<
>

NFL: Como o técnico Andy Reid comanda os Chiefs e mantém o time na briga pelo Super Bowl LIV

KANSAS CITY, Missouri - Andy Reid ficou lá como sempre, olhando para o campo como se já tivesse visto tudo isso antes e está mais do que disposto a fingir, caso não tenha. Os jogos e as estações do ano podem correr juntos nesse ponto - francamente, ele pode parecer um pouco entediado por lá -, mas sempre há uma nova miséria no horizonte. Ele é treinado para perceber sua abordagem e se preparar para sua chegada.

Na tarde de domingo, no estádio Arrowhead, a miséria se anunciava alta e repentinamente, desarticulada e divagando como um pregador da esquina. Ela derramou nas margens e caiu sobre as bordas, e ainda Reid estava lá, seus Chiefs perdiam por 24 pontos no segundo quarto, enquanto ele parecia aceitar qualquer destino que a vida escolhesse para ele.

Antes do jogo, a AFC parecia ter estendido os braços para Reid em um amplo abraço. Sem Patriots, sem Ravens, em casa na final de conferência. Os Chiefs, no domingo, começaram um duelo de dois jogos contra a AFC Sul - primeiro contra o Houston Texans e depois contra os Titans pela final da AFC - para colocar Andy Reid no segundo Super Bowl de sua carreira de 21 anos.

Neste domingo, a ESPN e o WatchESPN mostram as finais de conferência da NFL: o abre o jogo para Chiefs x Titans é às 16h (de Brasília), com 49ers x Packers logo depois.

Em vez disso, tudo parecia estar perdido. Uma cobertura ruim na primeira campanha dos Texans, um punt bloqueado para touchdown um pouco depois, um fumble sofrido por Tyreek Hill na sua linha de 10 jardas. Os Chiefs estavam perdendo por três posses de bola e Reid ainda estava lá, com o jogo pegando fogo diante dele, imaginando o que ele havia feito para merecer isso.

O que ele fez? Na verdade não muito. O que ele poderia fazer? Gritar com os caras para bloquear melhor, correr mais rápido e segurar a bola? Ele não é do tipo que reúne as tropas, grita e ameaça apenas para satisfazer as câmeras. Até hoje, uma equipe treinada por Andy Reid nunca havia superado um déficit superior a 21 pontos. "Ele não pode simplesmente ficar parado e dizer: 'Vamos conseguir, vamos conseguir", disse Mitchell Schwartz, jogador de linha ofensiva. "O que ele disse foi: 'Você precisa continuar jogando e continuar lutando.'"

Os Chiefs continuaram jogando e continuaram lutando, e Patrick Mahomes fez quatro touchdowns no segundo quarto. O déficit de 24-0 evaporou da mesma maneira que chegou. No final, eles marcaram 51 pontos e poderiam ter feito mais 30. (Observando Mahomes, você tem a sensação de que ele armazena passes de touchdown como uma bateria.) As estatísticas podem até ser absurdas, mas esta é diferente: os Chiefs são o primeiro time na história da NFL a vencer um jogo de playoff por 20 pontos após estar 20 pontos atrás em algum momento da partida.

"Era só acalmar as coisas", disse Reid depois. "Não há necessidade de entrarmos em pânico. Apenas consertemos as coisas".

Reid é o raro técnico de futebol americano cuja personalidade não exige palavras altas. Não há nada nele que chame atenção. Sua voz é sempre uma surpresa:muito mais alta e suave do que o seu comportamento sugeriria. As palavras filtram através de seu bigode e desaparecem a poucos metros. Ele é um daqueles personagens que nos lembram que o fracasso é sempre mais atraente do que o sucesso, mas o sucesso após falhas em série é o mais atraente de todos.

Reid é um dos oito treinadores com 200 vitórias, sétimo de todos os tempos e perto de passar Paul Brown. Mas ele nunca ganhou um Super Bowl, e esse fato se repete com tanta frequência e com tanta força que começou a parecer vingativo anos atrás.

Talvez seja apropriado que o jogo tenha sido decidido pelos técnicos. Reid continuou o curso, pegou o que veio a ele e deixou seus caras resolverem o problema. O técnico dos Texans, Bill O'Brien, por outro lado, nunca perdeu uma oportunidade de perder uma oportunidade, sendo passivo quando o momento exigia agressividade e agressivo quando exigia calma. O'Brien teve um momento de fraqueza: ele foi para o field goal em uma quarta descida muito próxima na red zone quando o jogo estava 21-0. Apropriadamente, a probabilidade de vitória de Houston, de acordo com a ESPN Stats & Information, chegou a 93,9% na jogada anterior ao field goal. A probabilidade de vitória dos Texans diminuiu quando assumiram a liderança de 24 a 0 em uma notável confluência de números e a vibração geral do estádio.

Em sua entrevista coletiva pós-jogo, Reid foi perguntado quando sabia que Kansas City ficaria bem. "Eu sempre acho que vamos ficar bem", disse ele. "Corrija o problema e vamos embora." Ele foi perguntado sobre o que estava passando em sua mente quando os Texans abriral 24-0. "Eu estava pensando que precisávamos marcar alguns pontos", disse ele, e todos riram, menos ele.

"Sinceramente, não acho que houvesse algo de ruim em sua mente", disse Khalen Saunders, defensor novato. "Ele é um treinador veterano e um dos maiores treinadores de todos os tempos. Se ele estava pensando em algo ruim, não sei o que o resto de nós estaria pensando. Sua cabeça não vacilou. Eu sei que ele tem confiança nesta equipe, porque foi ele quem montou tudo".

Posteriormente, Reid agradeceu a todos - seus jogadores, treinadores e até os responsáveis pelo equipamento - como se estivesse lendo no diretório da equipe. Ele recusou qualquer crédito, dizendo: "Perdendo por 24-0, se você não tiver um bom vestiário, está tudo acabado". Ele até tirou um momento para elogiar O'Brien por ter seguido sua decisão de chutar um field goal, com um fake punt na sua própria linha de 31 jardas em uma quarta descida curta, com o placar em 24-7. Foi o Chernobyl de chamadas, e sem dúvida a maior virada do jogo. Isso deu aos Chiefs mais esperança, um campo curto e provavelmente uma boa risada, e em questão de minutos eles estavam a caminho de marcar touchdowns em sete posses consecutivas. Mas Reid, que esteve lá - ou pelo menos em algum lugar nas proximidades - sentiu a necessidade de oferecer uma defesa.

"Eu acho que Bill fez um bom trabalho", disse Reid. "Eu pensei que era um momento oportuno para chamar isso. As pessoas vão ficar chateadas com ele, mas do ponto de vista de treinador, ele estava a uma polegada de distância. Não foi nada mau".

No meio do segundo quarto, estava claro que o jogo de domingo seria a pior derrota ou a melhor vitória da carreira de Reid. E quando acabou, quando Mahomes terminou de fazer seu trabalho e Reid estava livre para pensar - em particular, é claro - em concluir esta temporada da maneira que ele nunca fez, ele apertou algumas mãos e concluiu uma remoção sem cerimônia do fone de ouvido. Houve alguns abraços que não foram iniciados e, em seguida, suas mãos voltaram aos bolsos e ele recuperou o olhar do cara que viu tudo.

Ele está errado, porém, e ele sabe disso melhor do que ninguém. Ele viu quase tudo. Ele tem três semanas para mudar isso.