<
>

'Football Leaks' revela que Uefa encobriu doping financeiro ilegal de PSG e Manchester City

O Football Leaks soltou uma bomba daquelas nesta sexta-feira.

Novos documentos vazados e publicados por jornais e revistas que fazem parte do EIC (Investigadores Colaborativos da Europa) mostram que a Uefa, através de seu ex-presidente, Michel Platini, e do ex-secretário-geral Gianni Infantino (atual presidente da Fifa), encobriu sistematicamente o doping financeiro ilegal de Manchester City e Paris Saint-Germain, descumprindo totalmente as regras de fair play.

De acordo com os papéis, a entidade que rege o futebol europeu deveria ter punido as duas equipes por desrespeito às regras estipuladas há cinco anos pela própria organização. No entanto, nada foi feito, e a dupla disputou normalmente competições como a Champions League.

Reportagem publicada pela revista alemã Der Spiegel diz que "os clubes são descaradamente controlados por Governos autoritários de Estados do Golfo Pérsico".

O veículo diz ter "milhares de páginas" que comprovam as irregularidades entre Uefa, PSG e City, e revela que:

1. Manchester City e PSG desrespeitaram sistematicamente as regras de fair play financeiro da Uefa nos últimos anos
2. Gianni Infantino, como secretário-geral da Uefa, protegeu City e PSG
3. A Uefa não puniu e nem excluiu os clubes da Champions, como fez com várias outras equipes pelo mesmo motivo
4. Infantino se reuniu de maneira secreta com os presidentes do PSG e do Manchester City para tratar do tema
5. Os donos do PSG injetaram 1,8 bilhão de euros (R$ 7,57 bilhões) de forma irregular no clube, iludindo o fair play financeiro, com tudo sendo encoberto por Infantino e Platini, o que impediu que eles fossem sancionados em competições europeias

Ainda de acordo com a revista alemã, o Football Leaks promete vazar mais documentos nas próximas semanas, divulgando ainda mais escândalos em breve.

Vale lembrar que o PSG é propriedade da Qatar Sports Investments, um fundo do Catar que é comandado por Nasser Al-Khelaifi, também presidente da equipe francesa.

Já o City pertence ao City Football Group, holding que tem dinheiro dos Emirados Árabes Unidos e também da China.

PSG SE DEFENDE

Em comunicado emitido após a publicação da notícia, o PSG negou qualquer irregularidade.

"O Paris Saint-Germain sempre cumpriu estritamente as leis e regulações estipuladas pelas instituições esportivas. O clube sempre cumpriu tudo de maneira correta e nega as alegações publicadas pela imprensa nesta sexta-feira", escreveu a equipe.

"Desde a introdução do fair play financeiro, o PSG foi um dos clubes mais auditados e investigados da história [...] Nos últimos sete anos, o clube contribuiu e forneceu todas as informações de suas conta e contratos às auditorias", assegurou.

"O PSG entende e aprova a vontade de estabilizar o endividamento dos clubes europeus e apoia a regulação das finanças, de forma a apoiar o investimento sustentável no futebol", complementou.