<
>

Desprezado pelo Chelsea, Lampard foi para o Manchester City graças a Mourinho e virou 'lenda' por um ano

O Chelsea visita o Manchester City neste sábado num jogo que marca – além do confronto entre terceiro e quarto colocados – o retorno de Frank Lampard ao estádio onde se despediu da Premier League.

E por mais que pareça difícil lembrar desse trecho da trajetória do atual técnico dos Blues, é verdade: o último clube inglês da carreira de Lampard foi o Manchester City.

Um dos grandes ídolos da história do Chelsea, ‘Super Frank’ começava a perder nível técnico e físico no início de 2014. Com 35 anos, ele já não entrava tanto em campo no Stamford Bridge. O treinador José Mourinho, à época no comando, decidiu que não iria renovar o contrato do meio-campista.

Lampard ficou sem clube. Já pensando na aposentadoria, assinou por dois anos com o New York City FC, da MLS. Mas aí veio uma grande reviravolta.

O clube americano é propriedade dividida de dois outros gigantes do esporte: o New York Yankees, da MLB, e o Manchester City. Como a temporada nos Estados Unidos só começaria em março, Lampard foi emprestado aos Citizens por toda a temporada de 2014/15.

E ele surpreendeu.

Lei do ex – até com Lampard

Desprezado pelo Chelsea, Lampard também não chegou com tanta moral em Manchester. O treinador da época, Manuel Pellegrini, afirmou que ele “lutaria por posição” e que só “seria mais um jogador”.

Lampard, de fato, saía mais do banco do que como titular, mas certamente deixou sua marca. Seu ex-clube que o diga.

O primeiro gol de ‘Super Frank’ aconteceu justamente contra o Chelsea, quando ele saiu do banco para acertar um voleio e tirar os 100% de aproveitamento dos Blues na Premier League em empate por 1 a 1.

Durante toda a temporada, Lampard foi um importante substituto, entrando bem sempre que solicitado. Atuou em 38 jogos, fazendo 8 gols e dando 4 assistências. Foram 24 vitórias, 7 empates e 7 derrotas com a camisa azul clara.

A aventura terminou sem títulos. O clube foi eliminado pelo Barcelona nas oitavas de final da Champions League e terminou o Campeonato Inglês na segunda colocação.

O campeão? O Chelsea, de Mourinho, que arrebentou com um meio-campo formado por Fabregas e Matic.

Virou ‘lenda’ para o City

Apenas um ano no clube, reserva e nenhum título. Dá para chamar de lenda? Pergunte ao Manchester City.

Em maio de 2019, o próprio clube do noroeste inglês publicou em suas redes sociais uma lembrança do gol de despedida de Frank Lampard com a seguinte legenda: “Lenda do City”.

A definição gerou críticas dos torcedores e muitas brincadeiras dos rivais, que pesaram em cima da história não tão gloriosa do Manchester City, que tornou-se um clube competitivo há pouco mais de 10 anos com investimento dos Emirados Árabes Unidos.

“Uma temporada e é lenda do clube? Mentalidade de time pequeno”, brincou um torcedor.

Lenda ou não, Lampard deixou uma excelente impressão em Manchester. Na sua despedida, ele marcou contra o Southampton e foi aplaudido de pé pelo estádio ao ser substituído em sua última partida como profissional em solo inglês.

“Penso que tive muitas oportunidades de falar sobre o Chelsea, mas cheguei aqui com 36 anos, não sabia o que esperar, do vestiário à torcida, e tudo o que posso dizer é muito obrigado a todos. Esse é um clube muito especial e, do fundo do coração, foi um prazer jogar por vocês”, disse Lampard na época.

O meia rumou então para Nova York, onde jogou mais dois anos antes de se aposentar. Virou treinador, comandou o Derby County e agora está novamente no Chelsea.

Será que Lampard terá uma recepção calorosa no Etihad Stadium? O fã do esporte acompanha tudo ao vivo neste sábado, às 14h15 (horário de Brasília), na ESPN Brasil e no WatchESPN.