que m***, você acabou de bater no nosso quarterback titular". Tipo, quem faz isso? [Risos] Você sabe que nem sempre tenho a cabeça no lugar. Eu estava tipo, "Vou dar um soco nesse cara”. Então eu fui até ele e vi seus olhos. Eles estavam vermelhos. Eu pensei, "Esse não é o cara com quem você quer mexer”.

Reilly: IK era meu colega de quarto quando éramos novatos [em 2014], então éramos bons amigos. O IK simplesmente cresceu diferente. Certa vez, ele me disse: "Na faculdade, se alguém me julgasse, íamos brigar". IK tinha uma mentalidade diferente.

Pepper Johnson, técnico da linha defensiva dos Jets: Você tenta dizer a esses caras como responder e como lidar com algumas dessas situações, mesmo sabendo o que poderia acontecer. É o atleta em nós. Você se sente um pouco invencível. Às vezes, você sente que pode lidar com muitas coisas. Essa foi uma situação que, infelizmente, acabou com um jogador se machucando.

Marshall: Eu lembro de falar com Geno no corredor e ele dizia, "Meu queixo". Ele está tentando mover a mandíbula. Eu falei, "Sua porra de mandíbula está quebrada?" Então eu agarrei sua boca e disse, "Abra." Eu provavelmente fui quem quebrei a mandíbula dele.

O técnico do Buffalo Bills, Rex Ryan, despedido pelos Jets apenas sete meses antes, alimentou a história alegando que Enemkpali tinha renúncias no dia seguinte. Isso gerou uma matéria de primeira página no New York Post:

"REX E O QUEIXO CAÍDO."

Em 12 de novembro, Ryan agitou as coisas novamente, tornando Enemkpali um capitão no retorno altamente antecipado do treinador ao MetLife Stadium. Ao fazer isso, Ryan, que treinou Enemkpali em 2014, transformou um linebacker reserva em um grande assunto no jogo de horário nobre. Muitos entenderam isso como uma indireta para os Jets.

Ryan: É engraçado como todo mundo fez disso algo grande, como se eu fosse algum tipo de vilão ou algo assim. Besteira.

Reilly: Essa foi a melhor parte da história: jogamos contra Buffalo e IK era o capitão. Rex Ryan, cara. Adoro.

Ryan: Todo mundo disse que eu o contratei porque ele socou o Geno. Cara, isso não teve absolutamente nada a ver com a contratação. Eu gosto dos dois garotos. Mas, literalmente, foi assim que todo mundo entendeu. Sinceramente, nunca me importei que as pessoas pensassem dessa forma. Precisávamos de jogadores. IK era um garoto que eu achava que tinha talento e poderia desenvolver. Não teve nada a ver com o que aconteceu com o Geno. O fato de eu tê-lo nomeado capitão, sim, foi de propósito. Mas eu fazia isso sempre que um jogador meu enfrentava uma ex-equipe.

Enemkpali durou apenas a temporada de 2015 com os Bills, mas nunca jogou outra partida da NFL. No ano seguinte, ele sofreu uma lesão no joelho e foi dispensado. Em 2017, ele falhou em uma tentativa de retorno com o Oakland Raiders. Ele se aposentou e tornou-se empresário imobiliário na área de Austin, Texas. A página inicial de seu site mostra uma foto dele vestindo seu uniforme dos Bills, mas não há menção aos Jets ou de sua carreira na NFL em sua biografia.

Smith foi substituído por Fitzpatrick, que estabeleceu um recorde de franquia com 31 passes para touchdown e levou os Jets a uma de suas melhores temporadas ofensivas. Uma vez considerado uma possível resposta de longo prazo na posição de quarterback, Smith passou as cinco temporadas seguintes como reserva para times como, New York Giants, Los Angeles Chargers e Seahawks, onde mais uma vez está pronto para servir como reserva de Russell Wilson.

Um soco mudou duas carreiras.

Ben Ijalana, offensive tackle dos Jets: Sinceramente, nem penso nisso. Eu não quero. Vidas foram alteradas.

Marshall: Acho que arruinou a carreira [de Smith]. Ele estava preparado para ter um ano realmente bom. Não acho que teria sido tão mágico quanto o ano que tivemos, mas aquele seria o momento de mostrar que ele era capaz de ser um titular. Isso foi tirado dele. ... Como você vê, ele não teve a oportunidade de ser um titular.

Reilly: Você quase poderia dizer que foi uma bênção disfarçada. Você nunca vai querer dizer isso sobre um cara tendo o maxilar quebrado. Quem sabe? Talvez tivéssemos jogado bem com o Geno. Mas a verdade é que o Fitz tomou conta da equipe assim que isso aconteceu.

Smith, em entrevista para a ESPN em 2016: Quando eu tiver 40, 50 anos, vou olhar para trás e me perguntar: "Que época da minha vida me fez um homem?" Acho que essa foi a época. Era tão fácil dizer: "Não foi minha culpa. Eu sou a vítima aqui e esse cara deveria ir para a cadeia”. Em vez disso, eu assumi a responsabilidade por todas as ações que tive naquela briga e escolhi deixar isso me alimentar para me tornar um homem melhor e um jogador melhor.

Ryan: Quantos jogos ele teria durado como titular? Eu não sei. Geno tem o que é suficiente para jogar como QB na NFL, não há dúvida sobre isso. Ele tem o braço, ele tem o tamanho e ele tem o corpo para isso. Achei que ele teria mais sucesso. Achei que ele iria melhorar. O fato de ele não ter tido a oportunidade de ser titular novamente, isso acontece. ... Mas ele leva isso para o lado pessoal - e eu não poderia ligar menos. [Smith e Ryan trocaram farpas publicamente nos últimos anos.]

Enemkpali, em entrevista para o NewYorkUpstate.com em 2016: Acho que é algo que nunca esquecerei. Mas as coisas são assim.

Reilly: Eu fui ao casamento do IK alguns anos atrás e conversamos sobre o incidente. Ele disse: "Cara, eu era jovem e estúpido na época, nunca faria isso de novo". Ele se arrepende disso, obviamente. Esse incidente provavelmente mudou sua vida de maneiras diferentes. Isso alterou sua carreira no esporte. Pessoalmente, acho que mudou sua vida. Você não pode fazer isso. Ele é um cara de sucesso agora, e tenho certeza que isso o ensinou muito.