<
>

Luis Suárez: cinco momentos marcantes do artilheiro com a camisa do Barcelona

play
Suárez se emociona e chora em despedida do Barcelona: 'Sempre serei um culé' (0:55)

Atacante deixa o Barça para defender o Atlético de Madrid na Espanha (0:55)

Foram seis anos de um casamento de muitos gols e de uma parceria de sucesso com Messi e Neymar, o famoso trio MSN. Nesta semana, a união com o Barcelona chegou ao fim, quando foi confirmada a saída de Luis Suárez rumo ao Atlético de Madrid.

Contratado no dia 11 de julho de 2014, pouco depois da polêmica mordida no italiano Giorgio Chiellini na Copa do Mundo do Brasil, Suárez está eternizado como um dos grandes parceiros de ataque – talvez o melhor – de Messi com a camisa do Barça.

Em seis temporadas completas no clube catalão, ele se tornou o terceiro maior artilheiro (atrás de Messi, com 630 gols, e Cézar Rodríguez, 232) e colecionou uma série de títulos, como quatro taças de LaLiga, quatro Copa do Rei, duas Supercopas da Espanha, uma Supercopa da Uefa, além de uma Champions League e um Mundial de Clubes.

Nesta quinta-feira, em sua última entrevista coletiva como jogador do Barcelona, Suárez demonstrou muita emoção e não conteve as lágrimas. “Em primeiro lugar, agradeço que o clube tenha confiado em mim depois de um erro que cometi [a mordida em Chiellini na Copa de 2014]. Sempre serei grato pelo tratamento recebido. Levo amigos comigo e isso também me deixa feliz, ontem me despedi do pessoal do clube e ficou claro que um ser humano que tem sentimentos está indo embora”, disse, aos prantos.

Negociado para o Atlético de Madrid por 6 milhões de euros (pouco mais de R$ 39 milhões) em variáveis, relembre abaixo cinco momentos marcantes da trajetória de Suárez pelo Barcelona:

* Conteúdo patrocinado por Ford

Sofre, Real Madrid

28 de outubro de 2018, Camp Nou, “El Clásico”. Messi fora. Cristiano Ronaldo também. O que se viu foi um show de Suárez, Barcelona 5 a 1 no Real Madrid, com hat-trick do uruguaio. Philippe Coutinho e Vidal completaram o massacre do time catalão, Marcelo fez o único dos merengues. No dia seguinte, o técnico Lopetegui, contratado para substituir Zinedine Zidane, foi demitido, dando lugar a Santiago Solari. Culpa de Suárez.

De calcanhar

Em 7 de dezembro de 2019, o Barça goleou o Mallorca por 5 a 2, no Camp Nou, Suárez marcou de calcanhar aos 43 minutos do primeiro tempo, em lance digno de Prêmio Puskas. Para o uruguaio, foi o gol mais bonito de sua carreira. "É o melhor gol da minha vida. Eu sabia que era um ângulo apertado e a última opção que eu tinha era acertá-lo com o calcanhar. Eu estava tentando acertar porque tinha muitas poucas chances contra o goleiro", disse o artilheiro naquele dia.

play
2:08

Emoção na despedida de Suárez do Barcelona e imprensa 'motivando' Grêmio para Grenal: o Giro ESPN

Assista ao Giro com Matheus Cobucci

O artilheiro do ano

A temporada 2015-2016 foi sensacional para Suárez. O Barcelona ganhou uma LaLiga emocionante, um ponto à frente do Real Madrid e três de vantagem para o Atlético (91 x 90 x 88), e o uruguaio foi fundamental. Ele conquistou o Troféu Pichichi, dado ao artilheiro do Espanhol, com incríveis 40 gols em 35 partidas. Além disso, faturou também a Chuteira de Ouro, sendo o maior goleador das principais ligas europeias daquela temporada. E ainda bateu na trave na eleição do Melhor do Mundo da Fifa, sendo superado por seu amigo Lionel Messi.

Sofre, Real!

Não bastasse a goleada no Camp Nou, Suárez maltratou o Real outra vez, agora na semifinal da Copa do Rei de 2019, no Santiago Bernabéu. O jogo de ida foi 1 a 1, no Camp Nou. Na volta, 3 a 0 para o Barcelona na casa do arquirrival. O uruguaio fez o primeiro, participou do segundo (Varane foi se antecipar ao atacante e marcou contra) e sofreu pênalti de Casemiro. Messi na cobrança? Que nada: Suárez bateu, definiu o placar e colocou o Barça na final. O Valencia foi campeão, vencendo a decisão por 2 a 1, mas a atuação do artilheiro ainda deixa arrepios no Bernabéu.

play
1:01

Lateral do Palmeiras, Matías Viña conta que Luís Suárez o ajudou a ter camisa de Messi

Garoto da seleção uruguaia rasgou elogios ao atacante compatriota

Champions League

6 de junho de 2015, Estádio Olímpico de Berlim, Alemanha. Juventus x Barcelona, que jogo! Rakitic abriu o placar logo aos 4 minutos, mas Morata empatou no início da segunda etapa. Jogo tenso, complicado, e Suárez “descomplicou” ao marcar o segundo, aos 23 minutos. Neymar faria o terceiro nos acréscimos. Barça campeão no auge do trio MSN. Neymar, Messi e Cristiano Ronaldo foram os artilheiros daquela edição, com 10 gols cada. Mas o uruguaio foi fundamental, com sete gols na campanha do título catalão.