<
>

Rio 2016 - Bubka nega acusação de Sergio Cabral sobre compra de votos, e Popov dispara: 'Nem votei no Rio'

play
Atletas, treinadores e dirigentes se reúnem para o 1° Congresso Olímpico Brasileiro (2:27)

Veja a reportagem de Bibiana Bolson (2:27)

As acusações feitas por Sergio Cabral com relação à compra de votos para eleger o Rio de Janeiro como sede dos Jogos de 2016 chegaram à comunidade olímpica - e duas lendas do esporte negaram envolvimento.

Na última quinta-feira, o ex-governador fluminense afirmou em depoimento ao juiz Marcelo Bretas (à frente da Operação Lava Jato no Rio) que negociou US$ 2 milhões com o então presidente da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), Lamine Diack, para a compra de nove votos na eleição realizada em 2009.

Sergio Cabral citou nominalmente dois nomes históricos do esporte como supostos beneficiários do esquema: Alexander Popov (natação) e Sergei Bubka (salto com vara).

Nesta sexta, ambos se pronunciaram e desmentiram o ex-governador do Rio de Janeiro - preso e condenado a mais de 200 anos na cadeia.

Em sua conta no Twitter, Bubka afirmou: "Eu rejeito completamente as falsas acusações feitas pelo ex-governador do Rio que está atualmente servindo uma longa sentença na prisão por corrupção".

"Sr. Diack nunca entrou em contato comigo sobre meu voto na eleição da cidade-sede para os Jogos Olímpicos de 2016. Meus advogados vão escrever ao Sr. Diack para pedi-lo que explique as alegações do Sr. Cabral que de forma errônea acusa em seu depoimento que o Sr. Diack poderia assegurar meu voto".

"Eu vou instruir meus advogados para usar todos os meios legais a sua disposição e reservar todos os meus direitos", disse o lendário saltador.

Ao site russo R-Sport, Popov também negou as acusações e garantiu que, inclusive, não votou no Rio de Janeiro na eleição.

"É difícil de entender, os advogados estão trabalhando nisso agora. Eu posso dizer que eu nem votei para o Rio de Janeiro. Eu participei da votação, mas não coloquei meu voto pela cidade do Rio de Janeiro. Eu não entendo qual tipo de nonsense está acontecendo no Rio de Janeiro. Alguém está enganando alguém, é muito sério", declarou.

À RIA Novosti, o ex-nadador ironizou: “Alguém, aparentemente, lucrou muito bem conosco. Talvez este seja o caso?".

Em nota oficial, o Comitê Olímpico Internacional (COI) disse que "imediatamente soube das alegações feitas" por Sergio Cabral e que o setor de ética da entidade entrou em contato com Bubka e Popov.