<
>

Najila x Neymar: um ano depois, o que aconteceu com os envolvidos? Advogado afirma que história 'não acabou'

Faz um ano, nesta segunda-feira, dia 1º, que veio a público a acusação de estupro de Najila Trindade contra Neymar. Ela afirma que o crime ocorreu em Paris, no dia 15 de maio de 2019.

E, embora a Justiça de São Paulo tenha negado recurso contra o arquivamento do caso, Cosme Araújo, advogado da modelo, afirma que a história não chegou ao fim.

Em entrevista ao ESPN.com.br, Araújo afirmou que pretende levar a questão ao STJ (Superior Tribunal de Justiça), por meio de um agravo - solicitação de recurso a uma instância superior.

“As pessoas dizem que acabou por não entenderem o mecanismo da Justiça”, disse ele.

“Como é que um caso chega ao fim sem que uma peça tão importante quanto o vídeo de segurança do hotel em Paris apareça?”, diz Cosme, sobre a filmagem do sistema de segurança do local onde Najila e Neymar se encontraram, o Sofitel Paris Arc Du Triomphe.

“Najila sempre afirmou que ele chegou alterado ao primeiro encontro deles, e o vídeo da segurança poderia comprovar isso. Mas cadê esse vídeo?”, diz.

Se, em São Paulo, o caso chegou ao seu patamar máximo, com determinação de encerramento pela delegada Juliana Lopes Bussaco, no Rio de Janeiro, uma outra acusação ainda corre contra Neymar.

Pela divulgação de fotos da modelo para se defender, contendo inclusive nudez, o atacante ainda responde por processo de crime cibernético.

Atualmente, a questão está com o Ministério Público do Rio de Janeiro, onde não há muita movimentação dos procuradores, segundo atesta Cosme Araújo.

“Está parado e não entendo qual o motivo, se foi um crime público. As fotos correram o mundo, ele divulgou no Instagram dele, não há por que não se seguir com o processo”, diz ele.

Cosme insiste na tese de que Najila ainda pode ganhar a causa relativa à acusação de estupro. Por isso, nem cogita a hipótese de fazer algum tipo de acordo com a defesa do jogador.

“Se ela por acaso chegar a algum acordo com Neymar, será contra a minha instrução”, garante ele.

Cosme mantém contato com Najila e com seu pai Edival Sérgio Mendes de Souza, de quem é amigo. Mas as conversas entre eles, que já foram frequentes e em pessoa, têm se dado por aplicativos de mensagem.

O advogado foi o quarto defensor de Najila na causa, sucedendo a José Edgard Bueno, Yasmin Pastore Abdalla e Danilo Garcia de Andrade.

Ele nunca cobrou honorários pela sua atuação.

Vida pacata

Najila segue morando na cidade de Ilhéus, litoral da Bahia, onde residem seu pai e seu advogado, para onde retornou após o incidente.

Na cidade, segue vida pacata, sem grande destaque.

Sob condição de anonimato, moradores da cidade relatam que ela havia até mesmo arrumado um namorado, um empresário do setor hoteleiro.

Denunciado pelo Ministério Público de São Paulo, Estivens Alves, ex-marido da modelo e pai de seu filho, tem feito visitas esporádicas à cidade. Ele é réu, juntamente com a ex-mulher, por crime de fraude processual, na Justiça de São Paulo.

Relembre o caso

1º de junho: Neymar é acusado de estupro pela modelo Najila Trindade. Ela registrou boletim de ocorrência na sexta-feira (31 de maio), revelado pelo ESPN.com.br um dia depois, na 6ª Delegacia de Polícia de Defesa da Mulher, em São Paulo.

Segundo o documento, ela alegou ter conhecido o jogador de Paris Saint-Germain e seleção brasileira nas redes sociais. E no dia 12 de maio, um assessor identificado como Gallo entrou em contato fornecendo passagens e hospedagem para ela viajar para Paris, na França. Ela afirmou ter embarcado no dia 14 e chegado no dia 15.

Najila relatou ter se hospedado no Hotel Sofitel Paris Arc Du Triomphe e recebido o atleta, então com 27 anos, por volta de 20h locais do dia 15. Segundo ela, o jogador chegou “aparentemente embriagado”. Ela diz que eles começaram a conversar, trocaram carícias, porém, em determinado momento, Neymar se tornou agressivo e, mediante violência, praticou relação sexual.

Neymar sempre negou ter havido estupro. Ele confirma que houve relação sexual, mas que a mesma foi consensual. E publicou, em seu perfil no Instagram, imagens das conversas que teve com a modelo e fotos de - inclusive com nudez.

5 de junho de 2019 - Em entrevista ao SBT, a modelo falou pela primeira vez após a denúncia. Ela admitiu ter viajado com intuito de fazer sexo com Neymar, mas reiterou que foi estuprada e agredida após dizer que não queria ter relações sem o uso de preservativo.

Depois, surgiu um novo vídeo que mostra Najilia agredindo Neymar com tapas. A defesa da modelo diz que ela atraiu o jogador para gravar esse vídeo e tentar ter provas do que ele já havia feito com ela anteriormente.

6 de junho de 2019 - Neymar se apresenta à Polícia Civil do Rio de Janeiro para depor sobre crime virtual por ter divulgado imagens íntimas de Najila.

No mesmo dia, novos trechos da conversa entre o jogador e a modelo apareciam. Neles, Neymar diz que a modelo "pedia mais", enquanto Najila rebate e deixa claro a Neymar que não gostou do que havia acontecido entre os dois. Ela ainda manda um áudio ao jogador dizendo que ele deveria ser homem e assumir os erros.

Najila fez seu depoimento na mesma sexta-feira, mas passou mal e teve que ser levada ao hospital. Ela disse à polícia que a íntegra do vídeo que tinha estava em tablet furtado e também detalhou como teria sido o estupro.

10 de junho de 2019 - O advogado Danilo Garcia de Andrade se incomoda com o fato de o vídeo completo nunca ter sido divulgado e também com uma suposição da própria modelo de que ele estaria envolvido no furto do tablet. Assim, anunciou que não está mais defendendo Najila no caso.

13 de junho de 2019 - Neymar depõe em São Paulo. Ele ficou cinco horas no local para prestar esclarecimentos e saiu aparentemente confiante. Ele disse à polícia que usou preservativo durante o sexo e negou o estupro.

30 de junho de 2019 - A delegada Juliana Bussacos, que comandava o inquérito na Sexta Delegacia de Defesa da Mulher em Santo Amaro, São Paulo, pediu um mês a mais de prazo para concluir o caso.

29 de julho de 2019 - Juliana Bussacos decidiu não indiciar Neymar por estupro e agressão.

8 de agosto de 2019 - O Ministério Público de São Paulo pede o arquivamento do caso.

“O arquivamento é por falta de provas que não existem ou não foram apresentadas. Muitas vezes falamos com a vítima ou o advogado que estava com ela para solicitar. Não nos foi apresentado o vídeo. Ouvi alegações de que não existia, que trocou o celular, que estava na nuvem”, disse a promotora Estefânia Paulin.

10 de setembro de 2019 - Najila Trindade é indiciada pela Polícia Civil por extorsão e denunciação caluniosa.O ex-marido dela, Estivens Alves, foi denunciado por fraude processual e divulgação de conteúdo erótico.

As demais acusações foram descartadas, e Najila e Estivens respondem apenas por fraude processual.