<
>

Big Ben está pronto para assumir o raro e 'divertido' papel de azarão com os Steelers na NFL

play
Ex-jogador da NFL pratica vôlei 'só para os monstros' com bola medicinal; veja a loucura (0:12)

Via Instagram @jhharrison92 | James Harrison, ídolo dos Steelers, é famoso pelos treinos extremos (0:12)

PITTSBURGH - Ben Roethlisberger sorriu enquanto o repórter listava elementos do Pittsburgh Steelers que deveriam colocá-los na disputa pelo título da NFL nesta temporada.

Uma defesa de elite. Uma linha ofensiva veterana a cheia de jogadores All-Pro. Jogadores talentosos por todo lado. Um franchise quarterback.

E mesmo assim, como o repórter bem observou, os Steelers ainda são considerados azarões não apenas na disputa pelo Super Bowl, mas em sua própria divisão.

Ser um azarão não é algo que Roethlisberger experimentou com frequência em sua carreira, mas é um papel que ele está ansioso para desempenhar ao retornar de uma cirurgia no cotovelo que encerrou sua temporada de 2019-20.

"[Enquanto] você estava listando as coisas, eu só ia dizer que só precisamos de um quarterback agora, mas eu achei divertido", disse Roethlisberger com uma risada. "Eu conheço muitos caras que gostam de estar no topo e serem caçados. Às vezes é divertido ser o azarão”.

De acordo com as bolsas de apostas de Vegas, o Steelers tem chances 20% de chances de vencer a AFC Norte, terceira menor porcentagem atrás do Baltimore Ravens e do Cleveland Browns. É a “pior” porcentagem de chance de vencer a divisão desde que Roethlisberger assumiu como quarterback titular. Além disso, Vegas dá apenas 4% de chance de os Steelers levarem o Super Bowl nesta temporada.

Pode apostar que não vai faltar motivação no vestiário dos Steelers.

“Estamos falando de Ben Roethlisberger”, disse Vince Williams, linebacker dos Steelers. “Se ele está jogando e está saudável, ele é um QB de destaque nesta liga. Portanto, quando ele está saudável, nada prejudica o seu jogo”.

Roethlisberger retorna para uma divisão cheia de QBs promissores com um Troféu Heisman em seus currículos (Lamar Jackson, Baker Mayfield e Joe Burrow). Ele é mais velho do que os outros três por uma média de 14 anos, mas a temporada longe dos huddles rejuvenesceu o QB dos Steelers.

Ele entrou na temporada passada com ênfase em ser um líder melhor, já que os Steelers perderam Le’Veon Bell e Antonio Brown. Estar na linha lateral - embora não como ele preferiria passar a temporada – pode tê-lo ajudado a se desenvolver como líder. Roethlisberger teve uma percepção diferente do ataque ao observar como os jogadores se comunicavam entre si e como os treinadores interagiam.

"Pude ver mais do quadro geral", disse Roethlisberger. "Eu pude conversar mais com os caras, prestar mais atenção. Eu acho que foi benéfico."

Seus companheiros já conseguem perceber uma mudança positiva no QB dos Steelers.

"Ele está diferente este ano do que vi no ano passado", disse o recebedor Diontae Johnson. “Ele está mais animado. Ele está, tipo, ansioso para entrar em campo e jogar com a gente. Isso dá ainda mais vontade de jogar para ele.

"Essa é uma das coisas que tenho visto dele - ele se envolvendo comigo mais do que no ano passado. Ele não falava comigo deste jeito. Agora, nossa conexão só vai continuar crescendo. Estou tentando ajudá-lo a ganhar outro anel”.

Roethlisberger também retorna para uma equipe com uma defesa construída para apoiá-lo e aterrorizar os outros quarterbacks da divisão. Os Steelers vão voltar com 10 titulares da forte defesa do ano passado, incluindo Stephon Tuitt, que perdeu metade da temporada com uma lesão no músculo peitoral.

"Temos uma excelente defesa e estou entusiasmado com esse grupo", disse Roethlisberger. "Essa foi uma das grandes razões pelas quais eu estava animado em voltar para jogar. Eles permitem que você jogue mais livremente como quarterback. Estou animado com essa parte e, obviamente, com todos os jogadores talentosos que temos no ataque”.

"Podemos passar despercebidos. Estamos na offseason e ninguém sabe como vai ser a temporada. Vamos dar tudo que temos para vencer partidas”.