<
>

Oscar entra no radar do Barcelona e aceitaria reduzir salário para se adequar à realidade do clube, diz jornal

Segundo informações reveladas pelo jornalista Marcelo Bechler, o Barcelona procurou o meia Oscar, que defende o Shanghai SIPG, da China


O Barcelona finalmente conseguiu abrir espaço na folha salarial para inscrever Ferran Torres e contar com seu reforço em campo no restante da temporada. Com a saída por empréstimo de Philippe Coutinho e a mudança no contrato de Samuel Umtiti, o clube já pensa até mesmo em outras movimentações no mercado. E uma delas pode ser o brasileiro Oscar.

O time catalão procurou informações a respeito do meio-campista, que desde 2017 defende o Shanghai Port, da China. A informação foi revelada na noite da última segunda-feira (10) pelo jornalista Marcelo Bechler.

A imprensa espanhola avançou na apuração a respeito do interesse nesta terça-feira. Segundo o jornal Mundo Deportivo, o Barcelona conversou com o empresário Kia Joorabchian sobre o meia brasileiro, que tem contrato no futebol chinês até 2024 e é dono do quinto maior salário do futebol mundial, de acordo com publicação do diário Marca.

Ainda citando a reportagem publicada pelo Mundo Deportivo, o Barça entende que teria ainda pouca margem financeira para um grande aporte neste momento, mas sabe que Oscar teria o interesse de retornar à Europa.

O meia, inclusive, teria ficado encantado com a possibilidade de se juntar ao elenco catalão, e estaria disposto a reduzir seus vencimentos para se adequar à realidade financeira do clube.

O jornal aponta em sua publicação que 'dinheiro não é mais um problema para Oscar'. Citando a reportagem, o meia teria recebido um montante em torno de 24 milhões de euros (algo em torno de R$ 155 milhões) em salários desde que chegou à China.

Ainda assim, de acordo com o Mundo Deportivo, a contratação do brasileiro não tem sido um tema prioritário no Barcelona, que monitora o futebol em busca de opções para reforçar seu elenco dentro dos limites financeiros do clube.

A chegada de Oscar, contudo, também não está descartada. Tudo dependerá da tão famosa oportunidade de mercado.