<
>

BRT para 2020, projetos em aeroporto e estação de metrô prevista: as obras da Copa em Salvador 5 anos depois

play
ESPN mostra como é chegar na Fonte Nova de transporte público (0:47)

Repórter Thomas Polistchuck fez o trajeto até o estádio e mostra como é (0:47)

Cinco anos depois da Copa do Mundo, o Brasil começou a receber nesta sexta-feira mais um grande torneio de futebol, a Copa América.

E, cinco anos depois, o país ainda tem obras atrasadas em praticamente todas as sedes. Em Salvador, na Bahia, o BRT só deve sair em 2020, enquanto o Aeroporto Internacinoal da cidade passa por melhorias constantes. Já a ampliação da Linha 2 do metrô depende da demanda. Veja!

BRT

O Bus Rapid Transit (BRT) chegou a ser incluído na Matriz de Responsabilidades da Copa pela prefeitura de Salvador, mas foi retirado do documento, já que não havia possibilidade de entregar a obra para o Mundial.

Em entrevista presencial à ESPN no SEMOB, em Salvador, Fábio Mota, secretário de Mobilidade Urbana da cidade, falou: "O BRT nunca foi liberado para a Copa. Entrou lá no discurso político, mas, do ponto de vista orçamentário, não saiu. Apesar de ter sido lançado e festejado, a liberação só se deu em 2016 (ou seja, dois anos após o Mundial)".

Mota ainda deu mais detalhes do motivo de o Bus Rapid Transit ter sido retirado da Matriz de Responsabilidades : "Quando a verba é do Governo Federal, o munícipio só pode fazer o processo licitatório quando a União faz o empenho do recurso e assina o convênio. Apesar de a obra do BRT ter sido colocada na lista para a Copa, passou a Copa e não houve empenho".

Passados cinco anos do Mundial, as obras do BRT de Salvador, hoje, estão em fase inicial no primeiro trecho, entre o Parque da Cidade e a região da rodoviária, com investimento de R$ 212.781.070,50 e recursos oriundos de financiamento junto à Caixa Econômica Federal. O secretário de Mobilidade Urbana disse à ESPN que a previsão é concluir em setembro de 2020.

Aeroporto

A Infraero deixou de operar e administrar o Aeroporto de Salvador em janeiro de 2018, quando a francesa Vinci Airports assumiu a gestão.

Quatro meses após a empresa brasileira se desligar do aeroporto, o G1 noticiou que as reformas da fachada e da nova área de check-in do aeroporto de Salvador não foram concluídas.

A ESPN tentou entrar em contato com a Infraero, mas não obteve resposta. A Vinci Airports, atual gestora do aeroporto, explicou à reportagem que as obras feitas pela antiga administradora nada têm a ver com o projeto atual.

A imprensa francesa ainda diz que as obras hoje em andamento foram iniciadas em 2018 e não são uma continuação do que foi feito no passado.

Quando assumiu, em 2018, a concessionária deu início em abril à primeira etapa das obras de modernização e ampliação. A Vinci detalha que a fase contempla 90% das intervenções previstas no Contrato de Concessão e estará concluída em 31 de outubro de 2019. O andamento das obras está dentro do previsto e mais de 70% de tudo que será feito nesta etapa já foi concluído.

O jornal Correio, da Bahia, publicou em março de 2019 que a área total construída do aeroporto cresceria em 22 mil metros quadrados após as atualizações. Com objetivo de aumentar a segurança e se adequar às normas internacionais de aviação, a Vinci anunciou, em nota, que a última etapa de intervenções na pista principal começou no final de maio deste ano.

A imprensa francesa iniciou a entrega dos "check-ins com nova configuração" em setembro de 2018: "A reformulação, somada às demais melhorias previstas na primeira fase das obras de modernização e ampliação, tornará o nosso aeroporto mais funcional e confortável", destacou o diretor-presidente do Aeroporto de Salvador, Julio Ribas, na época.

Por mensagem, a Vinci afirmou à ESPN que é um desejo da concessionária realizar melhorias na fachada do aeroporto, apesar de as mesmas não serem uma obrigação prevista no contrato de concessão.

METRÔ

A expectativa inicial era que a estação do Retiro do metrô (Linha 1) estivesse pronta antes da Copa, mas ela só começou a operar em agosto do mesmo ano, quando o torneio já tinha acabado.

A superintendente de mobilidade da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano, Grace Gomes, explicou à ESPN, por mensagem, que a estação não foi inaugurada antes devido ao calendário de obras. Hoje, opera normalmente.

O governo baiano também tinha o objetivo de incluir na Matriz de Responsabilidades a Linha 2 do metrô. No entanto, pela impossibilidade de inauguração a tempo, a obra não entrou no documento. Passados cinco anos da Copa, todas as estações foram entregues, tirando a Lauro de Freitas.

Em contato com a Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Estado (BA), a reportagem apurou que ainda está prevista a construção da Estação Lauro de Freitas, após a do Estação Aeroporto de Salvador (que fica no bairro de São Cristóvão, limite com o município de Lauro de Freitas).

Essa ampliação só depende da demanda. Segundo o jornal A Tarde, de Salvador, para que a futura Estação Lauro de Freitas seja construída, a Estação Aeroporto tem que atingir o volume de seis mil passageiros em horários de pico durante seis meses consecutivos para que os estudos da obra sejam iniciados e, consequentemente, assinada a ordem de serviço pelo governo estadual.