<
>

Prodigy e 'time B' da Furia serão as novidades entre os participantes do CBCS 2020

Furia herdou a vaga que era da Uppercut no CBCS Riot Games Brasil

A terceira temporada do Campeonato Brasileiro de Counter-Strike (CBCS) começará a ser disputada no próximo dia 19 com duas novidades entre os participantes. Skullz adotará o nome original da organização que a comanda, Prodigy, e Furia assumirá a vaga no torneio que pertencia a Uppercut. As informações foram apuradas pelo ESPN Esports Brasil.

Representantes e jogadores de ambas as equipes estiveram presentes no media training promovido pelo comitê organizador do CBCS, nessa segunda-feira (17), em São Paulo, conforme mostram fotos e publicações feitas por integrantes de outros times que vão disputar a liga e até mesmo por responsáveis pelo torneio.

A reportagem apurou que, da antiga formação do Skullz, apenas lukezera continuará no elenco. O jogador atuará ao lado do ex-Uppercut faintz, de ponter e da dupla formada por ryotzz e YJ que já defendeu a W7M. O quinteto já vem jogando junto desde o final de janeiro, como ex-skullz, e disputou recentemente as seletivas para o Major do Rio e para Flashpoint. A negociação envolvendo o time e a organização foi inicialmente revelado pelo CS Live.

Lembrando que a ProGaming precisou disputar o CBCS como Skullz para se adequar a uma regra da competição, conforme explicou o comitê organizador ao ESPN Espors Brasil em agosto do ano passado. Mas ao final de 2019 o clube realizou um rebrading e passou a se chamar Prodigy.

Já a presença da Furia no CBCS se deve ao fato da organização ter herdado a vaga que pertencia a Uppercut após os Panteras adquirirem os Cangurus em dezembro passado. O clube disputará a competição com o "time B" que mantém no Brasil, a Furia Inagame. Por conta disso, inclusive, o time alvinegro recusou disputar a segunda edição do Clutch no lugar da paiN Gaming, vaga esta que ficou com Soberano. A possibilidade da equipe disputar o torneio foi inicialmente noticiado pelo The Clutch.

A dúvida que fica é se o nome da equipe sofrerá algum tipo de alteração. Isso porque ano passado havia sido decidido que a formação que representava o INTZ fora do País precisaria ser chamada de outra forma por conta de uma das regras do CBCS. A mudança, contudo, não aconteceu até os atletas deixarem de ser Intrépidos e assinarem com a BOOM Esports, da Tailândia.

“Foi uma coisa que conversamos com todos os clubes. Se uma das franquias quiser ter uma line internacional, não tem problema. Mas o nome tem que ser diferente. Se, por exemplo, a Reapers quiser competir lá fora com outro elenco, o nome não vai ser Team Reapers. Reapers vai ser o nome do time que está jogando a minha liga”, explicou a diretora executiva da competição, Camila Potenza Campos, ao ESPN Esports Brasil em agosto passado.

A reportagem entrou em contato com as duas organizações, mas tanto Prodigy, quanto Furia não responderam até a publicação desta matéria.

CBCS 2020

O CBCS volta um pouco diferente para este ano. Se na última temporada duas etapas da liga foram disputadas, nesta serão três e cada uma com o próprio nome.

As disputas começam com Rising, marcada para ser disputada de 19 de março a 25 de abril. The Conquest e Revenge são as etapas seguintes, com o CBCS realizando ainda uma edição especial no fim de 2020 reunindo os campeões e times convidados. Ao todo, todos os torneios distribuirão R$ 800 mil em prêmios.

Além disso, uma dos campeões das etapas que serão disputadas neste ano terá a oportunidade de disputar um campeonato internacional, ainda não revelado.

“Adicionamos novos formatos e metas para trazer mais competitividade para a liga. Queremos elevar o nível e fazer todo jogo ser tão disputado quanto uma final. A organização entende que tendo um campeonato competitivo traz torcedores, investimento, patrocinadores e consolida o cenário brasileiro de CS como um dos mais importantes do mundo”, explicou o diretor de esports da liga, Pedro Sancha, em comunicado enviado à imprensa.