<
>

NBA vai voltar! Tudo o que você precisa saber sobre os times da Conferência Oeste

play
Mesmo sem Avery Bradley, Hofman vê Lakers como favoritos no retorno da NBA (1:24)

Comentarista falou sobre jogadores que decidiram não voltar após a pausa (1:24)

A NBA está voltando.

O plano é um encerramento da temporada regular com oito jogos para as 22 equipes que lutam por vagas nos playoffs, realizado no Walt Disney World Resort, em Orlando, de forma que todas as medidas de higiene e saúde sejam cumpridas. E tudo isso começa em exatamente um mês: dia 30 de julho.

Até lá, o ESPN.com.br vai contar tudo o que você precisa saber de cada uma dessas 22 franquias. E como já falamos da Conferência Leste, aqui estão as informações das 13 franquias da Oeste:

Los Angeles Lakers

Campanha de 2019-20: 49-14

Chances de título: +200

Justamente quando os Lakers estavam em sua melhor fase, incluindo boas vitórias contra Bucks e Clippers em jogos consecutivos, a temporada foi suspensa. Agora, LeBron James, Anthony Davis e companhia precisam voltar ao ritmo se quiserem dar aos Lakers o primeiro título desde 2010.

Como eles chegaram aqui

A pausa da NBA por conta da pandemia de coronavírus estava próximo da marca de dois meses no final de abril, quando James foi ao Twitter para refutar a história de que alguns membros da liga estavam querendo que a temporada fosse suspensa. "Assim que estivermos seguros, gostaríamos de terminar nossa temporada", ele escreveu. "Estou pronto e nossa equipe está pronta. Ninguém deve cancelar nada." James, um dos principais candidatos ao prêmio de MVP, atuando ao lado do novo companheiro de equipe Davis, candidato a Jogador Defensivo do Ano, parecia mais motivado do que nunca para voltar aos trilhos depois de um primeiro ano difícil em Los Angeles.

O que está em jogo?

Essa talvez seja a última e melhor chance de LeBron vencer seu quarto título da NBA. Aos 35 e no 17° ano de NBA, seu domínio não pode durar para sempre. O sucesso dos Lakers até agora fez dos planos futuros de Davis uma conclusão precipitada - ele tem uma opção de contrato para a próxima temporada, mas ninguém acredita que ele não voltará a vestir o roxo e dourado. James e Davis devem ter a chance de voltar na próxima temporada, não importa o que aconteça em Orlando, mas com equipes mais jovens como Milwaukee, Boston, Philadelphia e LA Clippers em alta, agora pode ser o momento dos Lakers com o pivô Dwight Howard indo para a agência livre e importantes colaboradores como Danny Green e Rajon Rondo ficando mais velhos.

Grande questão após a parada: DeMarcus Cousins poderia voltar aos Lakers?

Cousins teve de ser dispensado para que Markieff Morris tivesse espaço para ser contratado. Há especulações de que a liga possa permitir elencos de playoffs ampliados - talvez com 17 a 20 jogadores - a fim de ter mais reservas disponíveis, caso algo aconteça. Com o tempo extra para a reabilitação, combinado com possíveis elencos maiores, Cousins fará seu retorno a Los Angeles? O pivô daria aos Lakers o 5 que eles não tiveram na maior parte da temporada e, sem torcida para fazer barulho em Orlando, ele poderia ser importante como presença vocal no banco de reservas.

Você sabia?

James lidera a liga com 10,6 assistências por jogo na carreira. Aos 35 anos, ele seria o jogador mais velho a liderar a NBA em assistências pela primeira vez em sua carreira.

- Dave McMenamin


LA Clippers

Campanha de 2019-20: 44-20

Jogos restantes: LAL, NO, PHX, DAL, POR, BKN, DEN, OKC

Desde que a temporada da NBA foi interrompida em março, os Clippers aguardam ansiosamente e se preparam para o retorno com um único objetivo em mente: o Larry O’Brien Trophy.

Como eles chegaram aqui

A temporada dos Clippers foi definida pela paciência. Eles tiveram que esperar 11 jogos antes de Paul George fazer sua estreia. Eles tiveram que esperar até o Natal para ter um elenco totalmente saudável. Com pouco tempo de treino por conta de lesões e o gerenciamento de carga de Kawhi Leonard, a química dos Clippers não se solidificou até depois do All-Star. E assim que a equipe começou a clicar com novas contratações Marcus Morris e Reggie Jackson, os Clippers foram forçados a sair da quadra por conta da pandemia.

O que está em jogo?

O único foco que os Clippers tiveram durante toda a temporada é vencer o primeiro título da história da franquia. Pouco depois de a NBA suspender a temporada, a administração dos Clippers garantiu bicicletas Peloton e equipamentos de academia para fornecer aos jogadores. Lawrence Frank, Doc Rivers e Clippers realizaram reuniões diárias com treinadores, jogadores e funcionários, não apenas para manter o foco, mas também para que todos se sentissem livres para sugerir ideias.

Grande questão após a parada: os Clippers vão se manter saudáveis?

Quando a temporada parou, os Clippers estavam ficando mais fortes, vencendo sete dos últimos oito jogos, com sua única derrota chegando pelas mãos dos Lakers. A paralisação só deve ajudar Leonard e George em termos de condições físicas. Mas como os jogadores não jogam há meses, os Clippers vão lidar com George, Leonard e Lou Williams da maneira mais segura possível.

Você sabia? O banco dos Clippers tem uma média de 51,5 pontos por jogo nesta temporada. A única outra equipe com média de pelo menos 50 PPG desde quando a estatística começou a ser rastreada em 1970-71? Os Clippers do ano passado, com média de 53,2 PPG.

- Ohm Youngmisuk


Denver Nuggets

Campanha de 2019-20: 43-22

Jogos restantes: MIA, OKC, SA, POR, UTAH, LAL, LAC, TOR

Houve uma nova sensação para o Nuggets nesta temporada, com a palavra desconfortável que começa com "E" pairando sobre eles: expectativas. Eles foram vistos durante toda a temporada como um forte candidato, e jogaram como tal na maioria das vezes.

Como eles chegaram aqui

O início de 2020 foi cheio de desgaste para os Nuggets, mas eles resistiram à tempestade para manter seu lugar entre a elite do Oeste. E eles fizeram isso em grande parte por trás do brilho de Nikola Jokic. Jokic é o que sustenta os Nuggets, mas nas semanas antes da paralisação, Jamal Murray estava ficando saudável e progredindo. A química entre os dois, combinada com um elenco versátil e experiente, coloca os Nuggets na conversa.

O que está em jogo?

A última temporada foi um sucesso para Denver, apesar da eliminação na segunda rodada dos playoffs contra os Blazers. Nesta temporada, esse tipo de eliminação seria visto como uma decepção. Os playoffs fazem perguntas que você não pode antecipar e pegam narrativas e as amplificam. Se os Nuggets tiverem dificuldades, será sobre a dupla Jokic e Murray. Será sobre o futuro dos contratos de Paul Millsap e Jerami Grant. Será sobre o que eles precisam, não sobre o que eles têm. Quando o seu time fica bom, essas coisas acontecem.

Grande questão após a parada: como Jokic está?

Não há uma maneira educada de dizer isso, mas com os problemas que o próprio Jokic admitiu passar com forma física nas temporadas anteriores, tirar quase três meses de folga pode ser uma receita para o fracasso. Mas, de acordo com Murray, é o contrário. "O Joker está mais forte", disse Murray sobre Jokic de repente parecer mais magro depois de se exercitar bastante durante o desligamento do coronavírus.

Você sabia?

Jokic lidera os Nuggets no total de pontos, rebotes e assistências, coisa que ele fez em cada uma das duas temporadas anteriores. De acordo com o Elias Sports Bureau, Jokic poderia se juntar a LeBron James (Heat 2012-13) e Wilt Chamberlain (76ers 1965-67) como os únicos jogadores na história da NBA a liderar seus times nas três categorias por três temporadas seguidas.

- Royce Young


Utah Jazz

Campanha de 2019-20: 41-23

Jogos restantes: NO, OKC, LAL, MEM, SA, DEN, DAL, SA

O Jazz terminará a temporada sem o seu segundo melhor pontuador Bojan Bogdanovic (cirurgia no punho) e com destaque para a dinâmica entre a dupla de Rudy Gobert e Donovan Mitchell.

Como eles chegaram aqui

Tinha sido uma temporada estranha para o Jazz, mesmo antes de seus dois melhores jogadores se tornarem os primeiros a testarem positivos para o coronavírus. Utah teve uma sequência 19-2 com um basquete mais ou menos. Mike Conley Jr. teve mais dificuldade do que o esperado para se adaptar ao novo ambiente e sistema depois de passar as 12 temporadas em Memphis. O Jazz teve que refazer o seu banco durante a temporada, negociando com Jordan Clarkson, cortando Jeff Green e promovendo Georges Niang e Tony Bradley para papéis importantes na rotação. Utah venceu cinco dos seis jogos antes do teste positivo de Gobert interromper a temporada, e o técnico Quin Snyder sentiu como se tivesse encontrado algumas soluções, só que vai ter que começar do zero com a lesão de Bogdanovic.

O que está em jogo?

Quaisquer expectativas foram diminuídas drasticamente pela lesão de Bogdanovic, um jogador de 20 pontos por jogo cujo aproveitamento de mais de 40% nas bolas de três é importantíssimo para o espaçamento do Jazz. O desempenho de Gobert nos playoffs poderia impactar as possíveis discussões de extensão fora da temporada? Ele está elegível para o supermax, mas é difícil ver o Jazz oferecendo tanto para um pivô que não é um pontuador nato, não importa o quão dominante Gobert seja no lado defensivo da bola.

Grande questão após a parada: Gobert e Mitchell podem fazer as pazes?

As fontes do Jazz afirmam que sim e que eles vão, mas a questão ainda permanece, principalmente porque Mitchell se recusou a abordar seus problemas com Gobert publicamente.

Você sabia?

Donovan Mitchell tem uma média de 24,2 pontos por jogo. Essa é a maior média de pontuação de um jogador do Jazz desde Karl Malone em 1999-2000. Malone, Adrian Dantley e Pete Maravich são os únicos jogadores na história do Jazz com uma média de pontuação mais alta em uma temporada do que Mitchell.

- Tim MacMahon


Oklahoma City Thunder

Campanha de 2019-20: 40-24

Jogos restantes: UTAH, DEN, LAL, MEM, WSH, PHX, MIA, LAC

Antes da paralisação da liga, Thunder e Jazz estavam prontos para um jogo que teria influenciado diretamente nas posições quatro e cinco da Conferência Oeste. Aparentemente, o Thunder não parece um possível candidato entre os quatro melhores do Ocidente, mas estritamente pelos números, foi o que eles se tornaram.

Como eles chegaram aqui

Foi um começo difícil para o OKC, começando com 6-11 com uma variedade de derrotas e grandes perguntas. Mas tudo deu certo no Dia de Ação de Graças, com Chris Paul se declarando o pontuador mais dominante da liga nos minutos finais e a química do Thunder florescendo em torno de uma formação dinâmica de três armadores. Desde o Dia de Ação de Graças, o Thunder tem 34 vitórias e 13 derrotas, acumulando a segunda melhor marca de vitórias da liga, atrás apenas dos Bucks.

O que está em jogo?

O Thunder tem experimentado uma onda de impulso positivo ao longo da temporada. Eles têm grandes questões na essa offseason, como o que fazer com Chris Paul. Mas junto com isso, o acordo do técnico Billy Donovan expira após esta temporada. Ele validou suas habilidades como treinador durante toda a temporada, mas onde ele se encaixa quando (se) os dominós do elenco começarem a cair?

Grande questão após a parada: a química está intacta?

O Thunder atualmente detém a maior sequência de vitórias na Conferência Oeste. O último jogo completo foi uma emocionante vitória em Boston que os levou a 16 jogos acima dos 50% de aproveitamento. O que tornou o Thunder tão perigoso nesta temporada foi sua conexão e química. Paul dá o tom, mas deu muito espaço para Schroder se destacar como pontuador e Shai Gilgeous-Alexander se desenvolver como líder. Paul fez de tudo para tentar manter um pouco dessa química durante a paralisação, mas uma coisa é se reunir em uma chamada semanal de zoom; outra é tomar decisões oportunas no último minuto de um jogo com a bola nas mãos.

Você sabia?

O Thunder tem 16 vitórias ao entrar no quarto período atrás no placar, o dobro de qualquer outro time da NBA e apenas duas atrás dos Lakers de 1962-63.

-- Young


Houston Rockets

Campanha de 2019-20: 40-24

Jogos restantes: DAL, MIL, POR, LAL, SAC, SA, IND, PHI

Os Rockets, que pareciam estar em ruínas antes da temporada ser suspensa, devem estar prontos para retomar o grande experimento small-ball no retorno da liga.

Como eles chegaram aqui

A temporada foi uma montanha-russa para os Rockets, que passaram por uma reformulação significativa no elenco durante o ano passado. Tudo começou com a troca envolvendo Russell Westbrook. O compromisso com o small-ball (representado pela troca de Clint Capela e uma escolha de primeira rodada que trouxe Robert Covington para Houston) foi influenciado pelo desejo de deixar Westbrook livre. Os Rockets começaram bem no small-ball, mas perderam quatro dos últimos cinco jogos antes da paralisação da temporada.

O que está em jogo?

Não é segredo que há uma forte probabilidade de que os Rockets tenham um novo treinador na próxima temporada. Isso é conhecido desde que as negociações de extensão de contrato com Mike D'Antoni foram interrompidas (duas vezes) de maneira pública. Há rumores de que o gerente geral Daryl Morey também poderia estar correndo risco, mas o proprietário Tilman Fertitta logo colocou essa conversa na geladeira. Você nunca pode ter certeza, especialmente com Morey no comando, mas o núcleo dos Rockets provavelmente voltará intacto na próxima temporada, independentemente do que acontecer em Orlando.

Grande questão após a parada: James Harden pode recuperar o ritmo?

Harden teve uma sequência histórica de dois meses, com média de 39,0 pontos por jogo em uma porcentagem de arremesso de 66%, desde o início de novembro até o início de janeiro. Sua carga de trabalho parecia causar danos a ele, no entanto. Esses números caíram significativamente (29,0 pontos, 57,2% de aproveitamento nos arremessos) em seus últimos 22 jogos, enquanto ele tinha dificuldades na linha de três pontos. Harden está comprometido com o condicionamento durante a paralisação, e se ele voltar a jogar como MVP e Westbrook tiver sucesso nesse small-ball, os Rockets se tornam um time bem perigoso.

Você sabia?

Desde a mudança para o small-ball em 31 de janeiro, os Rockets têm um déficit de 9,4 rebotes por jogo, o pior diferencial de rebote da NBA durante esse período. Ao longo de uma temporada completa, esse seria o terceiro pior diferencial desde que os rebotes começaram a ser rastreados em 1950-51.

- MacMahon


Dallas Mavericks

Campanha de 2019-20: 40-27

Jogos restantes: HOU, PHX, SAC, LAC, MIL, UTAH, POR, PHX

Os Mavs estão se preparando para o que eles esperam que seja a primeira de muitas aparições nos playoffs da dupla Luka Doncic e Kristaps Porzingis.

Como eles chegaram aqui

Doncic emergiu como uma estrela legítima em sua segunda temporada, liderando o ataque mais eficiente da liga. Porzingis teve um início lento, mas se ajustou a um novo papel e sistema, com média de 22,3 pontos e 9,6 rebotes por jogo desde a virada de ano. Seth Curry e Tim Hardaway Jr. têm sido fenomenais como jogadores de rotação. Ausências prolongadas de Doncic e Porzingis por conta de lesões, e dificuldade para matar jogos impediram os Mavs de competir pela segunda melhor campanha do Oeste.

O que está em jogo?

O objetivo de Dallas ao entrar na temporada era chegar nos playoffs, e eles vão conseguir. Competir nos playoffs será uma experiência inestimável para Doncic e Porzingis. A maior decisão da offseason pode ser a opção de Tim Hardaway Jr. por US $ 19 milhões. Não seria surpreendente se ele fosse recompensado com um acordo de longo prazo.

Grande questão após a parada: Doncic pode voltar a jogar como estava jogando antes da lesão?

A paralisação foi boa para Doncic, que também estava lidando com lesões no polegar e no punho, e agora está curado. Houve rumores de que ele ganhou peso durante a paralisação, mas fontes nos Mavs disseram que vem trabalhando bastante e jogado basquete com frequência desde que foi para a Eslovênia em março.

Você sabia?

Doncic está no caminho de se tornar o terceiro jogador na história da NBA a obter, em média, pelo menos 20 pontos, 5 assistências e 5 rebotes por jogo em cada uma de suas duas primeiras temporadas na NBA, juntando-se a Oscar Robertson e LeBron James.

- MacMahon


Memphis Grizzlies

Campanha de 2019-20: 32-33

Jogos restantes: POR, SA, NO, UTAH, OKC, TOR, BOS, MIL

Os Grizzlies, uma das surpresas mais gratas da NBA nesta temporada, espera manter o domínio em um playoff enquanto continua a desenvolver um núcleo jovem que deve ser competitivo nos próximos anos.

Como eles chegaram aqui

O talento jovem dos Grizzlies tem sido bom o suficiente para Memphis ser competitivo durante aquela que deveria ser uma temporada de reformulação. Provavelmente o novato do ano, Ja Morant é um armador puro, cujo atletismo e criatividade criam momentos únicos a cada partida. Jaren Jackson Jr. pode pontuar no perímetro, no garrafão e defender bem. Brandon Clarke é um pontuador dinâmico. Dillon Brooks tem sido produtivo o suficiente para ganhar uma extensão com um salário de oito dígitos. Jonas Valanciunas é uma máquina de duplo-duplo. E o técnico novato Taylor Jenkins fez um ótimo trabalho ao guiar uma equipe em desenvolvimento que também está tentando vencer agora.

O que está em jogo?

Tudo que acontecer com os Grizzlies daqui para frente será lucro. Basicamente, eles apostaram nesse verão, quando contrataram Justise Winslow e fecharam com Brooks pelos próximos anos. Winslow estava prestes a fazer sua estreia em Memphis antes da temporada ser suspensa, então os Grizzlies devem dar bastante tempo de jogo para ele. Morant, Jackson e o restante do núcleo jovem dos Grizzlies terão uma experiência inestimável em jogos competitivos, não importa o que aconteça em uma potencial série de play-in.

Grande questão após a parada: que tipo de impacto imediato Winslow pode causar?

Os Grizzlies negociaram com Winslow com todas as expectativas de que o jogador de 24 anos pudesse ser uma peça central para o time que Memphis planeja construir nos próximos anos. Uma lesão nas costas o limitou a apenas 11 jogos nesta temporada em Miami, e Memphis adotou uma abordagem paciente em sua reabilitação. Winslow pode dar aos Grizzlies um impulso imediato como marcador atlético e defensor versátil? Ele estava treinando com a equipe e exibindo seu talento atlético. Agora ele terá um breve training camp para se preparar para sua estreia oficial por Memphis.

Você sabia?

Morant lidera os Grizzlies com 17,9 pontos e 6,9 assistências por jogo. Segundo uma pesquisa do Elias Sports Bureau, Morant pode se juntar a Elgin Baylor (1958-59) e Michael Jordan (1984-85) como os únicos novatos desde 1947 a liderar uma equipe de playoffs em PPG e APG.

- MacMahon


Portland Trail Blazers

Campanha de 2019-20: 29-37

Jogos restantes: MEM, BOS, HOU, DEN, ALC, PHI, DAL, BKN

As lesões atrapalharam a tentativa dos Blazers de fazer ainda mais do que no ano passado, quando o time chegou na final da Conferência Oeste. Um potencial lugar no torneio play-in pode salvar a temporada de Lillard e companhia.

Como eles chegaram aqui

Já jogando sem Jusuf Nurkic devido a lesão, Portland viu Zach Collins (cirurgia no ombro) e Rodney Hood (ruptura do tendão de Aquiles) se juntarem a ele. O armador Damian Lillard colocou os Blazers nas costas, mas apesar de suas partidas incríveis, os Blazers ainda estavam 3,5 jogos atrás do oitavo colocado quando a liga foi interrompida.

O que está em jogo?

Esperança para 2020-21. Com Collins e Nurkic voltando e a capacidade de Lillard, Portland pode ser uma ameaça formidável no torneio play-in e até um oponente duro para os Lakers na primeira rodada – confronto que eles venceram já este ano. Uma vaga nos playoffs ajudaria os Blazers a garantirem que essa temporada foi resultado de lesões e nada mais.

Grande questão após a parada: quanto Nurkic e Collins podem ajudar?

Nurkic deveria voltar dias após a parada, e já faz mais de 14 meses desde seu último jogo. Enquanto isso, Collins está se recuperando da cirurgia, então vamos ver se eles já voltam jogando como estavam antes, ou se o treinador Terry Stotts usará seus titulares Carmelo Anthony e Hassan Whiteside para gerenciar os minutos dos dois. Também é incerto como Anthony e Whiteside, que sempre foram titulares, vão responder a esse novo papel.

Você sabia?

Lillard obteve uma média de 31,9 pontos por jogo em casa nesta temporada, segunda melhor marca da NBA, atrás apenas dos 34,1 de James Harden. A média de pontuação de Lillard cai para 25,9 fora de casa. Esse declínio de 6,0 PPG é o maior de todos os jogadores All-Star nesta temporada.

- Kevin Pelton


New Orleans Pelicans

Campanha de 2019-20: 28-36

Jogos restantes: UTAH, LAC, MEM, SAC, WSH, SA, SAC, ORL

Quando a temporada foi suspensa, os Pelicans estavam 3,5 jogos atrás dos Grizzlies pela oitava colocação no Oeste, mas se sentiam otimistas sobre suas chances, graças a tabela. Ainda se espera que eles consigam usufruir dessa tabela mais fraca, mas terão menos tempo para dar esse empurrão.

Como eles chegaram aqui

Os planos dos Pelicans foram paralisados quando Zion Williamson se machucou mesmo antes de a temporada começar. Juntamente com outras lesões, os Pelicans começaram 7-23. A reviravolta coincidiu com Derrick Favors retornando, Lonzo Ball ficando saudável e Brandon Ingram se transformando em um All-Star. Quando Williamson retornou em janeiro, os Pelicans já estavam jogando bem, e o próprio Williamson entrou bem para um garoto de 19 anos (23,6 pontos, 6,5 rebotes, 58,9% em porcentagem de arremessos de quadra).

O que está em jogo?

O objetivo para os Pelicans nesta temporada era jogar jogos importantes em março e abril com o jovem elenco, independentemente de terem, ou não, se classificado para os playoffs. Embora não seja março ou abril, os Pelicans têm essa chance em Orlando como uma das seis equipes convidadas que não estão atualmente nos playoffs.

Grande questão após a parada: Zion está em forma?

O peso e o condicionamento de Williamson têm sido motivo de preocupação para muitos em todo o mundo da NBA, mas os Pelicans afirmaram que nunca se preocuparam. Mas Williamson estará pronto para causar impacto depois de quase quatro meses de paralisação? A NBA permitiu que Williamson fosse às instalações dos Pelicans durante toda a quarentena para tratar de sua lesão, e ele disse a Ernie Johnson, da Turner Sports, em abril, que estava treinando em sua casa em New Orleans, também.

Você sabia?

Williamson marcou pelo menos 20 pontos em 16 de seus 19 jogos na carreira. Ele é o primeiro jogador a registrar pelo menos 16 jogos de 20 pontos em seus primeiros 20 jogos na carreira desde Michael Jordan em 1984-85.

- Andrew Lopez


Sacramento Kings

Campanha de 2019-20: 28-36

Jogos restantes: SA, ORL, DAL, NO, BKN, HOU, NO, LAL

A parada ocorreu em um momento ruim para um time de Sacramento que estava jogando seus melhores jogos nesta temporada. A esperança para os Kings é que eles possam manter as coisas funcionando e garantir uma vaga nos playoffs pela primeira vez desde 2006.

Como eles chegaram aqui

A temporada de Sacramento foi definida em grande parte por longas sequências de derrotas em vários pontos do ano. Primeiro, foram cinco derrotas consecutivas para começar a temporada. Em seguida, houve uma sequência de oito jogos sem vencer até o final de dezembro. Finalmente, mais seis em janeiro. Os Kings merecem crédito por se recuperarem - vencendo sete dos últimos dez antes da temporada ser suspensa - mas esta é uma equipe que teve dificuldades o ano todo para jogar com o necessário para garantir uma vaga na pós-temporada.

O que está em jogo?

Luke Walton parecia otimista de que sua equipe jovem possa virar a chave, mas resta saber se esse grupo está pronto para provar que pode ganhar jogos quando mais importa. De'Aaron Fox, Buddy Hield, Bogdan Bogdanovic, Harrison Barnes e Marvin Bagley III formam um time promissor, mas até agora existem mais perguntas do que respostas. Bagley jogou apenas 13 partidas este ano por causa de várias lesões. Walton disse no final de abril que o pivô estava progredindo bem depois de uma lesão no pé, mas não estava claro exatamente o quanto ele poderia jogar quando a temporada recomeçasse.

Grande questão após a parada: playoffs?

Além do que Bagley pode dar, a maior questão para os Kings é se eles podem encontrar um caminho para a pós-temporada. Apesar de boas atuações de Fox e Hield, os Kings provavelmente ficarão de fora, a menos que o grupo consiga muitas vitórias importantes em um curto período de tempo. A experiência na bolha será boa para eles, mas seria uma surpresa se eles conseguissem chegar até a pós-temporada este ano.

Você sabia?

Antes da temporada parar, os Kings estavam 7-3 desde o intervalo do All-Star, quarta melhor marca da NBA.

- Friedell


San Antonio Spurs

Campanha de 2019-20: 27-36

Jogos restantes: SAC, MEM, PHI, DEN, UTAH, NO, HOU, UTAH

San Antonio está no meio de sua pior temporada desde 1996-97, quando terminou em 20-62, mas recebeu Tim Duncan como prêmio de consolação no draft do ano seguinte. O reinício ainda dá aos Spurs mais uma chance de garantir vaga nos playoffs.

Como eles chegaram aqui

San Antonio teve dificuldade em encontrar consistência nesta temporada e também foi uma das piores equipes defensivas da NBA – 24° em rating defensivo (112,8). No entanto, eles mantiveram sua eficiência no ataque, como o 11° time em rating ofensivo que liderou a liga na proporção assistência / turnover e cometeu o menor número de turnovers na liga. San Antonio também se manteve equilibrado, com sete jogadores com média de pelo menos 10 pontos por jogo.

O que está em jogo?

Para San Antonio, um recorde da NBA. Os Spurs chegaram sos playoffs em 22 temporadas consecutivas, que remontam a 1998. Isso os une ao Syracuse Nationals / Philadelphia 76ers, que também chegaram em 22 playoffs seguidos de 1950 a 1971. Se os Spurs, que estão em 12º lugar, mas quatro jogos atrás de Memphis, conseguirem isso, estarão no topo dos livros de recordes.

Grande questão após a parada: quanto Gregg Popovich terá que equilibrar jovens e veteranos?

Quatro dos principais jogadores do Spurs têm mais de 30 anos de idade: DeMar DeRozan, LaMarcus Aldridge, Rudy Gay e Patty Mills. E agora que Aldridge está de fora da temporada após cirurgia no ombro direito, os Spurs terão que confiar ainda mais em Dejounte Murray, Derrick White, Drew Eubanks e Jakob Poeltl para manter vivas as esperanças. Eles também precisarão de Trey Lyles; ele teve médias de 15,3 pontos e 6,7 rebotes nos últimos seis jogos.

Você sabia?

Os Spurs, atualmente 12° na Conferência Oeste e quatro jogos atrás dos Grizzlies, oitavo colocado, pode precisar de uma sequência de vitórias para ter uma chance de estender sua sequência de pós-temporada. No entanto, San Antonio é uma das quatro equipes entre as 22 convidadas que não tiveram uma sequência de vitórias de pelo menos quatro jogos nesta temporada (Sacramento, Washington e Phoenix são os outros).

- Lopez


Phoenix Suns

Campanha de 2019-20: 26-39

Jogos restantes: WSH, DAL, LAC, IND, MIA, OKC, PHI, DAL

O último dos times convidados do Oeste, Phoenix em 2,5 jogos atrás do nono colocado, mas tem pouca esperança de ultrapassar adversários suficientes para participar do torneio play-in.

Como eles chegaram aqui

Apesar da suspensão de Deandre Ayton, Phoenix começou a temporada 7-4, enquanto tentava chegar aos playoffs pela primeira vez em uma década. Embora Phoenix estivesse 13 jogos abaixo dos 50% de aproveitamento quando a temporada foi paralisada, as 26 vitórias são a melhor marca desde 2014-15, e Devin Booker se tornou seu primeiro All-Star desde Steve Nash em 2012. Portanto, há razões para otimismo em Phoenix.

O que está em jogo?

Honestamente, não tem muita coisa, mas Phoenix terá que tomar algumas decisões quando a offseason começar. Supondo que o teto salarial não diminua drasticamente, Phoenix poderia ter espaço para ir atrás de outro titular, renunciando aos direitos de dispensar os agentes Aron Baynes e Dario Saric e recusando a opção de jogador de Frank Kaminsky. Phoenix vai dar uma última olhada no grupo atual para ver se vale a pena mantê-los juntos.

Grande questão após a parada: o que Ayton pode oferecer?

Devido a lesões e sua suspensão, Ayton jogou apenas 30 jogos antes da paralisação, mas ele mostrou sinais promissores ao aumentar suas médias para 19 pontos e 12 rebotes, e quase dobrando seus bloqueios para 1,7 por partida. Quanto mais experiência, melhor para Ayton, e isso talvez seja a grande vitória de Phoenix em Orlando.

Você sabia?

Booker está no ritmo de se juntar a LeBron James (quatro vezes) e Oscar Robertson (duas vezes) como os únicos jogadores na história da NBA com mais de uma temporada com 26 pontos e 6 assistências por jogo antes de completar 24 anos.

- Pelton