<
>

Palmeiras x River: Renata Ruel analisa todos os lances polêmicos e decreta 100% de acerto do VAR na Libertadores

play
Renata Ruel, comentarista de arbitragem dos canais ESPN, explica impedimento em gol anulado do River Plate (1:01)

Equipe argentina teve um gol anulado diante do Palmeiras no Allianz Parque (1:01)

Um duelo de tirar o fôlego e recheado de polêmicas até o último minuto. Foi assim que o Palmeiras se classificou para a final da Conmebol Libertadores, mas precisou contar com o uso do VAR em três lances no segundo tempo da derrota para o River Plate.

O ESPN.com.br, então, convocou a comentarista de arbitragem da ESPN Brasil Renata Ruel para analisar e avaliar todos eles.

E ela cravou: houve 100% de acerto entre o árbitro do VAR, o colombiano Nicolás Gallo, e o árbitro de campo, o uruguaio Esteban Ostojich.

Melhor para o Palmeiras, já que os três lances (um gol e dois pênaltis) eram favoráveis ao River Plate.

Veja, abaixo, a análise de cada lance:

O gol anulado

play
1:01

Renata Ruel, comentarista de arbitragem dos canais ESPN, explica impedimento em gol anulado do River Plate

Equipe argentina teve um gol anulado diante do Palmeiras no Allianz Parque

Logo no início do segundo tempo, o River Plate anotou o terceiro gol que levaria a definição da vaga para os pênaltis. Montiel apareceu completamente livre para completar cruzamento e estufar as redes. O VAR, porém, achou um impedimento na origem da jogada, de Rafael Borré - o atacante tocou na bola após a mesma ter saído dos pés de seu companheiro Enzo Pérez em uma dividida com um defensor palmeirense.

“O VAR tem que analisar todo gol, todo o lance que antecede ao gol. E ele detectou um impedimento. A bola desvia no jogador do Palmeiras, mas isso não habilita o jogador que está impedido. A infração tem que ser marcada”, explicou Renata Ruel.

O 1º pênalti (não marcado)

Aos 29 minutos, outra polêmica. Matías Suárez caiu em lance com Alan Empereur na área. O juiz marcou o pênalti, mas o VAR chamou para a revisão e a penalidade acabou cancelada.

“O jogador do Palmeiras apoia o pé no chão, tem um contato que não é faltoso, é um contato de jogo. O jogador do River se projeta e cai. Para mim, nada a marcar”, disse Ruel.

O 2º pênalti (marcado, mas revogado depois)

Já em um dos últimos lances da partida, é a vez de Borré cair na área após contato de Kuscevic, zagueiro do Palmeiras. O árbitro não marcou o pênalti, mas foi chamado para rever o lance. No fim, porém, um impedimento é marcado antes do contato entre os atletas.

“Havia impedimento na jogada. O jogador que está em posição irregular disputa a bola. É impedimento claro”, analisou Renata Ruel.