<
>

Johnny Walker deixa escapar nome de possível rival e diz: 'Estou pronto para bater no Jon Jones agora'

play
Jon Jones diz o que pensou quando juiz deu vitória a Marreta, mas garante ter ficado tranquilo (1:16)

O lutador norte-americano era muito favorito, mas só venceu o brasileiro na decisão dividida dos jurados. (1:16)

O Brasil ficou perto de ser o país que destronou Jon Jones, mas parou em uma decisão apertada e dividida dos jurados na tentativa de Thiago Marreta. O país, porém, já tem outro lutador de olho na chance: Johnny Walker. Aos 27 anos de idade, ele já é observado de perto pelo campeão e garante já estar pronto agora para vencê-lo. Ao mesmo tempo, porém, mostra calma para esperar a chance.

“Eu estou pronto para bater no Jon Jones agora. Mas qualquer um que botar eu vou aceitar. Prefiro alguém do top-5. Mas sou 12º no ranking, qualquer um abaixo de mim eu aceito. Quero bater no Jon Jones, mas tem que ser devagarzinho. Não quero tomar o espaço de ninguém, tem gente que merece mais do eu. Tenho muito trabalho ainda para mostrar e vou conquistar meu espaço devagarzinho”, disse Johnny Walker.

“Acho que preciso de mais um ou duas lutas (para disputar o título). Mas eu já estou pronto”, complementa.

O lutador esteve em Las Vegas para acompanhar de perto o combate entre Thiago Marreta e Jon Jones. Curiosamente, admitiu ter ficado com o coração dividido na torcida pelo compatriota, mas também não querendo tanto assim que uma vitória dele acontecesse.

“Eu quero fazer história, eu quero bater no Jon Jones”, explica.

Johnny Walker tem três lutas no UFC e três vitórias por nocaute em menos de três minutos somados. E todas premiadas como performances da noite. Porém, ele não luta desde o começo de março porque se machucou na comemoração do nocaute contra Misha Cirkunov fazendo uma dancinha bizarra.

“Tenho muita energia, me preparo para lutar os cinco rounds, mas aí acaba no primeiro e eu tenho que extrapolar um pouquinho, gastar”, diz.

Johnny ficou quase três meses sem treinar, mas agora já está de volta ao trabalho. E, em conversa com a imprensa brasileira em Las Vegas, deixou escapar o nome e a data de um possível retorno: Corey Anderson, atual oitavo do ranking, no UFC 242, em Abu Dhabi, no dia 7 de setembro.

Jon Jones ídolo

Se conseguir realizar o sonho de disputar o cinturão, Johnny Walker também estará enfrentando um ídolo, de certa forma. O brasileiro ainda se impressiona um pouco com isso.

“Antes de eu começar a treinar, eu já assistia, já jogava com esse cara (no videogame). Agora estou dentro do jogo”, diz.

Para ele, o campeão está entre os cinco melhores da história do MMA.

“Anderson, Fedor e José Aldo. Jones é o quarto. É um dos tops”, disse, ainda em março, antes de Anderson e Aldo serem derrotados no UFC Rio e antes também de Jon Jones vencer Thiago Marreta.

Mas, afinal, como Johnny vai fazer para vencer um cara que ele admite admirar?

“Meu jogo é completo, vou usar tudo que eu tenho para ganhar dele. No chão, em pé, no wrestling. Isso é MMA. Preciso de um camp decente. Tenho técnica suficiente, experiência suficiente. Acho que ele não tem nada para me surpreender”, diz.