<
>

Advogado de brasileiro preso na Rússia por tráfico após favor a Fernando, ex-Grêmio e seleção, tenta pena menor e extradição

Novo advogado russo de Robson do Nascimento Oliveira, preso há mais de um ano na Rússia por tráfico após um favor ao jogador Fernando, ex-Grêmio e seleção brasileira e atualmente no Beijing Guoan, da China, Pavel Gerasimov deixou claro que a situação do brasileiro é difícil.

"Ele não tem chance, porque existe um crime."

"Se a ação for reconhecida como crime não cumulativo, a melhor opção para ele será uma pena de sete anos. Se o tribunal declarar um crime cumulativo, neste caso, a pior opção a ser esperada é o prazo de 15 anos."

As respostas de Gerasimov acima são apenas duas das várias que deu em entrevista exclusiva ao jornalista da ESPN Brasil Mauro Cezar Pereira publicada nesta quinta-feira (2) em seu blog no portal UOL.

Ele, que substituiu uma colega que anteriormente começou a defesa - Robson estava insatisfeito com o trabalho dela -, também falou sobre como Fernando e sua família podem ajudar no processo e como tentará uma extradição.

"Se o Brasil estiver pronto para recuperá-lo e solicitar sua extradição após a sentença, ele será transferido para o Brasil em um ano", explicou.

"Fernando e sua família podem ser testemunhas durante o julgamento e fornecer mais apoio financeiro do que concedem no momento", disse.

Questionado sobre como Robson tem vivido na prisão, Gerasimov respondeu: "As condições nas prisões na Rússia são muito melhores do que no Brasil. Existem serviços médicos, e também a atitude dos colegas de cela é respeitosa. O problema é que Robson não fala russo."

Entenda o caso

Robson, de 47 anos, foi contratado por Fernando para servir sua família no país europeu, no qual defendia o Spartak Moscou, como motorista. Foi indicação da própria esposa, Simone Barros, cozinheira.

Em fevereiro de 2019, ao chegar na Rússia, o ex-fuzileiro naval levava uma mala de favor para a família do atleta na qual havia duas caixas do remédio Mytedom 10mg - cloridrato de metadona -, comprimido indicado a quem lida com dores fortíssimas e também usado no tratamento de recuperação de viciados em ópio e heroína.

Era para William Pereira de Faria, sogro de Fernando. O problema: a substância é considerada um entorpecente na Rússia. Droga.

Robson até foi liberado naquele dia, mas em 18 de março foi levado por Raphaela, esposa do jogador, para uma unidade da polícia russa dentro do Aeroporto Internacional de Domodedovo.

Lá, foi preso por tráfico e levado para um presídio em Kashira, cidade a 110km de Moscou, no qual está até hoje.