<
>

Bielsa já detonou presidente e quase pediu as contas após o Olympique vender Lucas Mendes, ex-Coritiba

play
Ex-Coritiba elogia Marcelo Bielsa, seu ex-treinador no OM: 'Um cara que vive futebol 24 horas' (0:49)

O zagueiro Lucas Mendes, do Al-Wakhrah, do Catar, só trabalhou com o atual treinador do Leeds por 45 dias (0:49)

Neste domingo, o Arsenal visita o Leeds United do técnico Marcelo Bielsa, às 13h30 (de Brasília), pela Premier League.

Conhecido como "El Loco" por seu temperamento bastante peculiar, o treinador argentino faz grande trabalho à frente dos Whites, e vive tempos de bastante tranquilidade no comando do clube.

Em sua passagem pelo Olympique de Marselha, entre 2014 e 2015, porém, Bielsa viveu alguns dos meses mais turbulentos de sua vida, o que gerou algumas histórias e entrevistas inacreditáveis até certo ponto (se não se tratassem, é claro, do "Loco" Bielsa...).

A mais espetacular delas aconteceu em setembro de 2015, logo após o fechamento da janela de transferências do futebol europeu.

Na ocasião, o argentino estava em seu 6º mês de trabalho no Olympique e vinha mostrando bom desempenho, mas teve um ataque de fúria, detonou publicamente o presidente do clube, Vincent Labrune, e quase pediu as contas para deixar a equipe.

play
0:45

Arteta fala sobre jogo com Leeds e encontro com Bielsa: 'É um treinador que sempre admirei'

Arsenal e Leeds United se enfrentam neste domingo (22)

E tudo por causa de um jogador brasileiro!

O atleta em questão é o zagueiro e lateral-esquerdo Lucas Mendes, revelado pelo Coritiba e que havia sido comprado pelo Marselha em agosto de 2012.

Lucas era titular absoluto na defesa da equipe francesa e vinha de duas ótimas temporadas no time. Com Bielsa, também gozava de prestígio - tanto é que esteve em campo na estreia da Ligue 1 2014/15, contra o Bastia, em 9 de agosto de 2014.

Ocorre que, na calada da noite, a diretoria do Olympique recebeu uma proposta de 5 milhões de euros do El-Jaish, do Catar, pelo brasileiro, que foi considerada irrecusável. Então, sem nem consultar Marcelo Bielsa, o presidente Vincent Labrune bateu o martelo e selou a venda do atleta para a equipe do Oriente Médio.

Foi o suficiente para fazer "El Loco" explodir.

Em coletiva alguns dias depois, Bielsa destruiu Labrune, disse que o cartola não atendeu seus pedidos de contratações e ainda revelou que não tinha de fato sido procurado para ser informado sobre a proposta recebida por Lucas Mendes.

"O resultado deste mercado de transferências é negativo. Nenhum jogador vendido foi minha decisão. Eu acredito que o presidente me fez promessas que ele sabia que não poderia cumprir. Se tudo isso tivesse sido dito para mim, sinceramente, eu teria aceitado. Soube da venda de Lucas Mendes no dia em que ele foi embora. Entreguei 12 opções de jogadores ao presidente, e nenhum deles veio. O modo como o clube opera me desaponta", disparou, na ocasião.

Em entrevista à ESPN, Lucas, que atualmente defende o Al-Wakrah, também do Catar, lembrou o "climão" que foi gerado no Olympique após sua venda.

"Eu joguei a 1ª partida da temporada e fui vendido logo em seguida. Depois, ficou um clima meio 'assim' no Marselha, porque o Bielsa não queria que eu saísse, mas acho que o clube precisava vender jogadores naquele momento. Ficou um mal-entendido enorme entre a diretoria e o treinador, e o clima ficou muito ruim", recordou.

Para piorar, a diretoria do Olympique ainda trouxe um reforço que "El Loco" não havia pedido: o zagueiro Dória, então jogador do Botafogo.

Num ataque de sinceridade, Bielsa ainda disse que não foi consultado sobre a chegada do defensor e ressaltou que nem queria o atleta no elenco.

"Eu soube da contratação de Dória quando ele foi aprovado nos exames médicos. Fui contrário à chegada dele. O Olympique não tem estrutura suficiente para avaliar a qualidade de um jogador que não atua na França. Quando eu dou minha opinião sobre um jogador, levo em conta muitos fatores, e um deles é saber o seu valor e o quanto tempo pode durar. Não pude analisar a chegada de Dória", salientou.

play
0:28

Ex-Coritiba descreve 'frio na barriga' de jogar a Champions: 'Escutar aquela música é uma sensação incrível'

Hoje no Al-Wakhrah, do Catar, o zagueiro Lucas Mendes teve a oportunidade de entrar em campo na competição pelo Olympique de Marselha

O clima gerado pela entrevista do argentino ficou tão pesado que ele ficou muito próximo de deixar o Olympique. A situação acabou contornada, e o argentino seguiu no clube.

Todavia, sua relação com a diretoria nunca mais foi a mesma, e ele acabou pedindo demissão no início da temporada 2015/16, alegando diferenças irreconciliáveis com a alta cúpula marselhesa.

COMO É TRABALHAR COM BIELSA

Apesar das loucuras de Bielsa, Lucas Mendes elogia muito o trabalho do argentina, principalmente seu comprometimento com relação à equipe e o estudo minucioso dos adversários.

"É um cara que exige muito dos jogadores e vive futebol 24 horas por dia. Ele monta os times sempre em função dos adversários e treina todas as situações possíveis. É um técnico muito bem preparado, e que consegue passar para os jogadores exatamente o que quer", contou.

"Uma coisa que lembro é que ele sempre nos reunia e explicava detalhadamente o que ia mudar no time para tentar ganhar as partidas. Talvez ele seja um dos melhores treinadores com quem trabalhei na carreira. Aprendi muito em termos de treino e consciência tática", relatou.

"Na época, ele não falava muito francês, e tinha um tradutor que o ajudava bastante, igual agora no Leeds. Mesmo assim, ele procurava falar muito individualmente com os jogadores, passando a todos o que ele gostaria que fizesse", revelou.

"O Bielsa, inclusive, morava no centro de treinamentos do Olympique, e estava sempre ali, a qualquer hora do dia. Ele também conversava muito com a diretoria para que fizessem melhoria nos campos do CT, nas instalações. Ele te dava muita liberdade para conversas, e por isso era fácil ver que muitos gostavam dele", observou..

O ex-Coritiba também ressalta a ofensividade do "Loco".

play
0:17

Ex-Coritiba revela sonho de jogar a Copa do Mundo de 2022 pelo Catar: 'Quem sabe surge um convite?'

O zagueiro Lucas Mendes, do Al-Wakhrah, do Catar, falou com exclusividade ao ESPN.com.br

"Ele gosta de times ofensivos e que joguem para frente o tempo todo. Todos os treinos ele faz trocas de passes, e ele não gosta de passes para trás ou sem objetivo. E exige sempre que todos ataquem em bloco e que defendam juntos. Monta sempre equipes muito organizadas e de enorme intensidade", analisou.

"Além disso, ele cobra intensidade nos treinos, e isso reflete no jogo. A equipe mantém o alto nível por 90 minutos e acaba por vezes até superando adversários mais qualificados no final", complementou.