<
>

NFL: Processo, obstáculos e possíveis consequências para a mudança de nome do Washington Redskins

play
NFL: Jogador dos Seahawks que não tem uma das mãos vence duelo de 'pedra, papel e tesoura' de forma hilária e tira sarro nas redes sociais (0:21)

'Todo mundo sabia que era papel', brincou Shaquem Griffin no Twitter (0:21)

O processo de mudar o nome de uma equipe não é simples, como o Washington Redskins está prestes a descobrir. Isso se a franquia da NFL realmente mudar de nome, como é esperado.

Duas coisas são conhecidas: Adam Schefter, da ESPN, reportou que não haverá imagens de nativos americanos; como disse uma fonte da equipe no outro dia, eles não querem criar problemas futuros. Outra fonte da equipe disse na quarta-feira que o plano, a partir de agora, é manter o esquema de cores bordô e dourado.

Ainda assim, como Marc Ganis, presidente e fundador da empresa de consultoria Sportscorp, apontou: Pode demorar dois anos para que mudanças sejam feitas. Mas essas equipes geralmente têm o luxo do tempo. Washington pode acabar fazendo isso às pressas por causa da pressão – mais intensa do que nunca.

Vários patrocinadores, liderados pela FedEx (que tem os naming rights do estádio do time em um acordo de US $ 205 milhões que vai até 2025), Nike e Pepsi disseram que querem que o nome seja alterado. Além disso, lojas de roupas como Target, Walmart e Amazon, pararam de vender as mercadorias da equipe.

"Por causa da pressão, há mais valor em fazer algo", disse Ganis.

Essa é a parte mais fácil. O técnico dos Redskins, Ron Rivera, disse ao Washington Post que gostaria que algo fosse feito antes dos treinos; no entanto, isso pode ser principalmente sobre seu desejo de acabar com isso, para que ele possa se concentrar no futebol americano, mas isso não significa que nada será decidido no final de julho.

A parte difícil será tudo o resto: por exemplo, substituir as placas no estádio e no centro de treinamento.

Veja uma análise aprofundada do que é enfrentado pelo proprietário Dan Snyder e pela organização ao tentar mudar o nome da equipe.

Quanto tempo isso geralmente demora?

A liga nunca passou por algo assim, onde uma franquia decide mudar de nome depois de 87 anos. É por isso que uma fonte da liga disse na semana passada que não há um cronograma, porque essa é uma situação única. A última equipe a mudar de nome foi o Tennessee Oilers em 1998 - mas isso ocorreu quando a franquia se mudou de Houston.

O vice-presidente executivo/gerente geral da equipe, Floyd Reese, disse que o processo levou um ano - desde o anúncio de que os Oilers mudariam de nome até a conclusão. Isso incluía a marca registrada dos Titans, além de camisas e quaisquer outros itens que eles produzissem.

Quando os Bullets anunciaram que mudariam de nome, o processo levou dois anos para ser concluído. E o processo envolve mais do que apenas renomear uma equipe. Williams, que agora é estrategista sênior e vice-presidente de relações com a mídia da Maroon PR, disse que também há tempo e energia que precisam ser dedicados a isso.

"Existem tantos tentáculos nos locais onde o nome de uma franquia esportiva existe", disse Williams. "É um empreendimento. É um processo muito maior e mais complexo do que o público em geral pensa. Eles acham que você pode simplesmente criar um novo logotipo em campo e pronto. Você poderia fazer dessa maneira, mas não é o caso".

A liga vota no nome?

Não. Os outros proprietários não votarão no que a organização decidir, mas a NFL deve aprovar o nome. Várias fontes disseram que Snyder está discutindo com a liga sobre uma possível mudança de nome há três semanas.

Quando Tennessee mudou de nome, trabalhou em conjunto com a liga. Reese disse que a NFL tinha nomes em mãos que foram testados e revisados, incluindo Titans. Ele também disse que havia um grupo que queria o nome Rebels. Então, um dia, ele recebeu um telefonema de uma senhora que disse que era a ex-esposa de James Earl Ray - o homem que matou Martin Luther King Jr.

"Ela disse: 'Esse teria sido um nome que Ray gostava, e ele é um racista forte e você não pode usar esse nome'", disse Reese. "Eu disse: 'Entendi, senhora'".

Quanto tempo dura o processo do logo?

Brian Killingsworth teve experiência com esse processo. Ele foi o diretor de marketing do Tampa Bay Rays da MLB em 2007, quando eles retiraram a palavra "Devil" de seu nome e agora é o diretor de marketing do Vegas Golden Knights da NHL.

"É um processo muito maior do que o público geral pensa ser. Eles acham que é só pintar o novo logo no meio do gramado que está tudo pronto." Matt Williams, ex-vice-presidente executivo do Washington Wizards

Killingsworth e a organização anunciaram em maio sua nova equipe da AHL, o Henderson Silver Knights, com um logotipo. Ele chamou isso de um processo rápido; levou oito meses. Quando ele era diretor de marketing em Tampa, ele disse que demorou quase dois anos para não apenas ajustar o nome da equipe, mas também criar novas cores e um novo logo.

"Fizemos mudanças internamente e, em seguida, o último passo foi dar outro nome a partir disso", disse Killingsworth sobre o Rays. Ele também esteve no St Louis Rams por três anos e disse que eles estavam tendo conversas em 2013 e 14 sobre um novo logo, que foi finalmente lançado neste verão.

Williams, dos Redskins, disse: "Eles querem criar um logo que ressoe, e isso não é um processo curto. Eu imaginava que eles fossem fazer algo genérico agora e depois acertar o logo. Ou talvez já exista algo que eles já gostem. Tradicionalmente, você precisa ter as coisas muito certas para fazer uma mudança assim”.

No entanto, isso é tudo menos uma situação tradicional

Uma pitada de esperança de Killingsworth para os torcedores de Washington: na primeira temporada depois que os Rays mudaram de nome, eles avançaram para sua primeira World Series.

A opinião pública conta?

Uma quantia decente, mas provavelmente mais do ponto de vista de quais tradições a equipe deseja manter. É provável que o nome venha de dentro e talvez seja testado de alguma forma, mas não parece que haja algum tipo de pesquisa prévia.

Os Redskins disseram que querem envolver alunos, grupos indígenas, militares e, em algum nível, os torcedores. Mas nenhum plano concreto foi revelado.

Poderia ser este um passo em direção a um novo estádio e a sediar um Super Bowl?

Absolutamente. Washington poderia ter construído um estádio na Virginia sem mudar o nome, e provavelmente também em Maryland. Os Redskins treinam na Virginia e jogam em Maryland. Mas sua antiga casa icônica - o RFK Stadium - está localizada no distrito de Columbia, e esse é o destino preferido da equipe. A cidade também os quer de volta. Mas várias autoridades da cidade têm dito que não querem a equipe de volta, a menos que mudem o nome. Como o estádio está em terras federais, os Redskins precisam de ajuda do governo. Eleanor Holmes Norton, representante da cidade na Câmara dos Deputados dos EUA, disse recentemente ao podcast "Redskins Talk" que levará um projeto de lei ao Congresso para comprar as terras federais não utilizadas, em um esforço para atrair a franquia de Washington - uma vez que o nome mude. Isso seria um grande passo em direção a um novo estádio.

Se Washington construir um novo estádio, como muitos esperam, pode acabar hospedando um Super Bowl, sim. Snyder há muito tempo deseja isso, e depois que os Giants sediaram um em seu estádio recente em 2014, a liga poderia recompensar Washington após a inauguração do estádio – em 2028, um ano após o contrato do atual terminar.

Quão difícil é obter outro nome de marca registrada?

Washington pode começar a usar um novo nome antes que ele seja registrado. O primeiro passo, de acordo com Michael Graif, advogado de propriedade intelectual da Mintz, é "limpar a marca". A equipe precisa garantir que não haja "marcas comerciais semelhantes que tenham prioridade sobre elas", disse ele.

Quando os Redskins fizerem isso e tiverem certeza de que a marca está disponível, eles poderão começar a usar o novo nome enquanto solicitam o registro da marca. O custo: US $ 275 por classificação do que eles querem marca registrada. Isso inclui roupas e calendários, material impresso, gravações de vídeo e muito mais. Os custos aumentam.

Graif disse que demora cerca de um ano para que uma marca seja registrada. Demora cerca de três meses até ser designado para um advogado examinador do Departamento de Marcas e Patentes dos EUA. Para os torcedores do nome Redtails, saiba disso: o Above the Law publicou recentemente uma matéria de Darren Heitner, fundador da Heitner Legal, sobre dois homens que vivem na área de Washington - Deron Hogans e Thaniel van Amerongen. Em fevereiro, eles "entraram juntos com um pedido de registro da marca 'Washington Redtails' em associação com o licenciamento de direitos de propriedade intelectual".

Heitner disse que o pedido foi feito em 23 de junho. Após esse ponto, outras partes têm 30 dias para se opor à marca registrada. Se a equipe quisesse usar Redtails, ainda assim poderia fazê-lo, porque pode provar que o nome seria usado para bens e serviços. Essa é a chave. No entanto, Washington não pôde avançar até que a outra aplicação fosse resolvida.

"Isso causaria um choque lá na frente em termos de tentar solicitar e registrar um nome se [Snyder] se apaixonar por [Redtails]", disse Heitner em uma conversa por telefone.

Quanto à mudança do uniforme, Heitner disse que não precisa demorar muito, dependendo de quanto tempo Washington estiver no processo. A Nike, que fabrica os uniformes da NFL, parece ter desistido do nome Redskins.

"Parece que, do ponto de vista comercial e jurídico, a Nike está pronta para a equipe mudar de nome", afirmou Heitner. "Ela retirou mercadoria de sua loja online. É muito interessante ver como isso vai acontecer”.

Há também a questão de garantir que os parceiros e anunciantes de transmissão tenham o logotipo e o design corretos.

Como a marca será afetada?

Sejamos honestos: a marca Redskins sofreu nos últimos anos por razões não relacionadas ao nome. De fato, quando se trata de porcentagem de torcedores nos estádios, os Redskins terminaram apenas uma temporada acima da 20ª posição desde 2007 - e isso foi em 2007, quando ficaram em segundo lugar. Eles foram o 30º em 2019 e último no ano anterior. Parte disso se deve ao fato de os torcedores não gostarem de uma área que está sujeita a muito trânsito - e de um time que não vence um jogo de playoff desde 2005.

Certamente há um segmento da população que se ofende com o nome e o logotipo - incluindo alguns torcedores do time - e que não ajudou. Mesmo com o nome controverso, a base de torcedores permaneceu forte. Até anos recentes, ou seja, quando os torcedores se cansaram de jogos inconsistentes, falsas esperanças e uma diretoria que não gostavam. Tudo mudou.

Nas duas últimas temporadas, em particular, era comum ver torcedores adversários mais presentes do que os torcedores dos Redskins em sua própria casa. Em outras palavras: vencer é importante; a marca não tem vendido ingressos.

"Nós colocamos muita ênfase em quanto dinheiro uma marca gera ou em quantos seguidores ela tem no Twitter, e não suficiente no que uma marca representa", disse Jeremy Dowler, consultor de marca que é ex-diretor de marketing da Adidas. "No futuro, quanto mais inclusiva for uma marca, mais forte ela será", afirmou ele. "A conexão de longo prazo que os torcedores mantêm com uma equipe vem da localização dessa equipe, do que a organização representa e de como ela representa a comunidade local e regional, não o seu mascote".

Haverá uma queda?

Miami (Ohio) passou por uma situação semelhante há 24 anos com a mudança de nome. Quando a Universidade estava contratando um novo presidente em 1996, o então diretor esportivo Eric Hyman disse que a pergunta principal era: você mudaria o nome Redskins? A Universidade não é uma marca tão grande quanto Washington, mas o nome de 66 anos era importante em uma Universidade com muita tradição no esporte.

Depois de vencer times do Top-25, Miami tinha a tradição de pendurar um machado de guerra no vestiário com o nome do adversário derrotado. Por isso, depois que a escola decidiu, em setembro de 1996, mudar o nome da sua equipe para os RedHawks, houve tensão. Um dia, quando Hyman convocou uma reunião tensa, o membro do conselho Wayne Embry - um ex-jogador da NBA e executivo - fez uma declaração.

"Ele disse: 'Eu nasci em pele vermelha, vou morrer em pele vermelha, mas isso é muito ofensivo para a tribo de Miami e precisamos mudar isso'", disse Hyman. "Terminou a discussão. As pessoas estavam preocupadas com as consequências financeiras; eu não acho que houve muita precipitação".

Hyman disse que um protesto foi organizado contra a mudança de nome.

"Dez pessoas apareceram", disse Hyman, que cresceu no norte da Virginia e se considera um torcedor de Washington. "[O assunto] acabou morrendo, e não foi tão catastrófico quanto o esperado. ... Foi mais silencioso do que eu esperava."

Matt Williams entende essa situação. O ex-presidente do Washington Bullets sabe que o nome da franquia para a qual ele trabalhou não era tão icônico quanto os Redskins; a franquia era conhecida como Bullets por apenas 34 anos, primeiro em Baltimore e depois em Washington. Ganhou um título em 1978, mas não havia uma música que a torcida cantava ou algo que ressoasse muito. Ainda assim, ele disse, está na hora.

"Converse com qualquer jovem de 20 anos que cresceu nesta área e ele acabou de conhecer os Wizards", disse Williams. "O assunto vai se tornando menos sensível conforme a conversa avança. O tempo cura, e vai ser assim com Washington também."