<
>

Larry Bird precisou de um jogo de Michael Jordan para cravar: 'Maior da história'

O dia 12 de setembro de 1984 marca a data em que Michael Jordan assinou seu primeiro contrato como profissional com o Chicago Bulls. E não demorou para o camisa 23 causar impacto na liga.

Em sua primeira temporada, Michael foi eleito o calouro do ano e foi selecionado para o All-Star Game em um ano em que teve média de 28,2 pontos por jogo. Mas não foi só isso. Jordan precisou de apenas uma partida para encantar ninguém menos que Larry Bird.

Larry era considerado o melhor jogador do mundo naquela época e, também, entrava na discussão para melhor jogador de todos os tempos no esporte. No dia 5 de fevereiro de 1985, o Boston Celtics enfrentou os Bulls de Jordan pela primeira vez. E Bird se impressionou com o que viu daquele calouro.

Em 45 minutos na quadra, Jordan anotou 41 pontos, pegou 12 rebotes, distribuiu 7 assistências e roubou 4 bolas, além de ter tido um aproveitamento de 14 em 25 (56%) nos arremessos de quadra e 13 em 14 (93%) no lance livre. A atuação incrível, porém, não foi o suficiente para evitar a derrota por 110 a 106, mas o suficiente para deixar Larry Bird boquiaberto.

"Nunca vi ninguém como ele. É diferente de tudo que já apareceu, fenomenal, único. O melhor", disse o ala dos Celtics em entrevista pós jogo.

"Ele é especial, é isso que eu falo sobre o futuro da liga. Com caras como ele vindo da faculdade, a imagem da liga só vai melhorar. Ele é o melhor. De todos os tempos, sério", continuou.

A resposta de Larry foi tão inesperada que um dos repórteres até se assustou e perguntou se Bird considerava Jordan um jogador melhor que ele próprio. "Sim. O que ele faz nessa idade eu nunca fiz na vida", completou.

Em 15 temporadas na NBA, Jordan venceria seis títulos, 6 prêmios de MVP das finais, 5 prêmios de MVP da temporada regular e 14 aparições no All Star-Game. Mas Larry Bird precisou de 48 minutos para enxergar o que, atualmente, é quase um consenso: ninguém foi como Michael Jordan.