<
>

Algoz em 2004 e 2010, colombiano que volta a 'assombrar' o São Paulo fracassou no Brasil por 'dormir demais'

Sem títulos desde 2012, o São Paulo vive uma das piores fases de sua história. Apesar disso, uma eliminação vivida pelo clube em 2004, ano que antecedeu um dos períodos mais vencedores de sua história, ainda "machuca" grande parte dos seus torcedores. Trata-se da queda na semifinal da Copa Libertadores para o Once Caldas, desconhecido time colombiano que viria a ser campeão continental naquele ano.

Se aquela derrota é considerada inesquecível para os fãs, uma eventual derrota para o Talleres, na fase prévia da atual edição do torneio, também é algo que causa calafrios em grande parte da torcida. E o que muita gente não sabe é que há um ponto comum entre as equipes colombiana e argentina. Trata-se de Dayro Moreno, hoje em dia um experiente atacante com ótimo retrospecto de gols praticamente por todos os clubes que passou, mas que iniciou a sua trajetória justamente no Once Caldas, sendo inclusive titular no jogo que selou a eliminação dos brasileiros da Libertadores de 2004.

Desde lá, o colombiano virou um andarilho da bola, atuando principalmente em clubes de seu país e do México. No Once Caldas, por exemplo, Moreno acumula nada menos do que quatro passagens, sempre com uma ótima média de gols. Em um desses retornos, inclusive, decretou mais uma vitória de sua equipe para cima do São Paulo, na Libertadores de 2010.

No Millonarios, onde esteve entre 2013 e 2014, o atacante marcou 33 gols no período. Mais recentemente, no Atlético Nacional, sua média foi ainda melhor. Contratado para substituir Miguel Borja, atual atacante do Palmeiras, ele não deixou os torcedores com nenhum pouco de saudade do campeão da Libertadores em 2016.

Em 2017, Dayro fez 29 gols em 45 partidas, pouca coisa a mais do que conseguiu no ano posterior: 24 gols em 43 jogos. Sua passagem pelo clube, porém, se encerrou repentinamente por causa de um ato de indisciplina, já que acertou uma cabeçada em um companheiro de time durante um jogo e acabou sendo dispensado, assinando então com o Talleres para 2019.

E em sua primeira experiência no futebol argentino, já mostra mais uma vez o seu faro de gol, ao marcar duas vezes no clássico com o Belgrano, no dia 22 de janeiro.

O único local que o atacante de 33 anos não brilhou foi justamente no Brasil. Em 2007, ele foi contratado pelo Athletico Paranaense e acabou dispensado apenas dois jogos depois. O motivo? Dormir demais!

"Quando ele (Moreno) veio, viu que o nosso sistema de treino é diferente de outros países. Ao redor do continente, não se trabalha de manhã e de tarde. Então, foram me chamar: 'o cara que você trouxe esteve na atividade da manhã, mas não apareceu à tarde. Fomos procurá-lo e ele estava dormindo no apartamento dele no CT'", contou Borba Filho, então olheiro do Atlético-PR e "precursor" na aposta dos clubes brasileiros em contratar colombianos, antes de prosseguir com seu raciocínio.

"Então, respondi a eles: 'É preciso ter cuidado, ele não acostumado com esse ritmo'. Fui, então, conversar com ele e me disse que estava cansado, havia deitado para descansar um pouco e acabou cochilando", justificou.

Mas essa "desculpa" não foi bem aceita no clube do Paraná, que decidiu o devolver para o seu antigo clube. "Eles tinham acertado pagamento de de US$ 100 mil, mas não pagaram. O Once Caldas estava cobrando, o jogador não era aproveitado, então, em vez de pagar, resolveram devolvê-lo. Faltou paciência e, claro, observação", completou.