<
>

Manchester City entra com ação contra a Uefa na CAS para não ser excluído da Champions League

A CAS (Corte Arbitral do Esporte), na Suíça, divulgou nesta quinta-feira que o Manchester City entrou com uma apelação contra a Uefa (União das Federações Europeias de Futebol) para tentar não ser excluído da participação na Champions League por conta das investigações sobre suposto desrespeito ao fair play financeiro e fraudes fiscais em balanços que vêm sendo conduzidas sobre o time.

Um painel será formado para analisar o caso no tribunal, que é a maior instância da Justiça desportiva internacional. Não foi divulgado quando será tornado público o resultado emitido pela corte.

Em maio, o jornal The New York Times revelou que a investigação que está sendo conduzida nas finanças dos Citizens desde janeiro deste ano tem grande chance de deixar o time inglês de fora da Liga dos Campeões, torneio que é o maior sonho do clube.

O diário mostrou que o grupo responsável pelas investigações se reuniu na sede da Uefa (União das Federações Europeias de Futebol), em Nyon, na Suíça, para apresentar suas conclusões sobre o tema.

De acordo com o veículo, o painel de investigadores, que é chefiado pelo ex-ministro da Bélgica Yves Leterme, deve propor que os Citizens sejam banidos da Liga dos Campeões por ao menos uma temporada.

No entanto, ainda não está decidido se o City teria que cumprir o gancho já na Champions 2019/20, cujos jogos qualificatórios começam no próximo mês de junho, ou se apenas na temporada 2020/21.

Pessoas envolvidas na investigação que foram ouvidas pelo NY Times disseram que a punição estaria ligadas às acusações de que o clube enviou à Uefa informes falsos de seus balanços financeiros, além de revelar o valor incorreto do tanto que recebe de patrocínio, tudo para driblar as regra de fair play financeiro da entidade que rege o futebol europeu.

Até o momento, o Manchester City não negou que os e-mails e documentos obtidos pela revista alemã Der Spiegel, que deram início á investigação, sejam falsos. A única atitude do time celeste foi divulgar um comunicado para dizer que não comentaria o caso.

"Não iremos comentar qualquer coisa que envolva material que foi hackeado e roubado do City Football Group e de empregados do Manchester City e seus associados. A tentativa de danificar a imagem do clube é clara", limitou-se a afirmar a equipe.