<
>

Popovich, técnico dos Spurs, diz que cabe aos brancos acabarem com o racismo, 'independentemente das consequências'

play
Ala dos Spurs na NBA distribui água e ajuda a limpar ruas de San Antonio após protestos (0:33)

Lonnie Walker ajudou na limpeza da cidade depois de manifestações (0:33)

O técnico do San Antonio Spurs, Gregg Popovich, pentacampeão da NBA, disse que o "país está com problemas" e que "está envergonhado como uma pessoa branca" ao saber que a morte de George Floyd de maneira tão horrível poderia ser tratada como algo "indiferente ou casual". Na última segunda-feira, ele já havia falado sobre o racismo nos EUA: 'Nós brancos evitamos esse assunto por muito tempo'.

"De uma maneira estranha e contraintuitiva, o melhor momento de ensino dessa tragédia recente, eu acho, foi o olhar no rosto do oficial de polícia", disse Popovich, em um vídeo emocional divulgado pelo Spurs como parte de sua série #SpursVoices nas redes sociais da franquia.

"Para que os brancos vejam como é indiferente, como é casual, como seu trabalho é cotidiano, tanto que ele pode colocar a mão esquerda no seu bolso e mexer um pouco o joelho para ensinar um pouco a essa pessoa algum tipo de lição - e que era seu direito e seu dever fazê-lo, em sua mente.”

"Não sei... Acho que estou tão envergonhado como uma pessoa branca ao saber que isso pode acontecer. Realmente assistir a um linchamento. Todos nós lemos os livros e vimos negros pendurados em árvores. E você... está impressionado. Mas acabamos de ver isso novamente. Nunca pensei que veria isso com meus próprios olhos, em tempo real."

play
0:24

Damian Lillard lidera protestos contra racismo e violência policial

Armador dos Blazers foi às ruas para manifestar seu apoio após a morte de George Floyd

Floyd morreu em Minneapolis, em 25 de maio, depois que Derek Chauvin, um policial branco, se ajoelhou no pescoço por mais de oito minutos. O oficial enfrenta acusações de homicídio e homicídio culposo, enquanto outros três policiais presentes na cena foram acusados de ajudar e favorecer para a morte de Floyd.

"É como o bairro onde você sabe que há uma esquina perigosa, você sabe que algo vai acontecer algum dia, e ninguém faz nada", disse Popovich. "E então um jovem garoto é morto e um sinal para pararmos é exibido. Bem, sem sermos muito políticos, temos muitos sinais assim que precisam ser exibidos rapidamente, porque nosso país está com problemas. E a razão básica é: raça."

Popovich, 71 anos, disse que cabe às pessoas brancas intensificar, "não importa quais sejam as consequências", e liderar o processo de mudança.

"Temos que fazê-lo. Os negros carregam este fardo há 400 anos", disse Popovich. "A única razão pela qual esta nação fez o progresso é por causa da persistência, paciência e esforço das pessoas negras. A história de nossa nação desde o início, sob muitos aspectos, era uma mentira, e continuamos até hoje, principalmente negros e pardos, para tentar tornar essa mentira uma verdade, para que não seja mais uma mentira. Então, na minha opinião, temos que partir de nós acabar com isso, independentemente das consequências. Temos que falar. Não devemos deixar nada passar."

“O que é preciso? Mais duas pessoas negras com joelhos no pescoço? Acho que não”, completou o treinador.