<
>

Primeira Liga desiste de fazer campeonato e que agora só quer nova associação de clubes nacional

Após longa reunião nesta terça-feira, em Belo Horizonte, a Primeira Liga decidiu que não irá mais organizar competições.

Em comunicado, a entidade salientou que o calendário do futebol brasileiro “já está superlotado”, e que agora a entidade mudará para uma Associação Nacional de Clubes.

Dessa forma, não haverá o retorno da Copa da Primeira Liga e nem da Copa Sul-Minas, como havia sido cogitado pela manhã por representantes das equipes.

Confira o comunicado:

A Primeira Liga, por meio de reunião entre representantes de clubes fundadores, filiados e convidados, definiu nesta terça-feira suas novas diretrizes de atuação. Após o debate, os clubes decidiram uma proposta de ajuste e evolução da Primeira Liga, que vai trabalhar em prol do futebol brasileiro, solucionando questões relevantes e pertinentes a todos os clubes.

A principal definição é de que a Primeira Liga não vai mais organizar uma competição, pois entende que o calendário do futebol brasileiro já está superlotado.

Desta forma, a Primeira Liga se propõe a contribuir para a construção de uma Associação Nacional de Clubes, a fim de trabalhar com foco na unificação das agremiações em busca de melhores para o futebol brasileiro, tais como:

- Aperfeiçoamento e modernização das legislações esportiva, trabalhista e tributária

- Captação de novas receitas no mercado para o futebol

- Entre outras; Os clubes irão trabalhar conjuntamente com as entidades de administração do desporto na busca de soluções para o crescimento do futebol brasileiro.

FALTA DE DATAS

Em coletiva depois da reunião, o presidente da Primeira Liga, Marcus Salum, explicou que um dos fatores que desmotivou a realizar uma nova competição foi a falta de datas.

“(Desistir de fazer competição) É um amadurecimento de decisão. Eu e o Leonardo, vice-presidente, já conversamos com todos os parceiros em relação a isso para discutir como colocar uma competição. Só temos um contrato ainda para realizar uma competição, mas foi solicitado que a gente não fizesse nem em 2018 e nem em 2019, por causa da Copa do Mundo e da Copa América. Onde nós vamos incluir uma competição? A pré-temporada diminuiu, a pré-Libertadores foi antecipada, a Copa do Brasil tem uma fase preliminar 15 dias depois da pré-temporada, os regionais estão com datas estouradas. Onde nós vamos colocar outra competição?”, questionou.

Salum, que também é mandatário do América-MG, também explicou o porquê de um torneio sub-23 ter sido descartado.

“A possibilidade de fazer um torneio sub-23 foi ventilada, mas já existe um campeonato nacional sub-23. Para que vamos fazer um campeonato se não tem força? Estamos sendo maduros. É remar contra a maré. Nós vamos colocar jogos em uma competição que não tem atenção. Na segunda (edição da) Primeira Liga, até treinadores não foram aos jogos. Então, para ter competição, teria que ser uma competição de peso, mas não tem espaço no calendário brasileiro. Nossa busca hoje é no sentido de trabalhar em outra direção. Não existe essa possibilidade hoje (de organizar competição). Tudo na vida tem seus caminhos. Mas, no momento, não existe essa possibilidade”

QUEM PARTICIPOU

Marcus Vinícius Salum - Presidente do América-MG
Cláudio Aparecido Canuto – Presidente do Londrina
Leonardo de Oliveira – Presidente do Paraná Clube
Marcelo Penha Ribeiro - Representante do Fluminense
Edu Pesce Filho – Representante do Brasil de Pelotas
Jaime Dal Farra – Presidente do Criciúma
Eduardo Arruda – Representante do Ceará
Romildo Bolzan – Presidente do Grêmio
Felipe Dallegrave – Representante do Internacional
Lucas Ottoni - Representante do Atlético-MG
Plínio D. de Nes Filho – Presidente da Chapecoense
Rodrigo Gama Monteiro – Representante do Athletico Paranaense
Ecival Martins – Presidente do Vila Nova-GO
Vicente Cândido – Representante do Corinthians