<
>

Arremesso de Anthony Davis e fala de técnico: a presença de Kobe na vitória dos Lakers sobre os Nuggets na NBA

Quando viu seu arremesso cair e deixar o Los Angeles Lakers a apenas mais duas vitórias de sua primeira final de NBA desde 2010, Anthony Davis gritou uma palavra que disse tudo: “Kobe!”

A bola de três pontos do lado esquerdo garantiu o triunfo por 105 a 103 no estouro do cronômetro e fez os Lakers abrirem 2 a 0 sobre o Denver Nuggets na final da Conferência Oeste.

De quebra, melhorou o retrospecto da franquia com o uniforme alternativo “Black Mamba”, que o próprio Kobe ajudou a elaborar, anos antes de sua morte. Agora, são três vitórias em três partidas.

“Obviamente estamos o representando”, disse Davis, o cestinha do jogo, que marcou 10 de seus 31 pontos no último quarto. “Especialmente com esse uniforme, é o uniforme dele, o que ele criou. Sempre que colocamos, queremos vencer.”

O técnico Frank Vogel também fez questão de lembrar seu time já no último quarto do poder dos uniformes, em momento que foi flagrado pela transmissão de TV durante um pedido de tempo, quando os Nuggets ensaiavam a virada.

“Ele disse, ‘Olhem os uniformes que vocês vestem. Ele teria feito grandes jogadas. Então é hora de nós fazermos grandes jogadas”, contou Davis, parafraseando o treinador. “Olhar para essa camisa e o técnico nos dizendo isso, é uma lembrança constante de que Kobe está com a gente, e nós meio que temos o espírito nestes uniformes.”

Kobe Bryant e sua filha de 13 anos, Gianna, estavam entre as nove pessoas que morreram em um acidente de helicóptero na Califórnia, em janeiro. O atual time dos Lakers dedicou o resto da temporada para a estrela da franquia, que jogou todos os 20 anos de sua carreira em Los Angeles.

Davis e LeBron James têm tatuagem em homenagem a Kobe, os jogadores gritam “1, 2, 3 Mamba” quando se juntam em quadra, e o time ainda tem o uniforme preto com textura de pele de cobra desenhado pelo astro.

A primeira vez que ele foi usado foi em 24 de agosto – 24/8 no calendário, data que homenageia Kobe pelos dois números que ele usou em Los Angeles – contra o Portland Trail Blazers na primeira rodada dos playoffs. Depois, novamente no jogo 2 das duas fases seguintes.

Gianna também é lembrada na camisa, com um coração branco com o número 2 no meio, o número que ela usava em seu time de basquete.

Antes do grito de Kobe, Davis apareceu para decidir uma partida que não parecia que precisaria ser decidida no último arremesso. Os Lakers perderam uma vantagem de 16 pontos no terceiro quarto e depois oito pontos de frente com menos de três minutos para o fim.

Pelos Nuggets, Nikola Jokic foi responsável pelos 12 pontos finais, incluindo os que colocaram o time de Denver em vantagem com 20.8 segundos no cronômetro.

Foi apenas na última bola, porém, que Davis recolocou os Lakers na frente, no estouro do relógio. Ele se tornou assim apenas o quarto jogador da franquia a acertar uma bola decisiva com o time perdendo na história dos playoffs.

O último que havia feito isso? Kobe Bryant, em 2006, no jogo 4 da primeira rodada em série contra o Phoenix Suns.