<
>

Cruzeiro: Documento mostra que Wagner fez procuração e deu 'amplos poderes' a Itair

play
Membros de organizada do Cruzeiro protestam em frente à sede administrativa do clube (2:23)

Integrantes da Máfia Azul xingaram o vice-presidente executivo de futebol Itair Machado (2:23)

Um documento publicado pelo UOL mostra que, em 15 de junho de 2018, o presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá fez uma procuração dando ao seu vice de futebol, Itair Machado, "amplos poderes" para conduzir o clube.

Dessa forma, Itair ganhou autoridade para "contratar, rescindir contratos, negociar jogadores e autorizar pagamentos” até 31 de dezembro de 2020, quando se encerra a gestão encabeçada por Wagner.

No último sábado, o presidente do Conselho Deliberativo da Raposa, Zezé Perrella, convocou reunião extraordinária para decidir sobre o possível afastamento de Wagner e de sua diretoria de futebol.

No mesmo dia, a Pires de Sá usou o site oficial da Raposa para garantir que não irá deixar o cargo e ainda descreveu o pedido feito por Perrella como "irresponsável" e "apelativo".

Já na segunda-feira, Perrella decidiu adiar a decisão sobre o possível afastamento, devido aos importantes compromissos do Cruzeiro na Copa do Brasil e na Libertadores em julho. Com isso, nova reunião foi marcada para agosto.

A diretoria da Raposa vem sendo investigada pela Polícia Civil de Minas Gerais por suspeitas de crimes de lavagem de dinheiro, falsificação de documentos e falsidade ideológica, além de possíveis quebras de regra da Fifa, da Confederação Brasileira de Futebol e do Governo Federal.

Os escândalos no clube vieram à tona após matéria exibida pela TV Globo, em 26 de maio.

Nos últimos anos, o Cruzeiro aumentou sua dívida de R$ 384 milhões para R$ 520 milhões de 2017 para 2018 e ainda não teve o último balanço financeiro aprovado pelo Conselho Fiscal, que inclusive renunciou.

Nos próximos dias haverá eleição para novos integrantes do órgão.