<
>

NFL: Antonio Brown é acusado de 'conduta sexual inapropriada' por outra mulher, diz revista; atleta nega

Quando Antonio Brown assinou com o New England Patriots pouco mais de 24 horas antes do primeiro domingo da temporada da NFL, esperava-se que a novela fosse terminar e o wide receiver iria ter uma vida tranquila em Boston.

A ilusão, porém, durou menos de uma semana. Sua ex-preparadora física, Britney Taylor, acusou Antonio Brown de estupro. O wide receiver não só negou como deve processar a ginasta por extorsão.

Nesta segunda-feira, uma matéria da Sports Illustrated traz uma nova acusação contra o jogador dos Patriots. A revista entrevistou mais de 24 pessoas que trabalharam com Antonio Brown nos últimos anos e teve acesso a 12 processos contra ele nos quais é acusado de não pagar seus funcionários.

Os processos também sugerem um padrão de "comportamento bizarro" do atleta, incluindo uma acusação de uma segunda mulher de "conduta sexual inapropriada".

Uma artista que preferiu não se identificar contou sua história à revista. Antonio Brown participou de um leilão no qual ela vendia uma pintura do atleta, que se interessou com o trabalho e a contratou para pintar um mural em sua própria casa.

No segundo dia de trabalho, a artista estava pintando o mural de costas para Brown. Quando ela se virou, o jogador estava pelado, com apenas uma toalha de mão cobrindo seus genitais.

"Eu estava com cerca de 40% do trabalho pronto no segundo dia e estava de joelhos pintando a parte inferior, e ele chega em mim com a bunda de fora, só com uma toalha cobrindo seu pênis e começa a ter uma conversa comigo", disse.

A artista interpretou como uma clara aproximação sexual. "Infelizmente, eu fui aproximada por homens várias vezes, então mantive a calma e continuei pintando", contou. "Depois disso, a relação acabou abruptamente".

A mulher não irá processar ou buscar uma compensação financeira, apesar de ter se sentido bastante incomodada com o comportamento de Antonio Brown.

A matéria também traz outros aspectos de Brown, como o fato de não pagar os seus funcionários e, também, tratá-los muito mal, pedindo inclusive para que seus funcionários "não o olhem nos olhos".

Em comunicado oficial, Antonio Brown disse que está ciente das acusações feitas pela artista, mas negou que tenha feito qualquer coisa do tipo e que irá se limitar a comentar apenas isso.

Entenda o caso anterior

Britney Taylor, uma ginasta que Antonio Brown conheceu nos tempos de faculdade em Central Michigan, era preparadora física do atleta entre 2017 e 2018. Taylor acusa o wide receiver de ter agredido-a sexualmente em três ocasiões diferentes, incluindo um estupro.

Na primeira ocasião, em junho de 2017, Antonio Brown "se expôs" e a beijou sem consentimento. No mesmo mês, a ginasta assistia televisão na casa de Brown quando o atleta começou a se masturbar atrás dela e ejaculou em suas costas.

Os incidentes fizeram com que a relação profissional fosse rompida, mas meses depois Antonio Brown procurou Taylor para pedir desculpas e retomar o trabalho e a ginasta, acreditando que Brown não faria algo do tipo novamente, cedeu.

Em 20 de maio de 2018, Antonio teria forçado a mulher a ir para sua cama, empurrado seu rosto no colchão e estuprado-a. Taylor tentou resistir, gritando repetidamente "não" e "pare", mas Brown se recusou a parar e penetrou nela.

O atleta nega todas as acusações. Os Patriots dizem que irão esperar o desenrolar das investigações antes de tomarem uma atitude.