<
>

Finais da NBA: Los Angeles Lakers x Miami Heat, os enredos e os números que importam

play
Jimmy Butler usa camisa de Erik Spoelstra e dá abraço no técnico depois do Heat garantir vaga nas Finais da NBA (0:22)

Miami venceu Boston e avançou para a decisão contra o Los Angeles Lakers (0:22)

São raros os dias durante uma temporada da NBA em que LeBron James não use as lições que aprendeu nos seus quatro anos com o Miami Heat.

Uma provou ser a mais importante: mantenha o principal como o principal.

É um dos princípios fundamentais que o presidente do Heat, Pat Riley, tem pregado por anos, e é um que James considera muito. Mesmo com sua crescente empresa de mídia, seu trabalho de caridade em Akron, Ohio, seu ativismo e seu amor por bons vinhos, James nunca se permite esquecer o principal: ir atrás dos títulos.

O principal está aqui, entre nós: Heat x Lakers nas Finais da NBA.

A ESPN transmite de forma EXCLUSIVA as Finais da NBA. Além de assistir aos jogos na ESPN e no ESPN App, você também poderá acompanhar os melhores lances com tempo real em vídeos no ESPN.com.br

A dinâmica Riley-James, que essencialmente é a dinâmica Heat-James, é complexa.

James tem dois anéis com o logo do Heat, ele recebeu dois troféus de MVP na AmericanAirlines Arena e provavelmente terá o número 6 aposentado pela franquia algum dia. Ele credita Riley e o Heat não apenas por ensiná-lo a se tornar um campeão, mas também por ajudar a moldar sua visão de mundo.

No entanto, quando eles se separaram em 2014, Riley ficou furioso e James ficou ofendido. Embora LeBron sentisse mais o desejo de voltar para casa em Cleveland do que de deixar Miami, não havia muito espaço para nuances.

"Eu vi uma dinastia voar pela janela", disse Riley à ESPN quatro anos depois. "Eu sabia que era uma equipe de 10 anos. Eu queria aquela dinastia”.

James se incomodou pela atitude que o Heat tomou quando ele saiu e por algo que lhe foi dito.

"Quando decidi deixar Miami... Algumas pessoas em quem confiei e com as quais construí relacionamentos nesses quatro anos me disseram que eu estava cometendo o maior erro da minha carreira", disse LeBron na noite em que ganhou o título com os Cavs em 2016. "E essa foi a minha motivação”.

James nunca disse quem havia sido, embora muitos presumissem que fosse Riley. Eles tiveram uma ligação amarga pouco antes de o jogador fazer o anúncio. O cartola negou ter dado tal declaração. De qualquer maneira, Riley deu um grande golpe em LeBron vários meses depois que ele saiu, quando disse que o time havia se livrado de jogadores que tinham "rostos sorridentes com planos ocultos".

Eles não se falaram por anos até que Riley enviou uma mensagem de texto para James na noite do título de 2016. James não respondeu.

A verdade é que as filosofias do Heat e de James estavam muito próximas antes e agora. Ambos estão obcecados com a natureza da vitória, um processo que se desenrola em todos os dias de cada temporada, no qual a glória é conquistada tanto na disciplina da rotina quanto nas arenas.

Ambos operam com um etos militar, no qual os companheiros são considerados um bando de irmãos e devem ser responsabilizados ao extremo. Ambos acreditam na cultura familiar, mas não têm problema em deixar de lado uma ou duas peças se isso aumentar as chances de vitória.

Eles são tão parecidos que talvez nunca tenham sido feitos para ficarem juntos.

Em nove partidas de playoff com os Cavs, James nunca cruzou com o Heat. Em sua primeira corrida de playoff com Los Angeles, ele enfrentará seu antigo time pela primeira vez no maior dos palcos.

A vingança não é realmente abordada na doutrina da "coisa principal" nessas Finais. James está jogando pelo seu legado e em homenagem a Kobe Bryant. O Heat está tentando mostrar que sua cultura vence tudo e se mostra como um atrativo para agentes livres no futuro.

Mas a vingança também não estará tão longe da superfície.

- Brian Windhorst


Datas das partidas* (todas com transmissão da ESPN e do ESPN App)

Jogo 1, 30/09: Lakers x Heat – 22h

Jogo 2, 02/10: Lakers x Heat – 22h

Jogo 3, 04/10: Heat x Lakers – 20h30

Jogo 4, 06/10: Heat x Lakers – 22h

Jogo 5 (se necessário), 09/10: Lakers x Heat

Jogo 6 (se necessário), 11/10: Heat x Lakers

Jogo 7 (se necessário), 13/10 – Lakers x Heat

* Todos os horários de Brasília


O caminho dos Lakers até as Finais

O básico

- Campanha 2019-20: 52-19 ao todo

- Rating ofensivo: 111,7 (11°), Playoffs: 115,6 (2°)

- Rating defensivo: 106,1 (3°), Playoffs: 107,8 (5°)

Resultados nos playoffs

- Primeira rodada: venceu o Portland Trail Blazers por 4-1

- Segunda rodada: venceu o Houston Rockets por 4-1

- Final de conferência: venceu o Denver Nuggets por 4-1

Depois de perder o primeiro jogo da primeira rodada contra o Trail Blazers, os Lakers venceram quatro consecutivas depois que Damian Lillard deixou a série mais cedo devido a uma lesão no joelho direito. As semifinais da conferência seguiram um roteiro semelhante: os Rockets venceram o jogo 1, e então os Lakers finalizaram com quatro vitórias consecutivas, mudando seus esquemas defensivos em James Harden para manter o maior pontuador da liga sem ritmo.

play
0:22

Jimmy Butler usa camisa de Erik Spoelstra e dá abraço no técnico depois do Heat garantir vaga nas Finais da NBA

Miami venceu Boston e avançou para a decisão contra o Los Angeles Lakers

Então veio o Denver Nuggets, o queridinho dos playoffs de 2020, que veio para a final da Conferência Oeste com Los Angeles tendo se tornado o único time na história da NBA a virar um déficit de 3 a 1 duas vezes em uma pós-temporada. Embora a série tenha durado apenas cinco jogos, levou um Anthony Davis acertando uma bola de três para vencer o jogo 2 e uma performance absurda de LeBron James para eliminar Denver.

Dwight Howard foi o jogador de destaque dos Lakers contra os Nuggets, assumindo o lugar de JaVale McGee com o time titular no intervalo do jogo 3 e mantendo a posição nos próximos dois jogos. Ele teve uma média de 10,5 pontos em 80% de arremessos, 10 rebotes e 1 bloqueio. Ele se encontra de volta às Finais pela primeira vez desde 2009, jogando na cidade que representou, Orlando, Flórida, e buscando um anel para validar uma carreira nível Hall da Fama.

"Eu prometi a mim mesmo que se tivesse a chance de voltar, eu daria tudo o que pudesse para ajudar nosso time a vencer", disse Howard. "Não pensei que isso fosse acontecer, mas estou muito grato por ter esta oportunidade e vou aproveitá-la ao máximo”.

- Dave McMenamin


O caminho do Heat até as Finais

O básico

- Campanha 2019-20: 44-29 ao todo

- Rating ofensivo: 111,9 (7°), Playoffs: 112,7 (7°)

- Rating defensivo: 109,3 (12°), Playoffs: 108,5 (7°)

Resultados nos playoffs

- Primeira rodada: venceu o Indiana Pacers por 4-0

- Segunda rodada: venceu o Milwaukee Bucks por 4-1

- Final de conferência: venceu o Boston Celtics por 4-2

O Heat tem dominado a pós-temporada, com uma varrida para cima dos Pacers nas quartas de final, uma vitória em cinco jogos sobre os Bucks nas semifinais e um triunfo impressionante de seis jogos sobre os Celtics na final do Leste. Como de costume, foi um ataque equilibrado que levou Miami às Finais, liderado por Jimmy Butler, que teve ajuda de todos os lados.

Bam Adebayo mostrou porque ele foi um All-Star. O armador veterano Goran Dragic tem sido ótimo para o Heat e será o foco da defesa dos Lakers. O novato Tyler Herro não vai ter medo e tem a capacidade de repetir o que fez no jogo 4 contra Boston.

A defesa de Miami tem estado acertada durante toda a bolha - o Heat conseguiu se equilibrar durante as finais do Leste - mas foi especialmente assim na reta final contra os Celtics. Quando o Heat precisou virar o jogo, foi sua defesa que apareceu, uma tendência definida pelo bloqueio de Adebayo para salvar o jogo 1.

- Nick Friedell


Chave da série: os rebotes podem decidir as Finais

Quando Pat Riley estava na linha lateral por ambas as franquias, o presidente do Heat popularizou a frase "Sem rebotes, sem anéis". Embora o rebote ofensivo tenha diminuído na NBA desde o apogeu de Riley, ele continua sendo importante para os dois times, tornando-o um confronto a ser assistido durante as Finais.

Até agora na pós-temporada, Lakers e Heat estão em primeiro e segundo lugares, respectivamente, em pontos por erro, de acordo com o Cleaning the Glass. Os Lakers não estão apenas liderando o campo; eles estão acabando com ele. Sua média de erros gerou 0,23 pontos, mais à frente do segundo colocado Dallas (0,19) do que os próprios Mavericks estão na frente da média da liga (0,16).

Isso não é novidade para os Lakers, que ficaram em terceiro lugar em pontos por falha durante a temporada regular. Os Lakers normalmente começaram as partidas com dois pivôs tradicionais capazes de causar estragos nos rebotes: Anthony Davis e JaVale McGee ou Dwight Howard. Howard e McGee ficaram em quarto e quinto lugares, respectivamente, na porcentagem de rebotes ofensivos na temporada regular.

play
0:09

Após Miami Heat eliminar Boston Celtics na NBA, Dwyane Wade 'cobra' Paul Pierce: 'Me pague o que é meu!'

Ídolo do Heat tirou sarro de lenda dos Celtics após classificação na Final do Leste

Em contraste, a proeza do rebote ofensivo do Heat é mais surpreendente. Eles tiveram a terceira menor taxa de pontos por falha da liga durante a temporada regular. Miami obteve rebotes ofensivos oportunos de Butler, que agarrou 7% dos rebotes ofensivos nos playoffs, uma taxa melhor do que a média do jogador da posição 4. A energia implacável do Heat também produziu segundas chances que não foram creditadas aos jogadores como rebotes ofensivos, conforme observado por Seth Partnow, do The Athletic.

Os Lakers estão melhor equipados para controlar o rebote defensivo do que o Heat. Eles também estiveram entre os melhores times de recuperação defensiva da liga nesta temporada e não estarão tão vulneráveis quando optarem pelo small ball como aconteceu com os Celtics durante as finais do Leste, porque eles mantêm Davis como pivô. Mas vamos descobrir se Miami continuará conseguindo forçar seu caminho em rebotes ofensivos nesta série também.

- Kevin Pelton


Chave da série: Anthony Davis x Bam Adebayo

Anthony Davis dominou seus oponentes no Oeste, com média de 28,8 pontos em 57,1% de aproveitamento nos arremessos de quadra em 15 jogos. Mas nas Finais ele enfrentará seu oponente mais difícil até o momento em Bam Adebayo. Ao contrário de outros pivôs maiores, porém mais lentos (Nuggets e Blazers) ou dos pivôs menores dos Rockets, Adebayo tem a combinação de tamanho e rapidez para desacelerar Davis no 1x1 em qualquer lugar da quadra.

Segundo o Second Spectrum, Adebayo cedeu apenas 0,769 pontos em jogada ‘iso’ durante a temporada regular (terceira melhor marca na NBA entre os jogadores que defendem pelo menos 100 jogadas de iso).

Ambos os pivôs causam muitos danos em infiltrações. De acordo com o Second Spectrum, Adebayo ocupa o terceiro lugar na NBA com 1.168 pontos por infiltração direta, e Davis ocupa o quarto lugar, com 1.151. Na defesa, Adebayo tem sido um pouco melhor defendendo infiltrações, cedendo apenas 0,826 pontos por infiltração (12° na NBA entre jogadores que defenderam pelo menos 100 infiltrações diretas), e Davis cede 0,928 (66° na NBA).

Adebayo também teve média de 11,2 rebotes nos playoffs, quinto na NBA, mas melhor entre os jogadores restantes. Davis recebe um pouco mais de ajuda no rebote de seus companheiros de equipe, mas seus 9,3 rebotes por jogo nos playoffs o colocam no 14° lugar na liga.

Os Lakers são liderados por LeBron James, que pode fazer história se ganhar um MVP das Finais com um terceiro time, ao mesmo tempo em que garante à franquia seu 17° campeonato, empatando com os Celtics no topo da NBA. Para que o Heat tenha a chance de vencer, eles precisarão que Adebayo enfrente outro superstar e o deixe paralisado. Ele fez isso muito bem contra Giannis Antetokounmpo. Ele vai conseguir fazer o mesmo com AD?

- André Snellings


Chave da série: os segundos tempos preocupantes de Miami

Dependendo de quanto peso você colocou nas partidas anteriores entre Heat e Lakers - vitórias de LAL em 8 de novembro e 13 de dezembro -, os terceiros períodos foram decisivos, com os Lakers conseguindo sequências que os ajudaram a vencer.

Los Angeles superou Miami por 10 no terceiro período da primeira partida. Em seguida, os Lakers venceram a parcial por 11 pontos na outra partida. Embora se possa argumentar que foram cenários isolados, eles se encaixam no que vimos, tanto durante a temporada regular quanto durante os playoffs: Miami é um time superior no primeiro tempo que tende a ter dificuldades após o intervalo.

O Heat rotineiramente começou bem e liderou a NBA em rating no primeiro período, superando os adversários em quase 13 pontos por 100 posses na temporada regular. Mas eles não foram bem nos períodos três e quatro, quando o time de Butler ficou em 19° (-1,2) e 28° (-5,8), respectivamente, nos ratings.

Nos playoffs, os Lakers derrotaram o adversário por 5,9 pontos a cada 100 posses nos terceiros períodos, e Miami foi superado por 3,4.

Além disso, o Heat perdeu 18 jogos nos quais manteve uma vantagem de 10 ou mais, a pior marca da NBA (incluindo temporada regular e playoffs). Uma dessas derrotas foi contra os Lakers, que voltou para ganhar um jogo em que perdia por 14 pontos.

Miami provavelmente vai se virar bem contra LAL. Mas o técnico Erik Spoelstra companhia precisarão estar prontos para fazer ajustes após o intervalo.

- Chris Herring