<
>

NFL: Washington Redskins vai revisar nome por causa de pressão de patrocinadores

play
Estrelas da NFL se juntam e cobram liga: 'Vão esperar que um de nós seja assassinado?' (1:09)

Saquon Barkley, Odell Beckham Jr., Patrick Mahomes e outras estrelas mandaram recado (1:09)

O Washington Redskins se manifestou, em comunicado nesta sexta-feira, para anunciar que “vai passar por um processo de revisão do nome do time” na NFL em meio a novas pressões.

“Em razão dos eventos recentes em nosso país e o retorno de nossa comunidade, o Washington Redskins anuncia que o time vai passar por um processo de revisão do nome da equipe”, inicia o texto divulgado pela franquia.

“Essa revisão formaliza as discussões iniciais que o time teve com a liga nas últimas semanas”, segue. “Nós acreditamos que essa revisão pode e será conduzida com os melhores interesses de todos em mente”, complementa.

Na quinta, a FedEx, empresa que dá nome ao estádio dos Redskins em contrato de 205 milhões de dólares válido até 2025, fez um pedido para que o time alterasse o nome.

Segundo a revista “Adweek”, patrocinadores como a Nike e a PepsiCo também pressionou com a ameaça de romper os laços com a franquia caso o nome não fosse alterasse.

Frederick Smith, que é CEO e presidente da FedEx Corp., também tem uma parte minoritária das ações dos Redskins.

A discussão sobre a mudança do nome da franquia, fruto de uma forma pejorativa como os índios são chamados nos Estados Unidos, é antiga, mas ganhou ainda mais força em meio aos protestos depois da morte de George Floyd em Minnesota.

“Esse processo permite que o time leve em conta não somente o orgulho da tradição e história da franquia, mas também incluiu o que nossos seguidores, patrocinadores, a NFL e a comunidade tem orgulho de representar dentro e fora de campo”, disse Daniel Snyder, que é o proprietário da equipe de Washington, também nesta sexta.

Ron Rivera, técnico da equipe, acrescentou “Essa questão é de pessoal importância para mim e espero trabalhar próximo a Dan Snyder para garantir que vamos continuar a missão de honrar e apoiar nossos nativos e nosso militares.”