<
>

'Manchester United me deixou enfrentando meus demônios sozinho', diz atacante do Crystal Palace

Wilfried Zaha disse que passou pelo “inferno” durante o ano em que defendeu o Manchester United. Em entrevista ao Shortlist, o jogador do Crystal Palace afirmou que o clube não lhe deu apoio enquanto ele sofria dentro e fora de campo, deixando-o “lutando contra seus demônios sozinho”.

Zaha foi o último contratado por Sir Alex Ferguson no Old Trafford, quando deixou o Crystal Palace ainda adolescente, em janeiro de 2013. Porém, após ser emprestado de volta até o fim da temporada e a aposentadoria de Ferguson em seguida, ele voltou sob o comando de David Moyes, e a falta de oportunidade o deixou isolado e deprimido.

“Passei por muita coisa com o United, com a Inglaterra. Havia rumores de que a razão pela qual eu não jogava pelo United era eu tinha dormido com a filha do David Moyes, e ninguém (do clube) tentou desmentir isso. Então eu enfrentava meus demônios sozinho, esses rumores que sabia que não eram verdade”, disse.

“Eu lidava com isso aos 19 anos; morando sozinho em Manchester, longe de qualquer um, pois o clube tinha o controle de onde eu morava. Eles não me deram um caco, como qualquer outro jogador (tinha). Nada. Vivia neste inferno sozinho, longe da família, e eu pensava ‘Se isso não me fizer mais forte, o que irá?’”, completou.

Zaha jogou apenas quatro vezes pelo Unites antes de ser emprestado pelo resto da temporada 2013-14 para o Cardiff City, e depois retornou ao Palace.

O jogador de 25 anos, que jogou pela Inglaterra na base e agora defende a Costa do Marfim, teve que reconstruir sua carreira no Selhurst Park, onde marcou três gols em quatro jogos nesta temporada, assinando um contrato novo de cinco anos no último mês.

“Quando estava no United eu tinha (dinheiro), mas eu ainda estava muito para baixo e deprimido. As pessoas acham que sua vida é diferente por que você tem dinheiro, fama, então elas não te tratam da mesma forma”, afirmou.