<
>

Nove estrelas da NBA que ainda podem mudar de time

A maioria da fortuna da free agency da NBA já foi gasta, mas o jogo de transações nunca para.

Um mercado secundário está se desenvolvendo para jogadores disponíveis via dispensa ou troca. Com a próxima classe de agentes livres não tão profunda, os dirigentes esperam que as trocas tomem o centro do palco nos próximos 12 meses.

Um nome na boca de todo mundo é de Bradley Beal conforme o Washington Wizards se preparam para a reconstrução. Mas no momento, segundo fontes, os Wizards estão resistindo.

Neste meio tempo, aqui vai uma lista de jogadores que ainda podem se mudar nos próximos dias, segundo os executivos da liga.

JEFF TEAGUE, Minnesota Timberwolves: Teague está entrando no último ano de um contrato de US$ 19 milhões em 2019-20, e os Wolves estavam envolvidos em conversas de troca para manda-lo embora na tentativa de trazer D’Angelo Russell nas últimas semanas. Teague passou por cirurgia no tornozelo em abril, Russell vai para Golden State e os Wolves perderam Derrick Rose no mercado, então eles precisam de outro armador para fazer esse negócio.

ANDRE IGUODALA, Memphis Grizzlies: Neste momento, os Grizzlies não pretendem dar “buyout” ou tentar trocá-lo. Essa é uma estratégia razoável, mas parece improvável que outro time queira Iguodala e seu salário, além de desistir de um ativo por ele. Talvez Iguodala tenha que abrir mão de dinheiro garantido para sair. Ele estando disponível, muitos times vão atrás dele. Os Lakers, onde seu antigo empresário Rob Pelinka é GM, são uma forte opção.

KEVIN LOVE, Cleveland Cavaliers: Love está prestes a começar um contrato de quatro anos e US$ 120 milhões que ele assinou no ano passado. O time está ansioso para ver como ele vai encaixar no sistema do técnico John Beilein. Love jogou apenas 22 partidas no ano passado por causa de uma cirurgia no pé. Esses fatos não o ajudam numa potencial troca. No entanto, Love e o time sabiam que havia uma grande chance dele não terminar o contrato em Cleveland, e uma troca talvez seja inevitável em algum ponto. O interesse em Love pode aumentar se ele jogar bem na Copa do Mundo de basquete na China.

GORAN DRAGIC, Miami Heat: Ele quase foi trocado algumas vezes no fim de semana com o Heat tentando facilitar a troca por Jimmy Butler. Assim como Teague, ele está no ano final de um contrato de US$ 19 milhões. Ele está vindo de uma temporada onde ficou machucado diversas vezes e perdeu dois meses após uma cirurgia no joelho e viu seus números despencarem. Mas o Heat teria que ter uma outra opção na armação para fazer o negócio virar.

MARC GASOL, Toronto Raptors: Essa é uma inclusão com asterisco, somente se Kawhi não voltar aos Raptors. Toronto poderia querer se livrar de Gasol, que fará 35 anos e ganhará US$ 25,6 milhões nesta temporada.

JAE CROWDER, Memphis Grizzlies: O ala veterano, no último ano de contrato que está lhe rendendo US$ 8 milhões, deve ser trocado para um time de playoff. Ele sofreu chutando a bola na última temporada, mas encaixa no perfil de um bom coadjuvante em um time bom. Os Grizzlies, que em breve irão oficializá-lo na troca de Mike Conley, estão em modo de aquisição de escolhas de draft e essa é mais uma chance.

ROBERT COVINGTON, Minnesota Timberwolves: Ele é um dos jogadores de ‘3 pontos e defesa’ mais valorizados na liga. Mas depois de um problema no joelho o ter levado para a mesa de cirurgia em abril, os Wolves estavam o oferecendo no draft tentando subir na sua posição. Dependendo do seu retorno e saúde, os executivos da Liga acreditam que ele pode estar no mercado de novo.

TRISTAN THOMPSON, Cleveland Cavaliers: O especialista de defesa e rebotes está entrando no último ano do contrato de US$ 18,5 milhões. Depois de chegar a jogar em 447 partidas seguidas, Thompson perdeu 68 jogos nos últimos dois anos. Os Cavs devem tentar trocar ele ou John Henson, que atuou em 14 partidas no ano passado, na data limite para trocas.

KYLE KORVER, Phoenix Suns: Na última semana, ele foi trocado duas vezes e provavelmente vai ser liberado e se tornar um agente livre. Um chutador veterano que é sólido no vestiário, ele terá opções. Korver passou parte da vida em Los Angeles como fã dos Lakers e sua conexão com LeBron James pode criar uma possível reunião.