<
>

Recém-contratado dos Patriots, Antonio Brown é acusado de estupro

Recém-chegado ao New England Patriots depois de uma passagem relâmpago pelo Oakland Raiders, Antonio Brown está sendo acusado de estupro por sua ex-preparadora física, segundo o jornal New York Times.

O processo diz que Brown, em três incidentes separados – dois em junho de 2017 e outro em maio de 2018 – agrediu sexualmente Britney Taylor, uma ginasta que ele conheceu nos tempos de faculdade em Central Michigan e que depois ele contratou para ser sua preparadora física.

De acordo com o processo, Brown abusou de Taylor duas vezes em junho de 2017. Primeiro, ele se expôs e a beijou sem consentimento. Depois, enquanto ela estava assistindo televisão na sua casa, o jogador começou a se masturbar atrás dela e ejaculou nas costas da mulher.

Brown chegou a ironizar o incidente em mensagens de texto copiadas no processo.

Taylor encerrou seu relacionamento profissional com Brown, mas meses depois, quando ele a contatou para pedir desculpas, ela cedeu, achando que ele não faria algo do tipo novamente.

Porém, segundo o processo, em 20 de maio de 2018, Brown forçou ela para ir para a cama, empurrou seu rosto no colchão e a estuprou. Ela tentou resistir, gritando repetidamente “não” e “pare”, mas Brown se recusou e penetrou nela.

Taylor disse que cooperaria com a NFL para uma investigação. Brown vem acumulando polêmicas fora de campo desde que foi trocado pelos Steelers para os Raiders, no começo do ano, tendo se rebelado e forçado uma saída de Oakland.

Na segunda-feira, Brown foi contratado pelos Patriots, onde o quarterback Tom Brady chegou até a ofereceu sua casa e a de Gisele Bundchen para o wide receiver morar até se ambientar com Boston.

Em comunicado, os Patriots se posicionaram sobre o caso.

"Nós estamos cientes do processo judicial que foi iniciado mais cedo contra Antonio Brown, assim como estamos cientes da resposta dada pelos representantes legais do atleta. Nós encaramos essas acusações com muita seriedade. Sob nenhuma circunstância essa organização irá ser conivente com violência sexual e assédio sexual. A NFL nos informou que irá investigar o caso. Não iremos mais comentar este tema enquanto esta investigação estiver em curso", escreveu a equipe.