<
>

Resumão da Data Fifa: 10 países fora da Copa, o 'fator' Israel na Euro e início histórico na América do Sul

A maioria das seleções ainda nem estreou nas eliminatórias da Copa do Mundo de 2026, mas a penúltima Data Fifa de 2023 marcou o fim da linha para algumas delas.

A primeira fase da zona asiática, em jogos de ida e volta, definiu as últimas participantes da fase de grupos e decretou dez eliminações.

Na América do Sul, vimos crescer o sonho da única estreante possível do continente em Copas, enquanto na Europa o Mundial ainda não é assunto - as eliminatórias da Euro 2024 chegam à reta final, com oito seleções já garantidas no torneio ao lado da anfitriã Alemanha.

Vamos, abaixo, a um resumo de tudo que aconteceu em outubro no futebol de seleções pelo mundo.

América do Sul

A Argentina não conhece outro resultado desde o título mundial no Qatar: são oito vitórias em oito jogos e nenhum gol sofrido em quatro amistosos e quatro rodadas das eliminatórias da Conmebol. As duas últimas foram sobre o Paraguai, por 1 a 0, em Buenos Aires, e o Peru, por 2 a 0, em Lima. Lionel Messi marcou ambos os gols contra os peruanos e se isolou como o maior artilheiro das eliminatórias sul-americanas em todos os tempos, com 31.

Se a seleção de Lionel Scaloni viaja tranquila, o mesmo não se pode dizer do Brasil. A equipe dirigida por Fernando Diniz, depois de tropeçar em Cuiabá e ficar no 1 a 1 com a Venezuela, caiu por 2 a 0 contra o Uruguai em Montevidéu, perdendo uma invencibilidade de 37 partidas no classificatório continental.

A Venezuela, aliás, igualou seu melhor começo em eliminatórias (7 pontos em quatro rodadas, assim como Uruguai e Brasil) ao vencer o Chile por 3 a 0, em grande noite de Yeferson Soteldo, do Santos. Com o aumento de vagas para seis diretas e uma na repescagem, a Vinotinto acredita em suas chances de participar de um Mundial pela primeira vez.

A Bolívia segue sem pontuar, tendo caído por 1 a 0 diante do Paraguai, enquanto o Peru - que não conseguiu uma finalização a gol nos dois jogos desta Data Fifa - é a única seleção a não ter balançado as redes até aqui, permanecendo na penúltima colocação com 1 ponto ganho.

Europa

França, Portugal e Bélgica foram as três primeiras seleções a garantir em campo seus lugares na Euro 2024, na noite da última quinta-feira (12).

Vice-campeã mundial, a França segue em campanha 100%, tendo vencido a Holanda por 2 a 1 em Roterdã graças aos dois gols de Kylian Mbappé e chegando a 18 pontos no grupo B. O resultado colocou a Holanda numa situação tensa para o jogo fora de casa contra a Grécia, resolvido no final pelo gol de pênalti de Virgil van Dijk.

Com a vitória, a equipe de Ronald Koeman só precisa de três pontos nos dois jogos que restam, contra Irlanda e Gibraltar, para confirmar sua vaga direta e mandar os gregos para a repescagem como vencedores de grupo da Nations League.

A Bélgica carimbou seu passaporte no grupo F com os 3 a 2 fora de casa sobre a Áustria, em jogo que valia a classificação para o vencedor.

Os austríacos confirmariam a vaga na rodada seguinte, fazendo 1 a 0 no Azerbaijão fora de casa, num dia que ficou marcado pelo atentado terrorista que deixou dois torcedores suecos mortos antes de Bélgica x Suécia, em Bruxelas.

O jogo foi suspenso no intervalo, com o placar de 1 a 1, e a Uefa definiu o empate como resultado final. A Suécia está eliminada e sem chances de jogar a repescagem.

No grupo J, Portugal segue em campanha arrasadora, com 32 gols marcados nas oito vitórias em oito jogos. A Eslováquia foi a vítima no jogo da classificação - 3 a 2 no estádio do Dragão, no Porto - e depois sobrou para a Bósnia, que perdeu em casa por 5 a 0 para os portugueses apenas com gols no primeiro tempo.

Com dois gols em cada jogo, Cristiano Ronaldo ampliou para 127 seu recorde como artilheiro do futebol de seleções.

A segunda vaga deste grupo deve ficar com a Eslováquia, que venceu por 1 a 0 o confronto direto com Luxemburgo e abriu cinco pontos de vantagem, faltando duas rodadas. Luxemburgo tem garantido jogar a repescagem, enquanto a Islândia, que tem chances remotíssimas de vaga direta, depende dos outros grupos para saber se pode estar nos playoffs de março.

O grupo A se decidiu no domingo (15), com a Espanha fazendo 1 a 0 na Noruega e levando consigo a Escócia, a qual havia derrotado por 2 a 0 na quinta-feira.

Os noruegueses, com nomes como Erling Haaland e Martin Odegaard, ainda têm chances de disputar a repescagem, mas precisarão torcer pela classificação direta de seleções que ficaram melhor colocadas na Nations League.

A Geórgia, quarta colocada do grupo, já está garantida e jogará a semifinal dos playoffs em casa, mantendo o sonho de Khvicha Kvaratskhelia, do Napoli, de disputar uma Eurocopa.

A Turquia garantiu sua terceira classificação consecutiva para o torneio nos primeiros dois jogos de Vincenzo Montella como treinador. A estreia do italiano foi uma grande vitória fora de casa por 1 a 0 sobre a Croácia, algoz do Brasil e semifinalista da última Copa do Mundo. Depois, bastou confirmar o favoritismo em casa contra a Letônia, goleando por 4 a 0.

A situação dos croatas se complicou ainda mais com a derrota por 2 a 1 para o País de Gales, que chegou aos mesmos 10 pontos e assumiu a vice-liderança do grupo D pelo critério do confronto direto. Se vencerem Armênia e Turquia nas rodadas de novembro, os galeses garantirão a vaga e empurrarão a Croácia para a repescagem.

Atual vice-campeã, a Inglaterra do astro Jude Bellingham, do Real Madrid, venceu a Itália por 3 a 1 na reedição da final de Wembley e confirmou sua ida à Alemanha.

A Itália, por sua vez, precisará fazer sua parte para evitar um novo pesadelo dos playoffs: tudo se decide no confronto direto da última rodada contra a Ucrânia, no campo neutro de Leverkusen, na Alemanha. Para ter a vantagem do empate, a equipe de Luciano Spalletti terá antes de vencer a eliminada Macedônia do Norte em Roma. Do contrário, serão os ucranianos a precisar apenas de um ponto, já que hoje têm três de vantagem.

A Albânia, do técnico brasileiro Sylvinho, ex-Corinthians, colocou um pé e meio na Euro ao vencer a República Tcheca por 3 a 0 e contar com mais um tropeço da Polônia, que ficou no 1 a 1 com a Moldávia.

Os albaneses lideram o grupo E com 13 pontos e só precisam de mais um nos dois jogos restantes, contra Moldávia e Ilhas Faroe. Com 11 pontos, os tchecos são favoritos à segunda vaga e podem confirmá-la diante dos poloneses na próxima rodada.

Outra seleção quase confirmada é a Hungria, que venceu a Sérvia fora de casa por 2 a 1 e só não teve a certeza matemática da classificação porque ficou no 2 a 2 na visita à Lituânia. Os húngaros foram a 14 pontos e dependem apenas de um ponto contra Bulgária e Montenegro.

A Sérvia bateu os vizinhos montenegrinos por 3 a 1, foi a 13 pontos e só perde a vaga se perder da Bulgária na última rodada e Montenegro vencer os dois jogos (Lituânia e Hungria).

No grupo H, Eslovênia e Dinamarca venceram os dois jogos da Data Fifa e foram a 19 pontos - quem vencer o confronto entre elas em Copenhague já se garante.

A sensação da chave é o Cazaquistão, que foi aos 15 pontos vencendo fora de casa a Finlândia, já confirmada na repescagem. Os cazaques pegam San Marino na penúltima rodada e, com isso, esperam chegar com chances à Eslovênia no que pode ser a definição da vaga direta. Na pior das hipóteses, o Cazaquistão jogará os playoffs.

O cenário do grupo I é mais complicado pelo adiamento dos dois jogos que Israel faria, contra Suíça e Kosovo. Os suíços tiveram um tropeço inesperado contra Belarus, ficando no 3 a 3 em casa e chegando a 15 pontos, permitindo à Romênia assumir a liderança com 16 ao golear Andorra por 4 a 0.

Israel tem 11 pontos em seis jogos e só depende de si para a classificação direta, mas o cenário das partidas restantes é incerto. Apenas o jogo com a Suíça já foi remarcado, para 15 de novembro, mas não tem local confirmado em função da escalada da violência no país.

A Uefa oficializou nesta quinta-feira (19) que as partidas em Israel estão vetadas temporariamente. Com isso, a seleção israelita terá de procurar um outro local para mandar suas partidas.

A classificação de Suíça e Israel à frente da Romênia beneficiaria as seleções interessadas nas vagas de repescagem, como Islândia e Noruega.

Ásia

A seleção de Guam - curiosamente um território dos Estados Unidos - foi a primeira eliminada da Copa de 2026 ao perder os dois jogos para Cingapura (2 a 1 e 1 a 0). O destaque da rodada ficou para a classificação do Paquistão, que nunca havia vencido um jogo de eliminatórias, mas o fez ao bater o Camboja por 1 a 0.

Também disseram adeus ao Mundial as seleções de Mongólia, Maldivas, Sri Lanka, Macau, Timor Leste, Brunei, Butão e Laos.

A segunda fase, com a entrada das principais seleções do continente, começa em novembro e vai até junho de 2024. São nove grupos de quatro seleções cada, com as duas primeiras avançando à etapa seguinte.

No início do ano que vem, será disputada no Qatar a Copa da Ásia, com Japão e Coreia do Sul despontando entre as favoritas. Os japoneses aumentaram a sequência de vitórias goleando o Canadá por 4 a 1 e fazendo 2 a 0 na Tunísia. Os sul-coreanos também bateram os tunisianos (4 a 0) e aplicaram 6 a 0 no Vietnã.

Já a Arábia Saudita, provável sede da Copa de 2034, segue em dificuldades nos primeiros jogos com Roberto Mancini no comando: 2 a 2 com a Nigéria e derrota por 3 a 1 para Mali, a terceira em quatro jogos sob o técnico italiano.

Concacaf

Estados Unidos e México fizeram amistosos com Gana e Alemanha. Ambos venceram a equipe africana (2 a 0 para os mexicanos, 4 a 0 para os EUA), mas não os alemães. Os anfitriões da Euro 2024 tiveram a estreia do técnico Julian Nagelsmann na vitória por 3 a 1 sobre os estadunidenses, antes do 2 a 2 com o México

A Concacaf Nations League teve a definição dos confrontos das quartas de final, que também servem como classificatória para a Copa América de 2024, que terá seis convidados da confederação da América do Norte, Central e Caribe.

Os duelos de ida e volta, previstos para novembro, são: Estados Unidos x Trinidad e Tobago, Costa Rica x Panamá, Jamaica x Canadá, Honduras x México. As quatro vencedoras já garantem suas participações no torneio de Conmebol, enquanto as quatro eliminadas jogam em março uma repescagem pelas duas vagas restantes.

África

Com as eliminatórias da Copa de 2026 começando em novembro e a Copa Africana de Nações (CAN) em janeiro, as seleções africanas aproveitaram a última oportunidade para amistosos de preparação. Destaque para a vitória do atual campeão da CAN, Senegal, sobre Camarões (1 a 0) e o empate por 1 a 1 no clássico entre Egito e Argélia. Primeira seleção do continente a jogar uma semifinal de Copa do Mundo, Marrocos empatou por 1 a 1 com a Costa do Marfim.