<
>

Palmeiras define 'DNA' e escolherá treinador que atenda duas características cruciais para futuro

Segundo apurou a ESPN, a diretoria do Palmeiras seguirá trabalhando em silêncio nos bastidores para contratar um novo treinador, sem comentar qualquer tipo de especulação.

No entanto, o "DNA" tão falado pelos cartolas do clube após a demissão de Vanderlei Luxemburgo, há duas semanas, está bem definido.

De acordo com fontes ouvidas pela reportagem, o Verdão busca um treinador que atenda duas características principais, consideradas cruciais tanto para agora quanto para o futuro do clube.

A primeira é que o comandante seja capaz de implementar conceitos de futebol modernos, na linha do que fazem os principais técnicos do mundo no momento.

E a segunda, também muito importante, é que o profissional tenha histórico e identificação de trabalho com categorias de base.

Isso, inclusive, é visto como essencial, já que o Alviverde pretende que os pratas-da-casa tenham ainda mais espaço no elenco principal nos próximos anos.

Esse era exatamente o perfil que o Palmeiras enxergava em Miguel Ángel Ramírez, do Independiente Del Valle.

Nas conversas com o espanhol, ele topou assumir a equipe paulista, mas só em 2021, após o final da atual temporada. Com isso, os palestrinos decidiram buscar outro nome.

Fontes ouvidas pela ESPN asseguram que o Palmeiras não recebeu "não" de nenhum técnico para o qual tenha feito proposta oficial.

Além disso, nos bastidores há a garantia de que muitos contatos especulados na mídia sequer aconteceram, já que muitos nomes não atendem ao "DNA" buscado pela diretoria.

Enquanto não encontra um treinador, o Palmeiras vai sendo comandado por Andrey Lopes, que é auxiliar-técnico fixo no Palestra Itália.

Até o momento, ele soma duas vitórias (contra Atlético-GO, pelo Brasileiro, e Tigre, pela Conmebol Libertadores) e uma derrota (para o Fortaleza, pela Série A).

Seu próximo compromisso será nesta quinta-feira, contra o Red Bull Bragantino, pelas oitavas da Copa do Brasil.

O Alviverde está sem comandante desde a demissão de Vanderlei Luxemburgo, que caiu após derrota para o Coritiba, em 14 de outubro.