<
>

Alexis Sánchez já valeu R$ 191 milhões e foi desejado na Europa; agora, treina nos reservas do United

O pesadelo do atacante Alexis Sánchez no Manchester United parece não ter fim.

Segundo o tabloide inglês The Sun, o técnico dos Red Devils, Ole Gunnar Solskjaer, forçará o chileno a treinar com a equipe reserva se ele não aceitar ser negociado pelo clube.

De acordo com o diário, o clube inglês aceita até pagar a maior parte do espantoso salário do atacante (500 mil libras, ou R$ 2,433 milhões) por semana para tentar encontrar um interessado por seu futebol até o fechamento da janela europeia de contratações, que fecha em 2 de setembro.

A Roma teria demonstrado interesse, mas não enviou proposta oficial por não saber se terá condições de arcar com os vencimentos astronômicos de Sánchez.

Com isso, os "Diabos Vermelhos" temem ter que arcar com 8,6 milhões de libras (R$ 41,85 milhões) até janeiro, quando terão nova chance de vender o sul-americano.

Alexis viu sua situação no United ficar ainda pior depois de brigar com o jovem Mason Greenwood, jogador de quem Solskjaer gosta muito, durante a pré-temporada.

Com isso, se suas chances de entrar em campo já eram pequenas, tornaram-se praticamente nulas com o problema de comportamento.

Com o norueguês no comando, Sánchez fez apenas 16 partidas e anotou um mísero gol.

Vale lembrar que o chileno já chegou a valer 42,5 milhões de euros (R$ 191 milhões, na cotação atual), quando foi contratado pelo Arsenal do Barcelona, em julho de 2014.

Durante o fim de seu contrato com os Gunners, o atleta foi cobiçado por praticamente todos os grandes da Europa, e fechou com o United por 34 milhões de euros (R$ 152,94 milhões, na cotação atual), em janeiro de 2018.

Em sua passagem por Manchester, ele acumula 45 jogos e apenas 5 gols.

A imprensa inglesa afirma que ele sequer será utilizado na Premier League, podendo vir a ser testado vez ou outra em partida de menor importância, como na Copa da Liga.