<
>

No Bola da Vez, Rogério Ceni fala sobre queda do Cruzeiro: 'Uma pessoa em especial é culpada'

play
No Bola da Vez, Rogério Ceni diz que nunca recebeu um centavo do Cruzeiro: 'Paguei para trabalhar' (3:38)

Rogério Ceni é convidado do Bola da Vez deste sábado, às 22h (de Brasília), na ESPN Brasil e no ESPN App (3:38)

Como um clube campeão da Copa do Brasil nos dois anos anteriores acaba rebaixado no Campeonato Brasileiro? O que aconteceu com o Cruzeiro no ano passado é discutido até agora. E o Bola da Vez deste sábado (19) traz mais algumas respostas. Rogério Ceni é o convidado do programa, que vai ao ar neste às 23h (de Brasília), na ESPN Brasil e no ESPN App.

Para o comandante, há um principal culpado por tudo que aconteceu com o time celeste - e ele estava na direção do clube.

"Naquele dia, foram colocados todos os jogadores que eram mais experientes e tinham mais rodagem, mas o time rendeu muito pouco. E aí você vê que seu trabalho com esse propósito não faz sentido. Mas eu repito: os maiores culpados, ou melhor, uma pessoa em especial é culpada, que foi quem dirigiu o clube, a culpa nem é tanto os jogadores”, disse Ceni ao relembrar a goleada de 4 a 1 sofrida pelo Cruzeiro diante do Grêmio no Mineirão.

Rogério ainda tentou mudar algumas peças e permaneceu no clube por mais três jogos, mas não conseguiu se recuperar daquela derrota. Mas Ceni garante: se não tivesse sido demitido, a história seria outra.

"Lamento não ter conseguido ajudar, mas uma coisa eu te digo: se eu tivesse ficado, com as mudanças que estavam sendo implementadas, o Cruzeiro não iria para a Série B. Isso eu garanto para você porque tinham bons jovens jogadores, aliados a alguns experientes que são de caráter fora de série. Eu acho que o Cruzeiro conseguiria escapar da zona do rebaixamento. Talvez não deixaria todos os problemas expostos e aquela bola de neve continuasse, não teria essa clareada que o Cruzeiro teve nos últimos tempos", disse.

Ceni ficou no Cruzeiro entre 11 de agosto e 26 de setembro. Em um mês e meio de trabalho, ele diz não ter recebido um centavo do clube celeste.

"Eu paguei para trabalhar no Cruzeiro, é bom esclarecer isso. Eu gastei muito dinheiro para ir para Minas e vou ser sincero nunca recebi um centavo por um dia de trabalho até hoje. Nunca entrei na justiça contra ninguém, não gosto disso, mas isso é muito triste nem receber uma ligação sequer para tentar um acordo. Absolutamente nada. Eu fico triste porque é um grande clube, mas eu gastei dinheiro! Paguei rescisão contratual de onde eu morava, rescisão contratual de onde eu aluguei imóvel, mais transferência, carro etc. Gastei muito dinheiro para trabalhar no Cruzeiro", revelou.

Rogério dirigiu o Cruzeiro por oito jogos na campanha que acabou com o rebaixamento, com duas vitórias, dois empates e quatro derrotas. O carinho pela equipe, porém, segue intacto no coração de Ceni.

"Cruzeiro é um belíssimo time para se trabalhar. É uma pena o que fizeram com o Cruzeiro...Sempre foi um time que eu tinha muita sorte quando eu jogava, nos confrontos eu sempre fazia gols, mas eu tinha muita admiração pelo clube. Além da camisa, que eu acho muito bonita, nesse tom de azul bonito que tem o Cruzeiro. Mas infelizmente lá no Cruzeiro quem administrou naquele tempo não soube lidar. Acho que o Cruzeiro vai ter sérias dificuldades, mas continua sendo um grande clube. Fui muito recebido, adoro os funcionários de lá, fui muito bem tratado", diz.

Outros cruzeirenses que falaram sobre o rebaixamento

Nos últimos vezes, o Resenha ESPN e o SportsCenter receberem outros convidados que falaram sobre a campanha que terminou no rebaixamento do Cruzeiro à Série B. Veja abaixo o que Fábio, Edilson, Dedé e Rodriguinho falaram sobre o tema.