<
>

Com felps, quarteto do INTZ está próximo de fechar com organização da Indonésia

No início do ano passado, felps vestiu a camisa do INTZ HLTV.org

Os jogadores que vêm representando o INTZ no cenário internacional de Counter-Strike: Global Offensive estão próximos de um final feliz na busca que realizam por uma nova organização. O ESPN Esports Brasil apurou que o quarteto liderado por yeL negocia com o BOOM Esports, clube baseado na Indonésia. Além disso, é desejo do time "repatriar" felps, que após passagem relâmpago pelo Team oNe retornou para a reserva do MIBR.

As informações obtidas pela reportagem apontam que a negociação começou ainda em janeiro e o que falta para os jogadores assinarem com a nova organização é um acerto entre INTZ e BOOM quanto a venda de shz para o clube indonésio já que o atleta é o único que ainda possui vínculo contratual com os Intrépidos.

A reportagem apurou também que, mesmo acertando com uma organização asiática, os brasileiros continuarão atuando do Canadá, país no qual estão desde o início do projeto internacional do INTZ em 2018. Além disso, é desejo da equipe aceitar o convite recebido pela ESL para a disputa da 11ª temporada da ESL Pro League (EPL).

Quanto a "repatriação" de felps, conversas já estão em curso com o MIBR para que o jogador seja liberado via empréstimo. Uma possível compra também é avaliada, contudo somente em último caso tendo em vista que o passe do atleta custa em torno de US$ 70 mil e tem contrato até setembro. Ele chegaria para ocupar a vaga deixada por xand, que deixou o time.

Os jogadores que representam o INTZ fora do País começaram a buscar uma nova casa ainda em dezembro, mês que estava previsto o fim do contrato entre atletas e organização conforme revelado pelo ESPN Esports Brasil na época. Desde outubro, contudo, as duas partidas tinham um pré-acordo de renovação para caso o time não encontrasse um novo clube e isso é uma das causas para que a equipe comandada por yeL continuasse vestindo a camisa Intrépida no mês de janeiro.

Mas BOOM não foi a única organização com a qual os jogadores do INTZ conversaram nos últimos meses. Fontes próximas informaram a reportagem que a equipe se ofereceu tanto para organizações nacionais, como também internacionais. Além do clube da Indonésia, neste ano, o time também chegou a negociar com LOUD e Counter Logic Gaming (CLG), mas não chegaram a um acordo.

Os jogadores que representam o INTZ fora do País começaram a buscar uma nova casa ainda em dezembro, mês que estava previsto o fim do contrato entre atletas e organização conforme revelado pelo ESPN Esports Brasil na época. Desde outubro, contudo, as duas partidas tinham um pré-acordo de renovação para caso o time não encontrasse um novo clube e isso é uma das causas para que a equipe comandada por yeL continuasse vestindo a camisa Intrépida no mês de janeiro.

A ida de yeL e companhia para o BOOM, se concretizada, vai encerrar o projeto internacional que o INTZ vinha mantendo desde setembro de 2018, quando a organização contratou a formação que estava jogando como NoTag. Nesse elenco, coincidentemente, estava felps, que deixou o time na virada de 2019 para defender o MIBR.

O último compromisso da equipe vestindo a camisa do INTZ foi a terceira temporada da Winners League, competição disputada pela internet na América do Norte a qual equipe foi campeã no final de janeiro.

O ESPN Esports Brasil procurou o INTZ para comentar a saída dos jogadores, mas não teve o contato respondido até a publicação desta matéria. O mesmo fizeram BOOM e CLG. Já a LOUD afirmou que não tinha "nada a declarar". enquanto a Immortals Gaming Club (IGC), empresa que controla o MIBR, informou "que não comenta transações envolvendo jogadores, hipoteticamente ou não".