<
>

50 anos de van der Sar: Por que o 'Holandês Voador' é considerado um dos melhores goleiros de sua era?

Pode não parecer, mas já faz mais de nove anos que Edwin van der Sar anunciou sua aposentadoria, quando tinha acabado de ser campeão da Premier League mais uma vez com o Manchester United em 2011. E mesmo que ele tenha sido muito bem substituído por David De Gea, é impossível para o torcedor dos Red Devils e para o fã do esporte no geral esquecerem das suas atuações. Por isso, no aniversário de 50 anos do 'Holandês Voador', o ESPN.com.br relembra alguns de seus feitos.

Continuando nesse assunto de 'passagem de bastão', por pouco van der Sar não assumiu a importante tarefa de ocupar a vaga deixada por Peter Schmeichel quando este deixou o United em 1999. Esse era o desejo de Alex Ferguson, pelo menos. No entanto, o clube não negociou com o holandês, visto como o melhor goleiro do mundo naquele momento, e este foi para a Juventus, se juntando a Ferguson e cia. bem mais tarde...

Mas, antes disso, essa alcunha de melhor do mundo não veio do nada.

Seus primeiros anos no Ajax foram históricos, o que o fez uma peça da famosa 'geração de ouro' do time. Ele estreou por lá em 1990/91, mas Stanley Mezzo era o titular indiscutível, de forma que Edwin esquentou o banco por algumas temporadas. Quando assumiu a posição, prosperou, sendo eleito o melhor goleiro do Holandês em quatro temporadas consecutivas (de 1994 a 1997). Além disso, em 1998, ele foi escolhido como o melhor jogador da Eredivisie, recebendo a Golden Boot.

Mas não só de prêmios individuais foi formada sua carreira na Holanda. Van der Sar era banco na conquista da Uefa Cup (hoje Europa League) de 1991/92, mas foi titular em todas as partidas de uma das maiores campanhas da história da equipe de Amsterdam: a do título da Champions League de 1994/95 (também estava lá no vice do ano seguinte).

Neste momento, já era titular absoluto da seleção holandesa - onde, inclusive, se tornou o jogador com mais compromissos internacionais (130 jogos), sendo ultrapassado só em 2017 por Wesley Sneijder.

Voltando à sua passagem pela Itália, van der Sar não teve sorte na Juventus. Até foi titular em duas temporadas, 'coroadas' com alguns vices sob comando de Carlo Ancelotti, mas suas atuações decepcionavam, de forma que a equipe de Turim investiu em um jovem goleiro do Parma para a posição em 2001: Gianluigi Buffon.

A porta que se abriu para o holandês foi a Inglaterra. Primeiro, defendeu o Fulham por quatro temporadas (sendo eleito o melhor jogador da equipe em 2004), mas logo chamou atenção novamente de Alex Ferguson e se encaminhou ao Manchester United para a temporada de 2005/06, que ainda não tinha encontrado um substituto à altura para Schmeichel.

Enfim, United

Com um primeira temporada sólida, van der Sar foi vice da Premier League, mas ajudou a equipe na campanha do título da Copa da Liga daquele ano. Na temporada seguinte veio o verdadeiro triunfo. Graças a um pênalti defendido (entre diversos outros feitos daquela equipe, evidentemente) no dérbi de Manchester, contra o City, o goleiro conquistou seu primeiro troféu do Campeonato Inglês. E este foi o primeiro de quatro - três conquistados consecutivamente entre 2007 e 2009.

Curiosamente, o auge de sua carreira foi justamente quando o goleiro lidava com uma lesão na virilha. 2007/08 foi um ano memorável para os Red Devils e para van der Sar.

Além do título inglês, van der Sar conquistou o seu segundo troféu da Champions League na carreira naquela temporada, quando o Manchester United encontrou o Chelsea na final, levou o jogo até os pênaltis e viu o goleiro defender cobrança de Nicolas Anelka para confirmar a conquista. Em 2009, o United ainda foi campeão mundial.

Na temporada 2008/09, o holandês ainda foi eleito o melhor goleiro da Premier League e também da Europa no ano de 2009 pela Uefa. Nesta mesma edição, ele ainda impôs o recorde de 14 partidas consecutivas sem sofrer gols.

Na sua história de dez temporadas na Premier League, van der Sar atuou 313 vezes, somando 132 clean sheets (partidas que não tomou nenhum gol), se posicionando em 7º na lista história da competição. No entanto, se calculada a porcentagem de clean sheets, ele fica em 3º, com 42,1%, atrás apenas de Petr Cech (45,6%) e Pepe Reina (45,7%).

Ao final de sua carreira, van der Sar somava 26 troféus, o que o mantém como um dos goleiros mais vitoriosos da história.

Por onde anda

Penduradas as luvas, van der Sar chegou até a voltar a campo em 2016, atuando em uma partida pelo VV Noordwijk, time amador da Holanda. Naquela oportunidade, a equipe ficou sem goleiros por conta de lesões e chamou o ídolo, aos 45 anos, para ajudar. Ele defendeu um pênalti no empate por 1 a 1 com o Jodan Boys.

Mas de volta aos seus cargos profissionais, o goleiro voltou à Holanda após se aposentar e assumiu o posto de diretor de marketing do Ajax em 2012.

O bom trabalho o garantiu a considerável posição de CEO da equipe holandesa em 2016 - que ocupa até hoje.

A gestão resultou em um recente sucesso do Ajax não só local, mas internacional, com campanhas consistentes em torneios europeus. Obviamente, isso atraiu olhos ao ex-goleiro.

O United foi uma das equipes que tentou tirá-lo de Amsterdam, visando colocá-lo na posição de diretor de futebol na equipe de Manchester. No entanto, afastando qualquer possibilidade, o clube ofereceu um novo contrato para van der Sar permanecer como CEO até 2023. O acordo foi firmado em novembro de 2019, e por lá ele segue...