<
>

Copa Africana de Nações: Com 'gol relâmpago' e VAR, Argélia bate Senegal e conquista bi após 29 anos

É campeã! A Argélia venceu Senegal por 1 a 0 nesta sexta-feira (19) no Estádio Internacional do Cairo, no Cairo, capital do Egito, e conquistou seu segundo título da Copa Africana de Nações (CAN).

Baghdad Bounedjah, do Al-Sadd, do Catar, fez o gol da vitória argelina ainda com menos de dois minutos de partida e definiu o placar.

A conquista de 2019 é a segunda da história da Argélia, que havia vencido pela primeira vez em 1990 com a geração comandada por Rabah Madjer, considerado o melhor jogador da história do país, que sediou àquela edição

'Gol relâmpago' condiciona 1º tempo

Não deu tempo nem das equipes aquecerem direito e o placar estava aberto. O atacante Baghdad Bounedjah recebeu a bola pela esquerda do ataque, avançou, cortou para o meio, soltou a bomba e contou com a sorte.

A bola desviou no zagueiro Salif Sané, do Schalke 04-ALE, e matou o goleiro Gomis, estático, ao encobri-lo.

Com a vantagem no marcador, as Raposas do Deserto abdicaram de atacar e o que se viu no primeiro tempo foi um treino de ataque contra defesa, com Senegal constantemente rondando a área rival, mas sem levar muito perigo.

Cadê o VAR?

Nos minutos finais da primeira etapa, um lance polêmico. Niang recebeu lançamento dentro da área e ia saindo cara a cara com M'Bolhi com grande chance de empatar para Senegal, mas o zagueiro Mandi chegou travando e mandou para escanteio.

Na repetição, foi possível ver que o defensor acertou primeiro o pé do atacante ao invés da bola.

O VAR não entrou em ação, e os senegaleses reclamaram bastante com o árbitro Néont Alioum, de Camarões. De nada adiantou.

Ele apareceu!

Com 15 minutos da segunda etapa, Sarr fez ótima jogada pela direita, chegou na linha de fundo e cruzou para a área. A bola bateu no braço de Benlamri, e a arbitragem marcou pênalti para Senegal.

O VAR, porém, entrou em ação e chamou o árbitro, que foi ao vídeo e voltou atrás na sua decisão, anulando a penalidade.

É campeão!

A partida seguiu como na primeira etapa, com Senegal trabalhando a posse no campo de ataque, mas sem conseguir infiltrar na forte defesa argelina.

O cenário permaneceu até o apito final, que selou a vitória por 1 a 0, o bicampeonato da Argélia na CAN e a sequência do sofrimento senegalês, que jamais a venceu e, agora, amarga mais um vice, como em 2002, quando, no Mali, perdeu a decisão para Camarões por 3 a 2 nos pênaltis após 0 a 0 no tempo normal.