<
>

Figueirense: Diretoria traz 8 reforços de uma vez e diz que acertou salários de funcionários e da base

play
Jogadores do Figueirense que se recusam a jogar por não pagamento de salários merecem todos os elogios (3:00)

Comentarista diz que atitude dos atletas do clube catarinense foi corajosa. Eles alegam atrasos diversos, Fundo de Garantia não depositado, acordos desrespeitados, etc. (3:00)

A diretoria do Figueirense informou nesta quinta-feira, por meio de nota oficial, que acertou os salários dos funcionários do clube e dos jogadores e membros das comissões técnicas das categorias de base.

"Conforme ratificado no termo de compromisso assinado com a Associação Figueirense, o Figueirense Futebol Clube informa que a regularização dos pagamentos de 2019 segue sendo feita até o dia 28 de agosto", escreveu o clube.

"Conforme o planejamento financeiro preestabelecido pela diretoria, os salários dos funcionários, incluindo os da sede e do Centro de Formação e Treinamento (CFT) do Cambirela, foram colocados em dia nesta quinta-feira (22)", prosseguiu.

"As categorias sub-15 e sub-17, que também estão trabalhando normalmente, receberam duas ajudas de custo neste dia (22). O mesmo vale para as respectivas comissões técnicas", completou.

Os atrasos com o elenco principal, que deu WO no jogo contra o Cuiabá, na última terça-feira, pela Série B, serão resolvidas pontualmente, de acordo com o time de Florianópolis.

De acordo com o comunicado, a proposta foi aceita pelo volante Zé Antônio, capitão da equipe e líder das negociações entre elenco e a Elephant, empresa que comanda o futebol do clube.

"As pendências anteriores serão equacionadas a partir de negociações pontuais, como já ocorreram nas últimas semanas e foram aceitas por jogadores profissionais, como o volante Zé Antônio, e fornecedores", informou o Figueira.

Com isso, os jogadores devem retornar aos treinos após seis dias de greve.

8 REFORÇOS DE UMA VEZ

Em meio à crise, a diretoria do Figueirense também acertou com oito reforços de uma vez, todos por empréstimo.

No "pacotão", aparecem o volante Christian, do América-MG, o meia Léo Costa, com passagens por Portuguesa e Santa Cruz, e o experiente atacante Everton Santos, que já jogou por Corinthians, Fluminense e Paris Saint-Germain.

Segundo o meia Tony, que faz parte do elenco "antigo" (o que participou do protesto e do WO), os novos atletas da equipe alvinegra foram avisados sobre a situação delicada.

"Conversamos sobre isso entre nós e até com os jogadores que chegaram. Deixamos eles cientes do que está acontecendo, que não é uma situação fácil, uma situação simples, e o motivo do WO. No momento que estamos vivendo, o clube apresentando novos jogadores... É normal no futebol, mas não numa situação que estamos vivendo hoje. Eu acho que para o torcedor, para nós, para cada um que veste a camisa do Figueirense, é difícil de entender. Com tantos atrasados, chegar e ver novos jogadores é complicado. Serão bem recebidos. Cada um falou um pouco. Só queríamos que eles soubessem", afirmou.

O próximo jogo do Figueirense pela Série B será no sábado, às 19h (de Brasília), contra o CRB, no Orlando Scarpelli.