<
>

CSGO | 'É sobre dar um passo de cada vez', diz Stewie sobre caminhada da Team Liquid no Major

Stewie volta a competir no Major com a Team Liquid Acervo Pessoal/Instagram

Em entrevista exclusiva ao ESPN Esports Brasil, Stewie conta sobre o objetivo da equipe no campeonato, rasga elogios à GODSENT e também fala sobre o apoio que recebe da comunidade brasileira, além de comentar como é voltar a jogar com Fallen


Falta menos de uma semana para o início do PGL Major de Estocolmo de CS:GO. Após mais de dois anos sem o evento mais importante do FPS da Valve, vinte e quatro times se dirigem em direção à capital da Suécia para competir pela glória de levantar o troféu do campeonato, e entre essas está a Team Liquid - que chega ao torneio com o status Legend. De volta aos palcos do Major, Stewie2k chega aos palcos de Estocolmo buscando trazer o troféu para a Cavalaria e desta vez terá Fallen ao seu lado.

A dupla formada por Stewie e Fallen não é de hoje. O norte-americano chegou a jogar ao lado do brasileiro durante os últimos meses da SK Gaming e também esteve presente nos primeiros seis meses da volta do MIBR ao Counter-Strike. Trazendo um pouco do estilo brasileiro de jogar CS que adquiriu durante sua passagem pelos elencos brasileiros, o jogador afirma que voltar a jogar ao lado de Fallen ao mesmo tempo que é divertido também é totalmente diferente.

“Jogar ao lado do Fallen sempre foi divertido, acho que ele é um grande companheiro de equipe, ele sempre tem uma atitude boa, ele trabalha muito. É totalmente diferente se reunir com Fallen agora porque, no passado, entrar no SK era uma perspectiva diferente, eles eram uma equipe campeã, eu iria segui-los, fazer o que eles dissessem e aprender tudo que eu pudesse com eles - e eu aprendi (...) é totalmente diferente porque no começo ele estava nessa fase em que sentia que precisava se atualizar com o jogo e com a meta, ele pesquisava muito. No momento, ainda estamos nesse modo de recuperar o ‘atraso’”, conta o atleta em entrevista ao ESPN Esports Brasil.

Dividindo a liderança da equipe ao longo do ano com o brasileiro, Stewie acredita que com Fallen dando as ordens dentro de jogo a equipe tem se saído melhor - inclusive foi um dos fatores que fizeram com que ele desempenhasse melhor dentro de jogo -, mas que o estilo do brasileiro ainda não funciona 100%, uma vez que “exige muita coesão, química e sinergia entre o time e muito conhecimento de jogo também”.

“O Fallen tem jogado em alto nível há anos e a Liquid também, quando você implementa um elenco diferente é um pouco difícil de construir a sinergia e a química imediatamente. Para nós, são estilos de liderança completamente diferentes, então é difícil realmente combinar tudo em um ano e ver um progresso. Eu acho que Fallen ainda está tendo dificuldades em coisas como no que ele quer confiar, como nós gostamos de jogar, como o Elige gosta de jogar, como eu gosto de jogar. Existem muitas peças diferentes com as quais ele tem que trabalhar, não é tão fácil quanto parece", comenta Stewie.

Buscando formas de superar os altos e baixos alcançados pela equipe ao longo de 2021, a Team Liquid hoje tenta manter-se apenas nos altos, mas nas palavras de Stewie, ainda estão “encontrando nosso encaixe e no que precisamos trabalhar”. Classificados com o status de Legends para o Major, é com a ida da equipe para a Europa que a Team Liquid começará a dar passos maiores em direção à essa evolução como time.

OS ENVIADOS DE DEUS

Atuando no cenário norte-americano, Stewie conta que “acha que o cenário norte-americano está um pouco atrasado” e revela que não existem “muitos times bons para jogar/treinar por aqui. Jogamos contra os mesmos dois times - temos jogado contra GODSENT e EG - e para nós esses são os melhores times que podemos realmente jogar por aqui agora. Todos os treinamentos começam de verdade na Europa, acho que é onde temos mais produtividade e podemos aprender mais por lá”.

Inclusive, a GODSENT foi a grande carrasca da Cavalaria no IEM Fall do NA. Apesar de já garantida como Legends no maior campeonato de CS:GO do mundo, no último RMR da região, a Team Liquid acabou caindo para o elenco brasileiro por um sonoro 2 a 0 nas semifinais e ficou em terceiro lugar após ganhar da paiN por 2 a 1.

Ignorando todas as cambaleadas que sofreu no começo de sua aventura nos cenários internacionais, a GODSENT tem mostrado nos últimos meses um desempenho fora de série - e isso foi refletido na IEM Fall. Se tornando uma das novas equipes brasileiras com mais destaque lá fora, Stewie enxerga o futuro da equipe com bons olhos.

“Eles têm um fundamento muito bom, especialmente com um jogador como o TACO, que lidera a equipe e é um jogador que ama fundamento. Gosto do estilo e da forma como jogam, ao mesmo tempo eles são uma equipe jovem também estão tentando se tornar uma grande equipe, isso vai demorar mas vejo que eles estão progredindo, estão indo muito bem”, observa sobre o elenco brasileiro.

DE IDA PARA O MOMENTO MAIS IMPORTANTE DO ANO

Ambas as equipes carimbaram seu passaporte para a capital da Suécia, Estocolmo, e se preparam para se apresentar na Avicii Arena no maior campeonato da modalidade a partir do dia 26 de outubro. Ainda mostrando alguns tropeços aqui e ali, segundo Stewie, com a Team Liquid não tem essa de entrar para ganhar experiência: o foco é em levantar o troféu. Mas entram sabendo que precisam levar tudo com calma.

“No final do dia somos todos competidores e todos queremos o prêmio, nosso objetivo é sempre ganhar o troféu, é o sonho de todo mundo conseguir isso, não há dúvida disso. Para nós, trata-se de dar um passo de cada vez, vamos para o Major sabendo que podemos ‘não ser tão fortes’ quanto as outras equipes quando as pessoas apenas olham para nós no papel e como estamos desempenhando agora (...) mas é sobre dar um passo de cada vez e ver onde eles vão nos levar”, crava Stewie.

Chegando ao Major de forma triunfante, o Brasil será representado por quatro equipes e um total de 21 jogadores que carregarão a bandeira verde e amarela dentro dos servidores do título da Valve. Um desses é Fallen, um dos lendários jogadores da modalidade no país, e, como citado acima, companheiro de equipe de Stewie.

A grande verdade é que após suas passagens por elencos majoritariamente brasileiros e a boa relação com jogadores e treinadores da região nos últimos anos, Stewie possui dentro de si um pouco do DNA tupiniquim. O carinho que os brasileirinhos possuem pelo jogador é visível através de comentários em suas redes sociais e a interação entre o jogador e a comunidade - apesar de volta e meia encontrarmos alguns momentos comentários não tão positivos.

Representando não só seu país e o manto da Team Liquid, o norte-americano entra em campo com uma legião de fãs brasileiros o apoiando e para ele, o apoio dessa comunidade é indescritível e ajuda na motivação para, possivelmente, levantar o troféu.

“Eu acho a comunidade brasileira incrível. Para ser honesto, quando falo sobre eles, sinto que são os fãs mais apaixonados do CS, acho que trazem um tipo diferente de energia para o cenário. É uma multidão que realmente se destaca. Não sei o que fiz para realmente merecer a atenção deles, mas é incrível como os fãs brasileiros sempre me tratam. Sobre o hate, às vezes eu vejo, mas a maioria dos brasileiros demonstra muito amor - pelo menos comigo. Sou muito feliz por ter essa relação. Ao mesmo tempo também nos impulsiona a fazer melhor, os fãs têm grandes expectativas e sabemos como os fãs brasileiros são, então queremos mostrar que estamos progredindo”, conclui Stewie.

O Major de CS:GO de 2021 começa já na próxima terça-feira (26), com os confrontos tendo início a partir das 5h da manhã. Até o momento, a estreia da Team Liquid no campeonato não tem horário nem data marcada, uma vez que os confrontos das equipes de status Challengers e Contenders precisam ser definidos para decidir as oitos equipes que avançam para os palco do Legends. As transmissões do torneio acontecerão por meio dos canais oficiais da PGL na Twitch e no Youtube.