<
>

Botafogo: Honda se encanta com torcedora que chorou ao receber camisa do Flamengo e faz convite

play
Pequena torcedora do Botafogo ganha camisa do Flamengo em aniversário, se irrita, chora e isola uniforme (0:35)

Via @VideosFogao | História de Anna Luiza ficou famosa nas redes sociais (0:35)

Nesta semana, Keisuke Honda fez a alegria de Anna Luiza.

O astro japonês retuitou o vídeo do aniversário de cinco anos da menina, em novembro do ano passado. Na festa, toda dedicada ao time de coração Botafogo, a criança ganhou uma camisa do Flamengo.

A gloriosa mirim não gostou nada do “presente”.

“A família é tomada de flamenguistas e todo mundo enche o saco dela, já ofereceram boneca para ela trocar de time e vestir a camisa do Flamengo, mas ela fica bem brava”, revelou a mãe Celiane à reportagem.

Na época em que o vídeo foi publicado, Anna Luiza recebeu uma mensagem do goleiro Diego Cavalieri.

play
0:22

Diego Cavalieri manda mensagem para pequena torcedora do Botafogo que viralizou

Anna Luiza fez sucesso nas redes sociais com sua reação ao ganhar uma camisa do Flamengo de aniversário

Honda ainda não jogava no Botafogo, mas ao assistir ao vídeo se encantou com a reação da pequena fã. “Eu amo essa garota”, publicou o meia.

Em retribuição, ela mandou um vídeo agradecendo ao ídolo, mas não com uma mensagem qualquer...

“Anna soube que Honda falou dela e gravou o vídeo para agradecer, mas disse que responderia só se fosse com um 'obrigada' em japonês”, contou Celiane.

play
0:07

Pequena torcedora do Botafogo que se irritou com uniforme do Flamengo agradece Honda em japonês: 'Arigatou'

Via @amsfjb | Garota Anna Luiza viralizou com sua reação ao ganhar uniforme rubro-negro de aniversário

A menina conquistou de vez o jogador, que gosta de ser exemplo para as crianças.

Vou fazê-la visitar o estádio quando a COVID-19 se acalmar”, prometeu Honda.

Anna Luiza nunca foi ao Nilton Santos. Ela mora em Santarém, no Pará. Segundo a mãe da pequena, o único lugar que a família “viaja” é para Manaus. É lá que Anna Luiza faz um acompanhamento médico: quando tinha dois anos, foi diagnosticada com Artrite Idiopática Juvenil Sistêmica, uma inflamação nas articulações.

“Com dois aninhos de idade, ela parou de andar. A gente chegava perto dela e ela encolhia as mãos, pedia para não encostarmos nela. Inflamou quadril, cotovelo... Aí descobrimos o problema de saúde. Cuidamos, ela ainda faz um tratamento por tempo indeterminado, mas hoje ela anda normalmente e já pode receber abraços".

"E esse abraço do Honda está sendo mais que esperado”, revelou Celiane.