<
>

Flamengo na pele! As histórias e loucuras de torcedores que eternizaram o título da Libertadores com tatuagens

O Flamengo venceu a Copa Libertadores e agora busca o Mundial.

Os jogadores e Jorge Jesus treinaram, superaram desafios e se tornaram donos da América; a torcida também fez sua parte, apoiando das arquibancadas, empurrando os jogadores e... fazendo promessas.

Até onde vai sua loucura? Cada um prova seu amor como bem entende, e não existe limite para isso. Mas uma das mais comuns, e loucas, formas de provar sua devoção ao clube é fazer uma tatuagem (ou até várias).

O ESPN.com.br procurou torcedores malucos que eternizaram a conquista da Libertadores de 2019 em sua pele, pedindo para contarem suas histórias, as reações e até o que estão prometendo para o Mundial! Chega mais:

Lucas Pedrozo

Ele é um ícone do Flamengo! Pensamos em fazer a tatuagem durante a semifinal, e no final do primeiro jogo contra o Grêmio tive a ideia de tatuar o nome do Rodinei na perna. Meus amigos ficaram meio que com um pé atrás, se perguntando: "Por**, Rodinei?", e eu falei: "Sim, temos que fazer um promessa, uma dívida pra algum Deus nos dar esse título.". Foi aí que decidimos apertar as mãos e fazer essa promessa.

A reação da família? Só disseram que um dia nós íamos se arrepender. Os amigos ficam perguntando por que Rodinei, sendo que ele foi reserva e não é lá grande jogador. Ficam perguntando: "por que não Gabigol?"

Roberta Trancoso

Eu sempre tive vontade de fazer uma. Depois do 5x0 no Grêmio, a música de dezembro de 81 ficou bastante na minha cabeça, então eu tive a ideia de colocar a bandeira no globo com a letra da música. Eu até brinquei no Twitter que tem um duplo sentido na tatuagem, que, no caso, são as próprias bandeirinhas, inspiradas na bandeira do Flamengo antifascista. Tinha mandado o e-mail pro tatuador sugerindo tudo logo depois do jogo do Grêmio, acho que eu quis marcar com antecedência pra não poder voltar atrás se o Flamengo perdesse. Mas tenho certeza de que mesmo perdendo eu não desistiria, porque a ideia da tatuagem não era só representar a vitória, mas sim representar o meu amor pelo Flamengo mesmo, e isso existe independentemente de qualquer título.

Todas as reações foram na linha de “nossa, eu SABIA que você ia fazer isso". Foi muito legal receber apoio assim, ninguém falou que era loucura nem nada. Para o Mundial eu prometi um mês sem beber. Pode parecer pouco, mas tem natal e ano novo no meio do caminho.

Sergio Denis Júnior

Eu tenho essa ideia desde menor, talvez tenha sido aos 11 anos de idade. Fiz uma promessa de que quando eu visse o Flamengo ser campeão da Libertadores faria uma tatuagem em homenagem...

Meus familiares apoiaram, já que o Flamengo é minha paixão. Minha noiva também apoiou e também é rubro negra... Todos acharam a tattoo muito irada e bem criativa.

Victor Hugo

Sou torcedor fanático, tudo pelo Flamengo. Sempre brinquei com os antis, já fiz muita aposta, a princípio ganhei todas nesse ano. Quando perdemos pro Emelec lá os antis vieram com tudo para a zoação, falando.do cheirinho, que não íamos ganhar nada esse ano , que o título expressivo era a 'Copa Mickey'... Ouvi muito deles, e mediante a isso e à minha confiança no meu time, lancei a promessa na frente deles: se o Flamengo ganhar do Emelec e ir rumo ao título eu faria uma tatuagem do Rodinei. Todo mundo riu e duvidou, me perguntam por que o Rodinei... Fazer um simples escudo não teria graça, fazer o melhor jogador do elenco não teria tanta resenha, Rodinei é um jogador criticado pela torcida mas é a resenha do grupo, o cara que está sempre alto astral, e como ele é criticado e parte não curte muito, seria o peso da promessa. Cada jogo do Flamengo os antis secavam, e quando o Flamengo passava de fase eles falavam: "Pelos menos o Victão vai fazer o Rodinei. A reação de todos é igual, todos me chamam de loucos."

Já tinha avisado a um amigo tatuador da loucura que faria caso viesse o título. Depois de fortes emoções em meio a comemorações e muitas lágrimas, mandei mensagem pra ele pra avisar que estava de pé, que seria realmente o Rodinei com a taça. Cheguei a falar com ele que faria o Mister também, mas pensei bem e esperei... Vai que eu faço o Mister após a conquista do Mundial?

Fiquei muito feliz com a repercussão, a Nação curtiu e compartilhou até chegar nele. Ele, Reinier e Gerson repostaram no Instagram. Após uns seis dias, o Rodinei fez contato agradecendo a homenagem, e ficamos de tirar uma foto juntos.

Paula Mayworm Villaça

Lá em casa eu e meu pai somos muito apaixonados. Desde o início da trajetória do Flamengo na Libertadores, começamos a fazer algumas promessas. A cada fase, eu ia cumprindo com todas as minhas promessas. Para a final da Libertadores, desde a primeira fase eu prometi que faria uma tatuagem homenageando a conquista e eternizando as taças. Foi minha primeira tatuagem e quis representar o Bicampeonato: Liberta de 19 e Liberta de 81! Me deram a ideia de utilizar os números 19 com numeração desse ano na camisa e o 81 com a fonte usada na numeração da camisa daquele ano.

Minha mãe ficou uma semana sem falar comigo, ela não acreditou quando viu na foto e quando nos encontramos pessoalmente... Agora ela já voltou e está até pensando em fazer a primeira dela. Minha avó viu, mas ainda não acreditou. Está achando que vai sair...

A primeira promessa para passar da fase de grupos foi comprar uma imagem nova de São Judas Tadeu e ir com ela até a Igreja de São José, no centro do Rio, para a bênção. Depois prometi comprar as duas camisas desse ano, a rubro-negra e a branca. Depois ficar sem Twitter até o jogo da Libertadores contra o Inter no Maracanã, e fiquei também quase 2 meses sem comer nenhum tipo de doce, sobrevivendo aos aniversários da minha família.

Pedro Paulo Borges Moura

Cara ideia veio como uma promessa que se o Flamengo fosse campeão eu iria fazer a taça da Liberta. O Jesus que é o técnico que mudou o jeito do Flamengo jogar, que fez ele virar essa máquina, e eu iria fazer o rosto de dele por isso. Aí iria fazer de quem fosse herói da final. No caso, se fossem, por exemplo, Gabigol e Arrascaeta, eu iria fazer os dois também.

Primeiro que ninguém acreditou, todo mundo achou que eu era louco e ainda acha. Mas todo mundo elogiou... Chego na balada pra tocar e todo mundo pede pra ver

Marcos Paulo Pinto Teixeira

Cara, eu morro de medo de tatuagem, não tinha nenhuma no corpo até essa. Porém, nos dias antes que antecederam a final, eu rezava muito antes de dormir para que a gente saísse campeão daquela partida contra o River. Foi durante uma dessa rezas noturnas que o pensamento de fazer uma promessa em relação a tatuagem veio a tona, me fazendo prometer ali mesmo, acatar um juramento tão rejeitado por mim. Coloquei essa promessa como meta e seguimos em frente, mas sempre com um certo medo dessa promessa que me matava de medo mas que ao mesmo tempo me deixava louco para realizar.

No decorrer da partida, com o Flamengo atrás e faltando poucos minutos para acabar o jogo, fui ao chão e iniciei o meu momento supersticioso. Nesse momento de tensão cheguei a decisão do que iria tatuar caso o Flamengo saísse daquela partida campeão. Prometi para mim mesmo que o gol do título seria eternizado no meu corpo, mesmo se fosse do Rodinei.

O local da tatuagem foi escolhido estrategicamente para jamais esquecer a tão conhecida comemoração do nosso "salvador da pátria", pois é impossível não mencionar frase "Hoje tem gol do Gabigol" e não relacional ao movimento

A família se espantou pela minha coragem, pois já escutaram inúmeras vezes eu dizer que jamais faria uma tatuagem. O tatuador, flamenguista mas não tão fanático, se amarrou e abraçou a ideia de primeira, apesar de achar uma loucura. Os amigos se amarraram tanto que dois deles me pediram o contato do tatuador e a arte desenhada pelo o mesmo para poderem fazer exatamente igual.

E já tem mais uma promessa feita caso o Flamengo conquiste o título do Mundial! É surpresa como na outra vez, deu certo!

Guilherme Andrade

No meu caso não foi promessa. Tem um amigo meu que é tatuador, flamenguista fanático também, que criou a arte e me fez a proposta de tatuar o maior ídolo da nossa geração, e eu não pensei duas vezes. Todos pensam que é loucura tatuar o rosto de um jogador, mas eu sei que daqui a 50 anos esse dia ainda vai ser lembrado, e o Gabigol ficou marcado na nossa história!! Ele pode sair do Flamengo, mas o feito na minha opinião o colocou na primeira prateleira de ídolos do clube!

A minha tattoo teve uma enorme repercussão e foi parar na argentina, virou matéria no Olé! Quando eu saio na rua aqui onde eu moro o pessoal não me não me dá nem bom dia, boa tarde e boa noite, já querem que eu mostre a tatuagem. No Instagram recebi muito seguidores argentinos, primacialmente torcedores do Boca que entraram em contato comigo... Com alguns já fiz até uma certa amizade.

O tatuador ainda não sabe qual vai ser a do mundial, mas ele quer fazer mais uma.

Jaime Júnior

A promessa veio após eliminarmos o Emelec! Prometi que tatuaria a taça da Libertadores e o jogador que fizesse o gol do título!! No dia seguinte após o título eu vi essa a foto e gostei na hora!

Todos meus amigos acharam sensacional, até amigos que torcem pra outro time. Ainda estou na busca do autógrafo dele pra completar a tatto! O tatuador já havia feito duas taças da libertadores e ficou amarradão também quando dei a ideia! Na família, disseram que sou louco.

Jacques de Aquino Rodrigues Junior

Então, a ideia da tatuagem surgiu depois que o Flamengo ganhou de 5x0 do Grêmio. Assim que acabou o jogo mandei mensagem pra minha tatuadora dizendo que faria o gol do titulo. Fui aprimorando a ideia, e sábado antes do jogo, fui ao estúdio dela planejar tudo. Como planejado estive no estúdio dela às 9:30 da manhã de domingo... Não digo q foi promessa, foi uma afirmação pois eu já sabia que ganharíamos.

Foi incrível, muitos elogios, algumas criticas, mas o pessoal gostou muito. Muitas mensagem querendo copiar, muitos defendendo minha tatuagem com quem falava mal. A família achou normal pois não esperavam menos de mim, a terceira já do Flamengo, estão acostumados. A tatuadora foi a emoção comigo.

Marllen Flor Pinto

Então, no meu caso a ideia surgiu depois do título. Sempre ouvi falar de 81, e esse ano eu vivi a história. Daí veio a ideia da tatuagem, conversei com o tatuador e juntos montamos a arte. É um título que literalmente vai estar marcado na minha vida!

Eu não falei literalmente pra ninguém que faria essa tatuagem, só fui, e a reação de muitos quando viram o resultado foi me chamar de maluco, dizer que não teriam essa coragem. Mas é aquilo, nunca entenderão. Na minha família, por serem todos flamenguistas e saberem do meu amor pelo time, não teve muito espanto. Todos gostaram e me apoiaram.

O problema foi que a tatuagem quase acabou com a minha melhor amizade, porque ela não gosta de tatuagens, principalmente de times. Não tenho mais nada, mas não me arrependo e faria de novo! Pro mundial ainda não pensei em nada, mas se ganhar... Tem mais espaço pelo corpo.

Lucas Marcelo Fernandes Ribeiro

Eu fiz uma promessa que se o Flamengo fosse campeão, faria uma tatuagem com a taça e com a frase “Jogamos juntos. Vencemos juntos".

Se for campeão mundial vou fazer no outro braço, com a frase “Ganhamos o Mundo De Novo”.

Ronaldo Ramos de Oliveira

A ideia veio na semana do título. O desenho já tinha em mente a muito tempo. Esse título significou muito para a minha geração, porque só ouvíamos falar do ano mágico que foi 1981. Meu pai sempre me contava sobre aquele time que dava gosto de se ver jogar. E olha que ele é tricolor. Então decidi marcar esse ano histórico da minha vida. Assim como meu pai me falava de 1981, eu posso falar pros meus filhos o ano mágico que foi 2019.

Meu pai é tricolor e minha mãe botafoguense. Minha mãe fala que desde de pequeno eu já ficava vidrado nas cores vermelhas e preto, aí quando tinha poucos anos de vida meus pais me deram uma camisa do Flamengo com o nome do Romário, que se tornou pra mim um ídolo daquela época e um cara que eu sempre tive gosto de ver jogar.

Flávia Bessa

Ao longo da fase de mata-mata eu fui fazendo promessas pra cada vitória. A promessa da final tinha que ser a mais séria, então prometi que tatuaria o nome do jogador que fizesse o gol do título. Felizmente, foi o Gabigol. Procurei um autógrafo dele na internet e, na terça-feira após o jogo, tatuei.

Contra o Emelec, fiquei um mês sem comer chocolate. Contra o Inter, sem cerveja. Contra o Grêmio, um mês sem usar maquiagem.

O tatuador, no dia, falou "Isso é muita doideira, e olha que eu tenho uma pizza tatuada". Teve gente que me chamou de maluca, mas, no geral, todo mundo gostou. Até quem não é flamenguista achou legal eu cumprir a promessa.

Ingredi

O CRF eu já tinha marcado na pele há alguns anos. A taça veio a vontade de fazer assim que o Flamengo ganhou a Libertadores. Não foi promessa, mas queria deixar registrado o quanto esse título foi importante pra nós, flamenguistas. Eu procurei alguns desenhos e gostei bastante desse mesmo. Assim como um quadro que fiz com a foto do Gabigol beijando a taça também e coloquei na sala de casa.