<
>

Carmelo Anthony, em sua pior versão, merece ser titular em pelo menos sete times da NBA de hoje

Carmelo Anthony divide o mundo da NBA: amado e odiado. Foi dispensado pelo Houston Rockets após 10 partidas na última temporada e desde então não faz um jogo como profissional.

No meio da enxurrada de opiniões, algumas coisas são verdades: e não, não é possível defender a tese de que Carmelo não é um dos 450 melhores jogadores de basquete do mundo ( 30 times da NBA x 15 atletas por elenco).

É difícil definir quanto da atual situação de Anthony é pela sua falta de espaço na liga como jogador e o quanto é por puro folclore por conta de sua personalidade. Mas uma coisa é fácil de ver: números.

Não, eles não são perfeitos, e é por isso que o mínimo de bom senso será utilizado no exercício abaixo. E para balancear com esse bom senso, vamos analisar o pior Carmelo Anthony que já vimos, fazendo dele um 'jogador comum'. Ou seja, tudo o que será analisado abaixo terá como ponto de comparação a versão mais fraca que já vimos de Carmelo em quadra, que talvez seja só um ponto fora da curva, talvez seja realmente o que ele é nos dias de hoje.

Após uma carreira sensacional, rendendo muito bem desde seu ano de calouro, em 2003-04 (21 pontos e 6 rebotes por jogo), e passando por um ano de quase-MVP em 2012-13 (28,7 pontos e 7 rebotes por jogo), Carmelo teve 10 partidas melancólicas comparado ao que se esperava dele nos Rockets. O período de análise é curto e caso ele volte à ativa, seu rendimento pode muito bem ser melhor do que esse do último ano.

Suas médias em 2018-19, ou seja, nosso ponto de comparação: 13,4 pontos, 5,4 rebotes, 0,5 assistência, 40% FG e 32,8% dos três pontos em 29,4 minutos por jogo.

Quantos times da NBA tem alas (ala ou ala-pivô) titulares que tiveram médias como essas? Carmelo Anthony realmente não é melhor do que nenhum jogador em sua posição na NBA para a próxima temporada?

Por motivos óbvios, já vamos tirar Houston Rockets e Oklahoma City Thunder da equação, uma vez que o retorno de Carmelo a esses times é impossível pelo clima.

Restam 28.

Passando time a time, parece que Carmelo não teria espaço como titular em 21 franquias. Como reserva, acredito que teria em quase todas - e ele mesmo já se disse disposto a cumprir esse papel. Mas, como titular, sobram sete.

Os motivos para ele não fazer parte do quinteto inicial são dois: um objetivo e outro subjetivo. O primeiro é simples: ele é pior do que seus concorrentes. O segundo, menos palpável: os concorrentes têm um papel fundamental na defesa do time (um ponto fraco de Carmelo) ou são jovens com alto potencial e expectativa de crescimento para a atual temporada.

Times com concorrentes melhores objetivamente:

Milwaukee Bucks (Khris Middleton e Giannis Antetokounmpo)

Philadelphia 76ers (Tobias Harris e Al Horford)

Boston Celtics (Gordon Hayward e Jayson Tatum)

Indiana Pacers (TJ Warren e Domantas Sabonis)

Chicago Bulls (Otto Porter Jr e Lauri Markkanen)

Denver Nuggets (Jerami Grant e Paul Milsap)

Utah Jazz (Bojan Bogdanovic e Joe Ingles)

San Antonio Spurs (DeMar DeRozan e Rudy Gay)

LA Clippers (Kawhi Leonard e Paul George)

Los Angeles Lakers (LeBron James e Anthony Davis)

New Orleans Pelicans (Brandon Ingram e Zion Williamson)

Sacramento Kings (Harrison Barnes e Marvin Bagley)

Times com concorrentes melhores subjetivamente:

Toronto Raptors (OG Anunoby e Pascal Siakam)

Atlanta Hawks (De'Andre Hunter e John Collins)

Brooklyn Nets (Joe Harris e Taurean Prince)

Minnesota Timberwolves (Jarrett Culver e Andrew Wiggins)

Orlando Magic (Jonathan Isaac e Aaron Gordon)

New York Knicks (Kevin Knox e Julius Randle)

Phoenix Suns (Kelly Oubre Jr. e Dario Saric)

Memphis Grizzlies (Kyle Andersen e Jaren Jackson Jr.)

Cleveland Cavaliers (Cedi Osman e Kevin Love)

Times nos quais Carmelo poderia ser titular

Entretanto, sobram sete equipes que poderiam muito bem colocar Carmelo Anthony em seu quinteto titular. Exatamente, não apenas no elenco, mas no quinteto inicial.

Miami Heat (Jimmy Butler e Kelly Olynyk) - Olynyk já provou ser seu valor, mas nunca teve médias que o coloquem como um digno jogador titular da NBA. Na última temporada, em Miami, teve médias de 10 pontos, 4,7 rebotes, 1,8 assistências e arremessou 35% dos três pontos. Ao lado de Jimmy Butler, Carmelo poderia, inclusive, não ser um fator tão importante na defesa e com certeza contribuiría no ataque.

Detroit Pistons (Tony Snell e Blake Griffin) - Após 74 partidas na última temporada pelos Bucks, Snell seguiu fazendo o que fez em sua carreira: contribuiu vindo do banco. Em Detroit, sem concorrentes à altura, provavelmente será titular, mesmo nunca tendo uma temporada com mais de 8,5 pontos por jogo ou pegando mais de 3 rebotes. É esperado que Sekou Doumbouya, calouro, ganhe espaço durante a temporada, mas ainda assim, Carmelo poderia ter uma chance para ver se o time faz algo diferente...

Charlotte Hornets (Dwayne Bacon e Miles Bridges) - Bacon cresceu muito de sua temporada de calouro para a de segundo anista, mas ainda assim não provou nada. Teve médias de 7,3 pontos e 2 rebotes por jogo, apesar de um ótimo aproveitamento dos três pontos: 43,7%. Após a saída de Kemba Walker, Charlotte não tem nenhum jogador atrativo. Ter Carmelo, que além de tudo é um atleta da Jordan, marca do dono do time, seria um atrativo para a temporada tanto na questão esportiva quanto na de interesse dos torcedores e da mídia.

Washington Wizards (Rui Hachimura e Davis Bertans) - Hachimura acabou de chegar à NBA e demonstra um potencial interessante. Bertrans jogou três temporadas com os Spurs e, apesar de sempre entrar em quadra, nunca fez por merecer uma vaga como titular - na última temporada, médias de 8 pontos, 3,5 rebotes e 1,3 assistência, com 43% dos três pontos. Ter alguém como Carmelo para gerar interesse no time seria bom, e dentro de quadra ele definitivamente é melhor do que seus concorrentes.

Golden State Warriors (Alfonzo McKinnie e Draymond Green) - Após as saídas de Kevin Durant e André Iguodala, a ala dos Warriors se tornou uma incógnita. Alfonzo McKinnie deve assumir a vaga, apesar de ter feito apenas 4,7 pontos e 3,4 rebotes, acertando 35% dos arremessos longos por jogo em sua última temporada, na qual jogou 72 vezes. Sob os cuidados de Steve Kerr e em um sistema que funciona tão bem quanto o dos Warriors, Carmelo poderia ter um final de carreira digno e contribuir em um time que sabe tirar o melhor de seus veteranos.

Portland Trail Blazers (Kent Bazemore e Zach Collins) - Os dois vivem momentos opostos na carreira. Enquanto Collins está crescendo e mostrando que pode ser cada vez melhor, Bazemore já passou de seu auge e atualmente poderia ser um bom jogador vindo do banco. Em números, o melhor Kent Bazemore não foi superior ao pior Carmelo Anthony, apesar de superior na defesa. Com Carmelo na equipe, Terry Stots teria uma boa opção para a rotação do time não sentir tanta falta de Lillard e McCollum no ataque em certos momentos como aconteceu nos últimos anos.

Dallas Mavericks (Justin Jackson e Kristaps Porzingis) - Após sair de North Carolina, Jackson já passou por quatro times em apenas duas temporadas na NBA, o que já prova que ele não é um cara tão valioso para já ser titular de um time. Carmelo poderia trazer uma experiência importante para o jovem time de Dallas, além de ser uma evolução em números sobre seu concorrente.


Carmelo Anthony é uma estrela da NBA? Não mais. É um craque? Não mais. Mas além de, acima de tudo, ter uma história que merece muito respeito, ele ainda é um bom jogador de basquete.